Resistir é preciso – II/5

O Molusco e a quadrilha de sanguessugas.

Era uma vez um metalúrgico
Que não queria saber de estudar
Perdeu o dedo mindinho
Não conseguiu mais encontrar.
Sem saber o que fazer
Nem cogitou procurar
Nada mais tinha a fazer
Decidiu se aposentar.

Criou um partido político
Não quis mais trabalhar
Subiu em palanque
Juntou dinheiro público
Para a eleição ganhar
Enquanto milhões de idiotas
Que escolheram nele votar
Aguardam desempregados
Milhões de empregos que prometeu criar.
Sob denuncias e escândalos, nada fez
Continuou a viajar
Depois do seu futebol
Só muito vinho e caviar
Como era de se esperar
E mais uma vez o Brasileiro
Fome continua a passar.

Voa molusco, voa
Sem querer saber de nada
Do macacão ao paletó
No Palácio da Alvorada
Voa molusco, voa
E leva toda a pilantrada
O discurso sempre é o mesmo
Esse governo é uma roubada.

Postado por:
Eduardo Fiuza – Analista de Sistema
Fortaleza

Share the Post:

Artigos relacionados

Anistia nunca mais

A História do Brasil está intoxicada por sucessivas anistias e conciliações. Como sequela impera a certeza da impunidade. O desprezo

Ler mais