Eleições 2012: pesquisas e metodologia

Depois de tantos furos e erros sucessivos, eleição após eleição, a gente acaba chegando à conclusão de que as pesquisas eleitorais se originam de três vertentes:

1-    São compradas pelo político patrocinador interessado na pesquisa;

2-    São favoráveis à linha política do(s) pesquisador(es), que escamoteiam os dados;

3-    São resultado de metodologias suspeitas ou errôneas;

Presume-se que todas as pesquisas colham a intenção de voto diretamente com os eleitores, em entrevistas individuais. Existem, porém, métodos diferentes para escolher quem e onde entrevistar.

O mais utilizado hoje no Brasil é o chamado método de cotas, adotado por três dos principais institutos de pesquisa de opinião do país: Ibope, Vox Populi e Sensus.

No Ibope, inicialmente, são feitos dois sorteios. O primeiro seleciona os municípios que comporão a amostra. O segundo elege setores censitários (unidade usada pelo IBGE, que corresponde a bairros ou regiões de, em média, 1 100 habitantes).[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

Com esses dados em mãos, os entrevistadores saem pelas ruas com a obrigação de cumprir cotas proporcionais a sexo, idade e escolaridade dos eleitores.

Segundo uma diretora do Ibope, em São Paulo “o que importa não é o tamanho da amostra e sim sua representatividade: todos os grupos sociais e regiões geográficas devem aparecer em proporção próxima à da população pesquisada”. Só que as distorções nas pesquisas do Ibope falam por si; alguma coisa deve estar muito errada nesta metodologia.

Já o instituto Datafolha prefere a “pesquisa por fluxo de ponto”, em que os entrevistadores passam horas num local de grande movimento de pedestres. Esse é o método mais rápido, porque não exige visitas a endereços específicos, mas requer um número maior de entrevistas.

Aqui já dá para desconfiar: o patrocinador classe A da pesquisa, por exemplo, em São Paulo, manda os pesquisadores estacionarem na frente do Shopping Center Iguatemi e o candidato popular Classe D manda estacionar na frente da favela de Heliópolis. A metodologia estaria correta, mas os resultados…

Para montar o universo a ser pesquisado, o Datafolha utiliza informações sobre eleitores, obtidas do Tribunal Superior Eleitoral e dados sobre sexo e faixa etária com base no IBGE. O Datafolha não leva em conta, porém, dados sobre escolaridade ou renda familiar mensal.

Já o Vox Populi usa dados censitários do IBGE e realiza um roteiro aleatório para escolha dos domicílios. O Ibope, por sua vez, seleciona probabilisticamente os municípios e leva em conta variáveis como sexo, idade, grau de escolaridade e dependência econômica.

A ordem das perguntas também distingue a forma como os entrevistados são abordados. Para não influenciar as respostas, o Datafolha evita perguntas que estimulem nomes de candidatos, partidos ou avaliações de governo antes das questões sobre em quem o eleitor pretende votar.

Já outros institutos têm como método técnicas para “esquentar” o entrevistado – caso do Ibope, que faz as chamadas perguntas “quebra-gelo” para introduzir o entrevistado ao assunto (no caso, as eleições).

Há empresas que optam em perguntar sobre a situação do País antes de aplicar os questionários da pesquisa. É comum entre institutos perguntas referentes ao grau de conhecimento sobre os candidatos citados nos formulários.

Donde se depreende que o melhor mesmo para o eleitor é ignorar os números das pesquisas, juntar o máximo de informações sobre os candidatos, tentar colocar a razão acima da emoção e no dia das eleições apertar o botão do candidato que mais se aproxime do seu modo de pensar, da sua linha ética e das suas convicções políticas.

E depois ficar rezando para que a urna eletrônica não esteja viciada, como naqueles jogos eletrônicos que a polícia anda recolhendo por todo o país.

