Walter Benjamin – Versos na tarde – 15/07/2017


Como é que a Solidão Hei-de Ir Medindo?
Walter Benjamin ¹

Como é que a solidão hei-de ir medindo?
desse-me os golpes de uso inda esta dor
um a um sua nudez a sobrepor
que o ritmo sem nome a foi vestindo

mas sofro agora o tempo nu saindo
numa levada sem nenhum teor
gasto caudal do meu rio interior
nem chora o peito por mais gritos vindo

Quando é que é novo ano na amargura
quando volto a chegar-me à desventura
que me faz falta em ocos dias vis.

ah quando é que arde escura em cores febris
à testa do ano como a vi na altura
do agosto em chamas funda cicatriz?

Walter Benjamin, in “Sonetos”
Tradução de Vasco Graça Moura


Você leu?: Cesare Pavese – A nossa arte


¹ Walter Benedix Schönflies Benjamin
+ Berlim, Alemanha – 15 de julho de 1892
+ Portbou, Espanha – 27 de setembro de 1940

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , ,

Leia também:

Alberto Caeiro - Ontem à tarde um homem das cidades
Alberto Caeiro - Ontem à tarde um homem das cidades

Heterônimo de Fernando pessoa

August 7, 2019, 8:00 pm
J.G de Araujo Jorge - Pressentimento
J.G de Araujo Jorge - Pressentimento

Pressentimento J.G de Araujo Jorge O fim do nosso amor pressenti – na agonia das tuas próprias cartas, rápidas, pequenas… – se nem tantas, com carinho imenso te escrevia tão...

August 1, 2019, 5:00 pm
Carl Sandburg - Poesia
Carl Sandburg - Poesia

Poema Carl Sandburg Quero-te como as raízes secas desejam a chuva no verão como o vento deseja as folhas do chão e perdoa dizer tudo isto tão depressa.

August 3, 2019, 3:39 pm
Maquiavel - Frase do dia
Maquiavel - Frase do dia

Uma mudança...

August 8, 2019, 12:53 pm
Fernando Pessoa - Arte e Sensibilidade
Fernando Pessoa - Arte e Sensibilidade

Toda a arte se baseia na sensibilidade

August 4, 2019, 4:16 pm
Michel de Montaigne - Não há nada tão enjoativo quanto a abundância
Michel de Montaigne - Não há nada tão enjoativo quanto a abundância

O amor bem nutrido e excessivamente submisso logo nos enjoa e cansa

July 29, 2019, 4:28 pm