Yeats – Versos na tarde – 13/11/2016

A canção do delirante Aengus
Yeats¹

Eu fui para uma floresta de nogueiras,
Porque minha mente estava inquieta,
Eu colhi e limpei algumas nozes,
E apanhei uma cereja, curvando o seu fino ramo;
E, quando as claras mariposas estavam voando,
Parecendo pequenas estrelas, flutuando erráticas,
Eu lancei framboesas, como gotas, em um riacho
E capturei uma pequena truta prateada.

Quando eu a coloquei no chão
E fui soprar para reativar as chamas,
Alguma coisa moveu-se e eu pude ouvir,
E, alguém me chamou pelo meu nome:
Apareceu-me uma jovem, brilhando suavemente
Com flores de maçãs nos cabelos
Ela me chamou pelo meu nome e correu
E desapareceu no ar, como um brilho mais forte.

Talvez eu esteja cansado de vagar em meus caminhos
Por tantas terras cheias de cavernas e colinas,
Eu vou encontrar o lugar para onde ela se foi,
E beijar seus lábios e segurar suas mãos;
Caminharemos entre coloridas folhagens,
E ficaremos juntos até o tempo do fim do tempo, colhendo
As prateadas maçãs da lua,
As douradas maçãs do sol.

¹William Butler Yeats
*
Dublin Irlanda – 13 de Junho de 1865 d.C
+
Boston, Usa – 28 de Janeiro de 1939 d.C
Prêmio Nobel de Literatura em 1932

Biografia de Yeats
[ad name=”Retangulo – Anuncios – Duplo”]

Yeats – Versos na tarde – 13/12/2014

Aedh deseja os tecidos dos céus
Yeats ¹

Fossem meus os tecidos bordados dos céus,
Ornamentados com luz dourada e prateada,
Os azuis e negros e pálidos tecidos
Da noite, da luz e da meia-luz,
Os estenderia sob os teus pés.
Mas eu, sendo pobre, tenho apenas os meus sonhos.
Eu estendi meus sonhos sob os teus pés
Caminha suavemente, pois caminhas sobre meus sonhos.

¹ William Butler Yeats
* Dublin, Irlanda – 13 de Junho de 1865 d.C
+ Menton, França – 28 de Janeiro de 1939 d.C
Biografia


[ad name=”Retangulo – Anuncios – Duplo”]

Yeats – Versos na tarde – 02/11/2014

A canção do delirante Aengus (1899)
Yeats¹

Eu fui para uma floresta de nogueiras,
Porque minha mente estava inquieta,
Eu colhi e limpei algumas nozes,
E apanhei uma cereja, curvando o seu fino ramo;
E, quando as claras mariposas estavam voando,
Parecendo pequenas estrelas, flutuando erráticas,
Eu lancei framboesas, como gotas, em um riacho
E capturei uma pequena truta prateada.
Quando eu a coloquei no chão
E fui soprar para reativar as chamas,
Alguma coisa moveu-se e eu pude ouvir,
E, alguém me chamou pelo meu nome:
Apareceu-me uma jovem, brilhando suavemente
Com flores de maçãs nos cabelos
Ela me chamou pelo meu nome e correu
E desapareceu no ar, como um brilho mais forte.
Talvez eu esteja cansado de vagar em meus caminhos
Por tantas terras cheias de cavernas e colinas,
Eu vou encontrar o lugar para onde ela se foi,
E beijar seus lábios e segurar suas mãos;
Caminharemos entre coloridas folhagens,
E ficaremos juntos até o tempo do fim do tempo, colhendo
As prateadas maçãs da lua,
As douradas maçãs do sol.

¹William Butler Yeats
* Dublin, Irlanda – 13 de Junho de 1865 d.C
+ Menton, França – 28 de Janeiro de 1939 d.C


[ad name=”Retangulo – Anuncios – Duplo”]

Yeats – Versos na tarde – 19/11/2013

E daí?
Yeats¹

Estudante, os mais íntimos colegas
Já viam nele um grande gênio então;
Ele também; e agiu segundo as regras
Passando em claro as suas noites negras.
E daí? canta a sombra de Platão.

