Hilda Hist – E por que haverias de querer – Poesia

Mas não menti gozo prazer lascívia


E por que haverias de querer…
Hilda HistFotografaias,Sensualidade,Blog do Mesquita

E por que haverias de querer minha alma
Na tua cama?
Disse palavras líquidas, deleitosas, ásperas
Obscenas, porque era assim que gostávamos.

Mas não menti gozo prazer lascívia
Nem omiti que a alma está além, buscando
Aquele Outro. E te repito: por que haverias
De querer minha alma na tua cama?

Jubila-te da memória de coitos e de acertos.
Ou tenta-me de novo. Obriga-me.


Você leu?: Francisco Carvalho – Discurso da Ira


Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: ,

Leia também:

Shakespeare - O vil metal
Shakespeare - O vil metal

Ouro amarelo, fulgurante, ouro precioso

October 31, 2019, 6:59 pm
Gregório de Matos - Soneto VII
Gregório de Matos - Soneto VII

Ardor em firme coração nascido

October 24, 2019, 7:09 pm
Matias Ayres - A Vaidade no Sofrimento
Matias Ayres - A Vaidade no Sofrimento

Há ocasiões, em que contraímos a obrigação connosco Pensar faz bem Matias Aires

November 4, 2019, 6:20 pm
Bretch - Aos que virão depois de nós - Poesia
Bretch - Aos que virão depois de nós - Poesia

Eu vivo em tempos sombrios.

November 8, 2019, 8:36 pm
Hannah Arendt - As coisas efêmeras são as mais necessárias
Hannah Arendt - As coisas efêmeras são as mais necessárias

Das coisas tangíveis, as menos duráveis são as necessárias

November 3, 2019, 6:00 pm
Fernando Pessoa - E toda a noite a chuva veio - Poesia
Fernando Pessoa - E toda a noite a chuva veio - Poesia

No som da chuva triste e cheio

November 11, 2019, 7:50 pm