Família Sarney retira nome de aliados de logradouros e prédios públicos no Maranhão

Brasil: da série “só dói quando eu rio”!

Em meio a novas denúncias contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), a família do senador preocupa-se em retirar o nome de parentes e aliados políticos de logradouros públicos do Maranhão.

Maranhão Prédios Públicos com nomes da família Sarney

Na noite de ontem, a governadora do Estado, Roseana Sarney (DEM), enviou ofício ao Tribunal de Contas solicitando a retirada de seu nome do prédio da instituição. O edifício foi construído em 2002 durante seu segundo mandato estadual.

A reportagem do UOL Notícias apurou junto a fontes do Palácio dos Leões, sede do governo estadual, que a governadora tomou a iniciativa antes de reassumir o cargo no último dia 10 de julho.

A informação foi confirmada posteriormente pela assessoria de comunicação do Estado, que afirmou que o ofício foi enviado no dia 1º de julho. A assessoria do tribunal não foi localizada para comentar o assunto.

Duas recentes decisões do Tribunal de Justiça do Maranhão determinaram a retirada dos nomes de políticos de logradouros públicos, com o argumento de desrespeito ao princípio constitucional da “impessoalidade”.

Esta semana, a Justiça do Maranhão mandou retirar o nome do ex-governador e atual ministro de Minas e Energias, Edison Lobão, de uma avenida litorânea e de uma escola pública no centro de São Luís.

Também foi determinada a retirada do nome do vice-governador, João Alberto (PMDB), do Centro de Processamento de Dados do Estado.

Em abril, a Justiça já havia mandando retirar o nome de Roseana Sarney da Passarela do Samba, local em São Luís onde ocorrem os desfiles de carnaval.

A decisão acatou uma ação popular, impetrada pela deputada estadual petista Helena Heluy, em 2004, quando a avenida foi batizada com o nome da governadora, na época exercendo mandato no Senado.

Na década de 90, o prédio do Tribunal Regional do Trabalho da 16º Região em São Luís foi batizado com o nome do senador José Sarney.

Em 2006, acatando ação movida pelo Ministério Público Federal, a Justiça determinou a retirada do nome do local.

Francisco Junior no UOL