Ana Paula Arósio e Severino Cavalcante.

Não sou espectador de novelas ─ nenhum precoceito contra ou a favor ─ mas, como preciso usar meu tempo mais proveitosamente, não as assisto.
Contudo, ouço nas rádios, discussões moralistas(?) a respeito um capítulo de novela da Globo, que exibiu a nudez, ─ que maravilha viver ─ da esplendorosa Ana Paula Arózio.

Ora, no grande lixão da telinha, no qual se exibe publicidade de lubrificante íntimo (K&Y) imediatamente após um desenho animado dirigido ao público infantil, esbravejar contra a nudez da atriz é hipocrisia, além evidentemente de atestado de mau gosto.

O que esses, e essas, guardiãs da TFP, ainda existe?, preferem?

Porque não protestam, por exemplo, contra uma reportagem, em tele-jornal, exibindo despudoradamente o ínclito ex-deputado Severino “restaurante”, ops Cavalcante, refastelado em uma rede em seu apartamento no Recife, bazofiando que será re-eleito com 100 mil, isso mesmo 100 mil votos, sem precisar sair da confortável enxerga a beira-mar.


Argh, argh e argh!
Share the Post:

Artigos relacionados

Anistia nunca mais

A História do Brasil está intoxicada por sucessivas anistias e conciliações. Como sequela impera a certeza da impunidade. O desprezo

Ler mais