Copa do Mundo – Final, afinal!

Ficou comprovado.
Após a monumental e homérica pelada de encerramento no domingo entre os azuis, é tudo japonês.
Não existe distância, mensurável e significativa, em mediocridade, que diferencie as copas de 1994 e a de 2006.
Tudo tão emocionante quanto assistir uma velhinha colocando fronha em um travesseiro.
Quer mais?
Que dizer de uma copa decidida com um gol de Grosso?
Argh!
Share the Post:

Artigos relacionados

Anistia nunca mais

A História do Brasil está intoxicada por sucessivas anistias e conciliações. Como sequela impera a certeza da impunidade. O desprezo

Ler mais