Entre pesquisas eleitorais e urnas eletrônicas, há muito mais mistérios e artimanhas do que nossa vã imaginação possa alcançar.
do blog  bahr-baridades

Eleições 2010: Pesquisas mostram início de possível onda pró-Serra

Marina, aborto, Erenice, Lula raivoso, não necessariamente nessa ordem, podem ter contribuído para a fuga de votos da maternidade da mãe do PAC.

O Editor


As 4 pesquisas divulgadas até agora sobre a disputa pelo Palácio do Planalto mostram a formação de uma possível onda pró-José Serra (PSDB).

Ainda serão necessárias outras sondagens para qualificar o solavanco sofrido por Dilma Rousseff (PT), mas é nítido que neste segundo turno a petista perdeu “momentum”.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

Eis um resumo das 4 pesquisas já divulgadas neste segundo turno:

* CNT/ Sensus (11-13.out) – Dilma 46,8% X 42,7% Serra (diferença entre ambos: 4,1 pontos) (margem de 2,2 pontos percentuais)

* Ibope (11-13.out) – Dilma 49% X 43% Serra (diferença entre ambos: 6 pontos) (margem de 2 pontos percentuais)

* Vox Populi (10-11.out) – Dilma 48% X 40% Serra (diferença entre ambos: 8 pontos) (margem de 1,8 ponto percentual)

* Datafolha (8.out) – Dilma 48% X 41% Serra (diferença entre ambos: 7 pontos) (margem de 2 pontos percentuais)

Essas pesquisas não são comparáveis por serem realizadas com metodologias diferentes. Mas é possível dizer 1) todas apontam uma diferença sempre abaixo de 10 pontos entre Dilma e Serra e 2) a diferença entre a petista e o tucano parece se estreitar cada vez mais.

Dá para dizer que uma virada vai acontecer? Não, não dá. Mas seria temerário agora fazer qualquer tipo de prognóstico.

Ao que tudo indica, tem surtido efeito a estratégia tucana de comparar biografias e de atrair o eleitorado mais conservador.

Do seu lado, Dilma tem mostrado pouco o presidente Lula em suas propagandas. Só quando ela apareceu intensamente ao lado do seu padrinho político é que registrou altas nas pesquisas durante o primeiro turno.

Mas agora paira uma dúvida sobre a equipe de campanha petista: não se sabe se a imagem presidencial funcionaria mais como um remédio ou um veneno –ao reforçar a percepção de que a candidata governista não consegue andar com as próprias pernas.

blog de Fernando Rodrigues

Eleições 2010: Vox Populi diz que Dilma tem 54,5% dos votos válidos

Pesquisa Vox Populi divulgada hoje aponta a candidata Dilma Rousseff (PT) com 54,5% dos votos válidos, contra 45,4% de José Serra (PSDB), no segundo turno das eleições presidenciais.

Os votos válidos, desconsideram brancos, nulos e indecisos.

A margem de erro é de 1,8 ponto percentual.

A pesquisa foi realizada nos dias 10 e 11 com 3.000 eleitores.

Na eleição de primeiro turno, em 3 de outubro, Dilma teve 46,91% dos votos e Serra ficou com 32,61%.


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Eleições 20201: Em São Paulo poderá haver 2º turno

Vox Populi/Band/iG: 2o. turno à vista em São Paulo

Tucano aparece com 40% das intenções de voto, mesma soma dos adversários; Mercadante sobe de 17% para 28%

O cenário de vitória do ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) logo no primeiro turno, em São Paulo, está ameaçado, de acordo com a mais recente pesquisa Vox Populi/Band/iG.

O tucano perdeu nove pontos em relação ao último levantamento, em agosto, e conta agora com 40% das intenções de voto – exatamente a soma do desempenho dos quatro principais adversários.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

O senador Aloizio Mercadante, do PT, foi quem mais cresceu: saltou de 17% para 28% entre agosto e setembro. Celso Russomano (PP) oscilou dois pontos para baixo e aparece agora com 7%. Paulo Skaf (PSB), que antes tinha 1%, soma agora 3%. Fábio Feldmann, do PV, tem 2% das preferências.

