Por que celulares ‘antigões’ estão conquistando cada vez mais adeptos?

Em plena hora do rush, um homem chama a atenção na multidão que se desloca pelo metrô de Nova York. Danny Groner é o único no vagão que não está encarando uma tela de celular.

A atriz Scarlett Johansson exibe seu celular ‘antigo’ – Image copyrightGETTY

Aos 32 anos, ele é o típico público-alvo do mercado de smartphones: é jovem e gerencia o banco de imagens Shutterstock, uma das empresas mais bem-sucedidas da chamada Silicon Alley. O escritório da empresa ocupa dois andares do lendário edifício Empire State e tem a cara de qualquer boa startup, com um estúdio de ioga, salas de jogos e balanços.[ad name=”Retangulo – Anuncios – Direita”]

Mas ele se orgulha de não ser mais um dos mais de 60% dos americanos que possuem um aparelho do tipo: assim como os executivos bilionários Warren Buffett e Stephen Schwartzman, a única conexão móvel de Groner com o mundo é um velho e bom celular com flip (aqueles que abrem e fecham), objeto do desejo no começo dos anos 2000, que ele usa apenas para fazer chamadas ou mandar torpedos.

Cercado de tecnologia, Groner explica por que preferiu dizer “não” aos smartphones: “Não quero virar escravo. Já passo 13 ou 14 horas por dia na frente de uma tela. É o suficiente”, diz.

Apesar de seu entusiasmo por aparelhos mais “retrô”, ele admite que nem todos nós podemos nos dar ao luxo de dispensar o smartphone. “Se todos fossem como eu, o trabalho não avançaria”, reflete.

‘Você no comando’


A editora-chefe da revista ‘Vogue’ americana, Anna Wintour, é vista com um velho e bom flip phone –  – Image copyrightGETTY

Para a professora de psicologia Holly Parker, da Universidade Harvard, o uso de celulares comuns pode ajudar muitas pessoas a colocar um limite entre o trabalho e o lazer.

“As empresas podem se beneficiar do aumento de produtividade se permitirem que seus funcionários mantenham um espaço para se recuperarem do trabalho”, afirma.

Estudos científicos que analisam os efeitos do uso de aparelhos eletrônicos em profissionais de várias áreas coincidem ao concluir que os smartphones são os mais prejudiciais.

“A popularidade dos celulares com flip é uma reação à sensação de que nos tornamos escravos do smartphone”, diz o advogado David Ryan Polgar, especialista em “ética da tecnologia”. “Adotar um modelo simples é uma maneira luxuosa e enfática de proclamar que é você quem está no comando.”

Polgar, no entanto, diz acreditar que o mero ato de não levar o smartphone para todo lado também é uma solução para quem quer se desconectar. “É mais uma maneira de projetar uma imagem de poder e liberdade.”

Franceses à frente

A cantora Rihanna também prefere um modelo antigo de celular
Image copyrightALAMY

O problema é que esse tipo de disciplina é muito difícil de conquistar. Por isso, a França se tornou o primeiro país que deve analisar o “direito a se desconectar”, ou seja, a garantir que alguém possa desligar o smartphone sem sentir remorso por isso.

A iniciativa, por incrível que pareça, nem veio dos poderosos sindicatos franceses, mas sim de Bruno Mettling, vice-diretor da Orange, empresa francesa de telecomunicações.

Em setembro passado, ele submeteu ao Ministério do Trabalho de seu país um relatório sobre o trabalho na era digital e defendeu que a realidade do relacionamento entre gerentes e subalternos não reflete a atual legislação.

Mas, mesmo com a proteção da lei, muitos de nós achamos impossível resistir ao apelo da telinha para checar a caixa de entrada ou mandar uma última mensagem antes de dormir, por exemplo.

Foi isso que levou Ellyn Shook, diretora de recursos humanos da consultoria internacional Accenture, a fazer um “downgrade” de seu telefone. No ano passado, ela comprou um celular com flip para tentar substituir seu iPhone, que vivia em sua mesa de cabeceira.

A tática funcionou. “Voltar no tempo me permitiu passar fins de semana inteiros sem olhar para o telefone”, comemora.
Nick Clayton/BBC

Design – Celular para deficientes visuais

Designer desenvolve celular em Braille para deficientes visuais.
Plástico eletroativo permitiu impressão em código no telefone conceito.
Aparelho que facilita envio de torpedos ganhou prêmio mundial de design.

