Ciclista ultraequipado faz imagens para serviço de mapas do Google

Funcionários passeiam em Paris nas áreas restritas a pedestres.
Imagens irão para o serviço Street View, que mostra ruas de cidades.
Tecnologia CamerasBike Google 01

O Google contratou dois jovens em Paris para percorrer, usando um triciclo ultraequipado, as áreas de Paris restritas a pedestres. As imagens registradas pelas câmeras e arquivadas em equipamentos protegidos em uma caixa — tudo carregado pelo próprio triciclo — serão usadas no Street View, em que usuários do Google Mapas conseguem visualizar as ruas de diversas cidades como se estivessem caminhando por elas. (Foto: AP)

Tecnologia CamerasBike Google 02

Arthur Poirier, contratado pelo Google para registrar imagens, percorreu áreas de Paris com o triciclo. (Foto: AP)

Do G1, com informações da AP


[ad name=”Retangulo – Anuncios – Duplo”]

Google Arte Project: Museus na WEB com tecnologia do Street View

Google usa Street View para colocar MAM e Pinacoteca de SP na web
Usuários poderão passear pelos museus e visualizar as obras de arte.
Empresa usou veículo com 15 câmeras para captar as imagens em 360º.

Usuários poderão passear virtualmente pela Pinacoteca de SP (foto) e pelo MAM (Foto: Reprodução)

O Google anunciou nesta terça-feira (3) a inclusão do Museu de Arte Moderna (MAM) e a Pinacoteca de São Paulo no Art Project, que permite fazer passeios virtuais por exposições usando a tecnologia do Street View.

Os dois museus foram os primeiros no Brasil a fazer parte do projeto do Google, que incluiu nesta terça-feira (3) mais países ao serviço.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

Hoje, são 151 museus de 40 países no total – 10 instituições da América Latina. O Art Project foi lançado em 2011 com 17 museus de 9 países.

“Agora, temos exemplos de obras e artistas de todos os tipos ao redor do mundo”, disse Alessandro Germano, gerente de novos negócios do Google Brasil, responsável pelo Art Project, em evento realizado na Pinacoteca.

Para usar o recurso, o usuário precisa acessar o site “Google Art Project” (clique aqui), escolher o Brasil como país e clicar no museu desejado.

Desse modo, é possível visualizar a exposição com imagens em alta definição.

Para o passeio virtual, é preciso clicar no ícone do Street View que fica no topo da tela.

'Trolley' captura imagens em 360º por meio de 15 câmeras (Foto: Laura Brentano/G1)

Google usou um veículo pequeno com 15 câmeras que captam as imagens em 360º, chamado “trolley”, para fotografar o interior dos museus.

Os usuários poderão navegar pelos ambientes onde estão expostas as obras como se estivessem usando o serviço Street View, que fotografa cidades e as disponibiliza on-line.

Alta definição
O Art Project também permite acessar obras em alta definição.

No total, o serviço conta hoje com 30 mil obras – 98 são da Pinacoteca e 86 do MAM.

Conforme Germano, as instituições decidem quais obras podem e devem participar do projeto.

Em cada museu, o Google disponibiliza ainda uma obra em altíssima definição por meio da tecnologia “Gigapixel”.

Na Pinacoteca, a obra escolhida foi “Saudade”, de Almeida Júnior, que pode ser acessada com resolução de 7 bilhões de pixels. O mesmo recurso foi usado no painel “Os Gêmeos”, que está no MAM.

'Saudade', de Almeida Júnior, pode ser acessada com resolução de 7 bilhões de pixels (Foto: Reprodução)

Para o Art Project, o MAM escolheu obras que não são do museu. A maioria faz parte de uma exposição temporária. No caso da Pinacoteca, as obras disponibilizadas estão no acervo da instituição.

“Um dos objetivos é incentivar a visita ao museu, apresentar obras que poderão ser vistas quando a pessoa for ao local”, disse Marcelo Araújo, diretor-executivo da Pinacoteca.

“Não vemos o projeto com interesse financeiro. O acervo da Pinacoteca é público e queremos aumentar sua acessibilidade”, completou.

“A contrapartida do projeto é o potencial pedagógico que se amplia para o acesso mundial”, acrescentou Felipe Chaimovich, curador do MAM. “Essa iniciativa pioneira do Google enfrenta os desafios de tornar patrimônios de difícil acesso efetivamente públicos”.

Sobre o interesse financeiro do Google, Fabio Coelho, presidente da companhia no Brasil, disse que o Art Project tem uma motivação muito maior que a econômica.