Com o cenário, fica no limite a possibilidade de a disputa ser decidida no primeiro turno. Em julho, a distância de Alckmin em relação à soma dos demais candidatos era de 18%.

A margem de erro é de 2,5 pontos percentuais. A pesquisa, registrada do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número 31.704/10, ouviu 1.500 pessoas entre os dias 18 e 21 de setembro.

O índice dos que se dizem indecisos ou não responderam à pesquisa é de 13% em São Paulo, ainda segundo o Vox Populi. Brancos e nulos somam 7%.

Matheus Pichonelli/blog do Noblat

Eleições 2010: Pesquisa Vox Populi coloca Dilma à frente de Serra

Vox Populi: Dilma ultrapassa Serra, 38% contra 35%

Considerando-se a margem de erro, quadro é de empate.

Mas é a 1ª vez que a candidata do PT aparece na frente

Pesquisa do Instituto Vox Populi traz a petista Dilma Rousseff numericamente à frente do tucano José Serra.

Dilma aparece com 38%, nove pontos percentuais a mais do que amealhara em pesquisa feira em janeiro.

Serra amealha 35%, três pontos a menos do que o Vox Populi lhe atribuíra na pesquisa anterior, de quatro meses atrás.

A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Significa dizer que, do ponto de vista estatístico, Dilma e Serra estão tecnicamente empatados.

Mas é a primeira vez que o Vox Populi acomoda a candidata do PT numericamente à frente do rival tucano.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

Segundo o instituto, Dilma está numericamente à frente de Serra também na simulação de segundo turno.

No embate direito, Dilma amealha 40%. Tinha 35% em janeiro. Serra teria 38%. Há quatro meses, tinha 46%.

Marina Silva, a candidata do PV aparece na pesquisa com 8%. Percentual idêntico ao que o instituto atribuíra a ela em janeiro.

Os pesquisadores do Vox Populi foram às ruas entre os dias 8 e 13 de maio.

Os dados foram divulgados no jornal da TV Bandeirantes. O resultado discrepa do que foi apurado pelo Datafolha.

Em pesquisa divulgada há menos de um mês, em 19 de abril, o Datafolha informara que Serra (38%) estava dez pontos à frente de Dilma (28%).

Folha de S.Paulo

Eleições 2010. Pesquisas Vox Populi

Vox Populi: Dilma sobe, Serra cai e Ciro também

A sondagem é nacional. Ouviram-se 2 mil pessoas entre os dias os dias 02 e 07 de maio. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

O trabalho de campo foi fechado 13 dias depois de Dilma ter anunciado, em 25 de abril, que estava às voltas com o tratamento de um câncer linfático.

Vão abaixo os resultados da pesquisa:

– Cenário 1: com Dilma (PT), Aécio (PSDB), Ciro (PSB) e Heloisa Helena (PSOL)Ciro: 23%
Dilma: 21%
Aécio: 18%
HH: 10%
Brancos e nulos: 19%

Comparando-se com pesquisa realizada pelo Vox Populi há um ano, em maio de 2008, Dilma subiu 10 pontos, Serra despencou 10 pontos e Ciro caiu 6.

– Cenário 2: Com Dilma, Ciro, José Serra (PSDB) e Heloísa Helena
Serra: 36%
Dilma: 19%
Ciro: 17%
HH: 8%
Branco e nulos: 19%

Comparação com maio de 2008: Dilma subiu 10 pontos; Serra caiu 10 pontos; e Ciro caiu 6 pontos.

– Cenário 3: Com Dilma, Aécio e HH. Sem Ciro
Dilma: 25%
Aécio: 20%
HH: 16%
Brancos e nulos: 40%

Não há levantamento anterior para comparação.

– Cenário 4: Com Dilma, Serra e HH. Sem Ciro
Serra: 43%
Dilma: 22%
HH: 11%
Brancos e nulos: 24%

– Cenário 5: Só Dilma e Serra
Serra: 48%
Dilma, 25%
Brancos e nulos: 37%

blog Josias de Souza