Seus escritos lhe dão notoriedade;
Ao cabo de alguns anos ganha tão
Bem que não passa mais necessidades;
Seus amigos, amigos de verdade.
E daí? canta a sombra de Platão.

Seus sonhos todos vêm à luz do dia:
Casa boa, mulher, filhos, carrão,
Horta e pomar onde tudo crescia,
Poetas e Sábios sobre ele choviam.
E daí? canta a sombra de Platão.

Obra completa, já maduro, tosse:
“Meu projeto de jovem concluí;
Que os tolos clamem; um senão que fosse;
Pois algo ao nível do perfeito eu trouxe.”
E a voz mais alto: E daí? E daí?
Tradução: Ivo Barroso

¹William Butler Yeats
* Dublin, Irlanda – 13 de Junho de 1865 d.C
+ Menton, França – 28 de Janeiro de 1939 d.C

>> Biografia de Yeats


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Yeats – Versos na tare – 05/02/2013

E daí?
Yeats ¹

Estudante, os mais íntimos colegas
Já viam nele um grande gênio então;
Ele também; e agiu segundo as regras
Passando em claro as suas noites negras.
E daí? canta a sombra de Platão.

Seus escritos lhe dão notoriedade;
Ao cabo de alguns anos ganha tão
Bem que não passa mais necessidades;
Seus amigos, amigos de verdade.
E daí? canta a sombra de Platão.

Seus sonhos todos vêm à luz do dia:
Casa boa, mulher, filhos, carrão,
Horta e pomar onde tudo crescia,
Poetas e Sábios sobre ele choviam.
E daí? canta a sombra de Platão.

Obra completa, já maduro, tosse:
“Meu projeto de jovem concluí;
Que os tolos clamem; um senão que fosse;
Pois algo ao nível do perfeito eu trouxe.”
E a voz mais alto: E daí? E daí?

Tradução: Ivo Barroso

¹ William Butler Yeats
* Dublin, Irlanda – 13 de Junho de 1865 d.C
+ Menton, França – 28 de Janeiro de 1939 d.C


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Yeats – Versos na tarde

Aedh deseja os tecidos dos céus
Yeats ¹

Fossem meus os tecidos bordados dos céus,
Ornamentados com luz dourada e prateada,
Os azuis e negros e pálidos tecidos
Da noite, da luz e da meia-luz,
Os estenderia sob os teus pés.
Mas eu, sendo pobre, tenho apenas os meus sonhos.
Eu estendi meus sonhos sob os teus pés
Caminha suavemente, pois caminhas sobre meus sonhos.

¹ William Butler Yeats
* Dublin, Irlanda – 13 de Junho de 1865 d.C


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Yeats – Versos na tarde

Os Velhos Admirando-se na Água
Yeats ¹

Ouvi os velhos, velhos, murmurando:
“Tudo se altera,
E um por um vamos passando.”
Tinham mãos como garras, e seus joelhos
Eram torcidos como os espinheiros velhos
Junto da água.

Ouvi os velhos, velhos, murmurando:
“Tudo o que é belo foge, deslizando
como as águas”

(Tradução de Péricles Eugênio da Silva Ramos)

¹ William Butler Yeats
* Dublin, Irlanda – 13 de Junho de 1865 d.C
+ Menton, França – 28 de Janeiro de 1939 d.C

->> biografia


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Yeats – Versos na tarde

O prazer do difícil
Yeats ¹

O prazer do difícil tem secado
A seiva em minhas veias. A alegria
Espontânea se foi. O fogo esfria
No coração. Algo mantém cerceado
Meu potro, como se o divino passo
Já não lembrasse o Olimpo, a asa, o espaço,
Sob o chicote, trêmulo, prostrado,
E carregasse pedras. Diabos levem
As peças de teatro que se escrevem
Com cinqüenta montagens e cenários,
O mundo de patifes e de otários,
E a guerra cotidiana com seu gado,
Afazer de teatro, afã de gente,
Juro que antes que a aurora se apresente
Eu descubro a cancela e abro o cadeado.
Tradução: Augusto de Campos

¹ William Butler Yeats
* Dublin, Irlanda – 13 de Junho de 1865 d.C
+ Menton, França – 28 de Janeiro de 1939 d.C

>> biografia de Yeats