Tecnologia Celulares Braille Concept Phone

O Braille Concept Phone é um celular universal conceito capaz de oferecer liberdade aos deficientes visuais na hora de fazer suas próprias ligações. O designer Seonkeun Park criou o produto a partir de um plástico eletroativo que facilitou a gravação das teclas em código Braille, segundo o blog ‘Tuvie’. Assim, é possível até mandar mensagens de texto. O celular Braille é um dos vencedores do Red Dot Awards, uma dos mais conceituados prêmios de design do mundo.


[ad name=”Retangulo – Anuncios – Duplo”]

Tecnologia: Guarda-chuva carregador de bateria e antena amplificadora de sinal

Lançamento da operadora de telefonia Vodafone, o guarda-chuva Booster Brolly, se propõe, segundo o fabricante, a funcionar simultaneamente como amplificador de sinal de telefonia e carregador de bateria para Smartphone. Tudo alimentado por células de energia solar, são 12 células aplicadas na parte externa do guarda-chuva que é fabricado com fibra de carbono.


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Design – SmartPhone retrô

A criação do design Richard Clarkson é uma denúncia a incapacidade para o desapego.
Não deixa de ser um contraponto à época do efêmero.

O Smarthphone Rotary Mechanical, segundo seu criador, é uma reflexão se não necessitamos de “incorporar mais sentimentos e mais vida cotidiana aos objetos digitais”.

O design conceitual possue uma tela “touch screen na parte da frente, e um disco rotativo ‘old-fashioned’ disco de discagem na parte posterior.

 


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Smartphone do Facebook Projeto de codinome “Buffy”

Com o grande volume de notícias do gadget ser liberado para a temporada de compras pré-feriado, está ficando mais difícil de dizer que os boatos são legítimas, e que são simplesmente para as pessoas falarem.

De acordo com o site “AllThingsD”, projeto do smartphone do Facebook (que tem sido alvo de rumores há meses) está sendo reformulado, como a gigante da rede social trabalha com a HTC para finalizar os detalhes do seu dispositivo.

OS do telefone supostamente vai ser baseado fora de uma versão modificada do Android.

Ah, e este smartphone tem um nome. O nome de código para o projeto é “Buffy” – sim, depois de “Buffy the Vampire Slayer”.

Uma vez que já existem telefones que usam integrado Facebook, veja aqui como “Buffy” supostamente vai ser diferente:

De acordo com AllThingsD, a “Buffy” telefone Facebook será diferente desses outros dispositivos outros, porque não vai apenas fornecer acesso ao Facebook. Em vez disso, ele terá a tecnologia de rede social desenvolvido pela empresa integrada no dispositivo “. – CNET News

Claro, AllThingsD cita “sem nome” fontes para essa informação, por isso é difícil saber se isso é realmente verdade.
Carolyn Glatz/Gerafuse


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

iPhone: usuários querem continuar com a Apple

Usuários de iPhone dizem não querer trocar de fabricante (Foto: Brendan McDermid/Reuters)

Estudo quis saber fidelidade de usuário na escolha do próximo celular.

31% dos donos de Android indicaram que mudariam para um iPhone.

Uma pesquisa revelou que 89% dos usuários de iPhone pretendem continuar com a Apple no próximo celular.

Em segundo lugar no levantamento da “UBS” ficou a fabricante HTC, que alcançou 39% dos usuários.

Para completar a lista estão aparelhos equipados com o sistema operacional Android, do Google: a Samsung ficou com 28% e a Motorola, com 25%.

A Research in Motion, fabricante do BlackBerry, viu o seu índice de retenção cair de 62% para 33% nos últimos 18 meses.

Conforme a pesquisa, o Android se saiu melhor quando os usuários foram perguntados apenas sobre o software, com 55% dizendo que permaneceriam com a plataforma do Google.

No entanto, 31% dos donos de Android indicaram que mudariam para um iPhone no próximo celular.

A pesquisa da UBS também revelou que, entre os consumidores que planejam trocar de fabricante, mais de 50% pretendem comprar um iPhone.

G1


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]