Tremsalão: mídia seletiva trata como um ferrorama


Ferrorama Blog do Mesquita TremsalãoMídia seletiva a corrupção e o tremsalão.

A mídia trata, quando trata, o “tremsalão” como se fosse Ferrorama.

Faço esse comentário por que exatamente a pouco eu vinha no carro ouvindo uma das duas rádios, FM, de notícias, com extensa matéria sobre a paralisação das obras da ferrovia no Piauí.

A reportagem longa e minuciosa tratava dos inúmeros problemas – corrupção e superfaturamentos inclusos – além do prazo conclusão previsto para 2013 ter sido dilatado agora para 2016, e a duplicação dos custos da construção da ferrovia.

Eu só ouço essas duas rádios – tanto no carro, no Smartphone e no computador – e acompanho os noticiários durante quase todo o dia.

Por isso estranho o tratamento diferenciado das bandalheiras.

Bandalheira que no Brasil é ambidestra. Não é “patrimônio” desse ou daquele partido.

O que espero em matéria de cobertura jornalística é a isonomia. Mas essa esperança, sei, é ficção. Ou devaneio.

Contudo entendo os motivos que provocam a seletividade da cobertura em função dos interesses do veículo de imprensa. Somente aponto o descompasso no tratamento dado pela mídia.

Não significa que eu esteja fazendo juízo de valor sobre essa ou aquela obra, ou sobre essa ou aquela corrupção.

Trata-se de honestidade intelectual de quem tem a obrigação, a priori, de ser imparcial.


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Postado na categoria: Mídia - Palavras chave: , , , , , , , , ,