“O Google tem uma proposta de construir uma web melhor, mais aberta, para estabelecer uma sociedade melhor.

O negócio é uma perna disso.

O Google quer abrir as portas para a construção de um ambiente virtual mais saudável para, no futuro, termos uma sociedade mais informada e conectada. Nem tudo tem a ver com resultado imediato”.

Obras do MAM podem ser visualizadas em alta resolução na web (Foto: Reprodução)

Segundo Germano, o Google tem interesse em ampliar o projeto e expandir o Art Project para outros museus do Brasil.

“É um processo contínuo. Temos interesse em continuar adicionando novas obras”, disse, sem revelar quais instituições o Google estaria negociando.
Laura Brentano/G1, em São Paulo

Google Street View na Alemanha

Bianca Keybach, chefe de turismo da cidade de Oberstaufen, no sul da Alemanha, anda em bicicleta usada no serviço Street View. Foto: Stefan Puchner/AFP

Google Street View estreia na Alemanha após 244 mil casas serem distorcidas

Famílias pediram para não aparecer no serviço de fotos panorâmicas.

Google admitiu que carros recolheram dados de usuários.

O Google estreou nesta terça-feira (2) o serviço “Street View” na Alemanha depois de ter distorcido 244 mil imagens de casas a pedido das famílias.

A empresa já publicou as primeiras imagens on-line fotografadas no país.

Dentre elas está ruas de um pequeno povoado, dez estádios de futebol e cinco monumentos turísticos, como o porto de Elba, na cidade de Hamburgo, e a Coluna da Vitória, em Berlim.

As câmeras do Google, que registraram as ruas das 20 principais cidades do país, foram fortemente criticadas na Alemanha.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

Políticos e moradores condenaram o serviço alegando que ele atenta contra a privacidade e fornece informações que podem ser usadas por assaltantes.

Privacidade

Após vários encontros com o governo alemão, o Google se comprometeu a distorcer imagens de casas de famílias que não gostariam de aparecer no serviço.

O total de pedidos, de acordo com o último boletim da companhia, foi de 244.237.

Em outubro, o Google admitiu que uma frota de carros usados para o Street View, com equipamentos sem fio (wireless), inadvertidamente recolheu e-mails e senhas de usuários de computadores em vários países.

Agencia EFE

Tecnologia e invasão de privacidade: Espanha processa o Goggle

[ad#Retangulo – Anuncios – Esquerda]Google é processado na Espanha

A Agência Espanhola de Proteção de Dados (AEPD) informou nesta segunda-feira, 18, que abriu um processo contra o Google Espanha por conta da captação de dados pessoais das redes Wi-fi para o serviço Street View. A abertura do processo foi feita após a agência finalizar uma investigação iniciada em maio deste ano.

Segundo a AEPD, foram constatados indícios de duas infrações graves e três muito graves da legislação espanhola, como a captação e armazenamento de dados pessoais sem consentimento.

O órgão destacou que foi verificada a captação de dados de localização de redes Wi-fi com identificação de seus titulares, e de dados pessoais de diversos tipos: contatos de e-mail (com nomes e sobrenomes), mensagens associadas às contas e serviços de mensagem, além de códigos de usuário e senhas, entre outros.

Das cinco infrações constatadas, duas são imputáveis ao Google Inc. como responsável pelo serviço e pelo desenvolvimento do software de coleta de dados para o Street View, e três ao Google Espanha como responsável pela captação e armazenamento dos dados no país e sua transferência aos Estados Unidos.

O procedimento sancionador pode obrigar o Google Espanha e o Google Inc. a pagar multas de 60.101 a 300.506 euros pela coleta e armazenamento de dados pessoais sem o consentimento de seus titulares.

As outras duas infrações, consideradas muito graves, preveem multas de 300.506 a 601.012 euros pela captação de informação que permitia o acesso a dados protegidos sem o consentimento expresso de seus titulares, nem habilitação legal para isso, como exige a Lei espanhola.

EFE

Google é investigado nos Estados Unidos por coleta de dados

Justiça de Connecticut investigará coleta de dados do Google.

o secretário de Justiça de Connecticut anunciou que conduzirá uma investigação de múltiplos Estados norte-americanos sobre a coleta pelo Google de dados de redes sem fio. A coleta foi feita por veículos que fotografam ruas para o serviço Street View da empresa.

O secretário Richard Blumenthal disse na segunda-feira que mais de 30 Estados dos EUA participaram de uma recente teleconferência sobre a questão.

Foi o mais recente desdobramento em uma controvérsia sobre defesa da privacidade que irrompeu em maio, com a notícia de que os veículos do Google Street View recolheram alguns dados pessoais que estavam sendo transmitidos por redes Wi-Fi.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

A companhia já enfrenta uma investigação informal sobre o assunto pela Comissão Federal do Comércio (FTC) dos Estados Unidos e diversos inquéritos em outros países e processos judiciais coletivos.

“Meu gabinete liderará uma investigação multiestadual, com o envolvimento de número significativo de Estados, sobre a invasão muito perturbadora que o Google praticou contra a privacidade pessoal”, afirmou Blumenthal em comunicado.

“Os consumidores têm o direito e a necessidade de saber que informações, as quais podem incluir endereços de e-mail, dados sobre hábitos de navegação on-line e senhas da Web, foram recolhidas pelo Google, como e por que razão.”

Blumenthal diz que o Google vem colaborando, mas “as respostas que ofereceu até agora só serviram para gerar novas dúvidas”.

“Nossa investigação vai considerar se leis foram violadas e se mudanças nos estatutos federais e estaduais são necessárias”, afirmou.

O Google usa frotas de veículos em todo mundo para recolher imagens panorâmicas de ruas, já há alguns anos. As pessoas que usam o atlas online do Google em busca de endereços e informações muitas vezes podem visualizar fotos recolhidas pelo Street View.

O Google diz que utiliza dados sobre a localização de redes Wi-Fi para melhorar os serviços baseados em localização nos celulares inteligentes acionados por seu sistema operacional.

A empresa revelou que sua frota estava coletando dados de redes sem fio em abril, mas na ocasião disse que nenhuma informação pessoal dessas redes estavam envolvidas no caso.

Porém, depois de uma auditoria pedida pela Alemanha, o Google reconheceu em maio que estava recolhendo informações de maneira equivocada.

Folha de S.Paulo/Reuters

Google lança ‘Street View” no Brasil

Google lança serviço de imagens Street View no Brasil

Google Street View FiatClique na imagem para ampliar
Modelo Fiat Stilo foi adaptado para receber o kit de captura de imagens do Google Street View.

O Google anunciou nesta quinta-feira (2) que as cidades de São Paulo, Belo Horizonte e Rio de Janeiro serão as primeiras do país a receberem o serviço Street View, que digitaliza imagens das ruas no serviço de mapas da empresa.

Essa ferramenta, disponível tanto no Google Maps quanto no Google Earth, permite que o usuário “navegue” por uma região, visualizando fachadas e outros elementos urbanos fotografados e transformados em um ambiente virtual.

A parceria do Google com a Fiat leva às ruas 30 carros modelo Stilo, adaptados para capturar as imagens enquanto circulam. Ao todo, nove câmeras instaladas no topo do carro fotografam os ambientes – as imagens são sincronizadas com um aparelho GPS e armazenadas em um computador embarcado no veículo.

O objetivo da empresa é digitalizar todas as ruas das regiões metropolitanas dessas cidades, o que resulta, segundo estimativas, em 1 milhão de quilômetros a serem percorridos.

Fotografando as ruasGoogle Street ViewClique na imagem para ampliar
Street View permite ao usuário visualizar imagens panorâmicas capturadas por veículos.

Segundo Marcelo Quintella, gerente de produtos do Google, a captura das imagens começa nesta quinta, mas não existe previsão de quando elas estarão disponíveis on-line. Depois de capturadas, as fotografias passam por tratamento e só depois são incluídas no sistema. A publicação das imagens de São Paulo, Belo Horizonte e Rio de Janeiro ocorrerá simultaneamente, segundo a empresa.

A lista das próximas cidades a serem digitalizadas não está definida. Segundo Quintella, a prioridade será atender o interesse do usuário, levando em consideração as principais cidades do país.

Interesse público

“O Street View tem uma dimensão de serviço público que não pode ser ignorada”, disse Alex Dias, diretor-executivo do Google no Brasil. Ele destaca que órgãos públicos poderão aplicar o Street View em projetos turísticos, por exemplo.

Outras situações citadas pelo Google envolvem soluções para o transporte urbano, como informações sobre roteiros de ônibus, e até segurança pública, como auxílio em ações de bombeiros ao atender emergências em locais desconhecidos.

O Street View existe desde 2007 e é alvo de críticas sobre invasão de privacidade em outros países, tendo “flagrado” pessoas em situações consideradas impróprias pelos usuários. Atualmente, o sistema aplica um filtro automático para preservar a identidade de pessoas e as placas de automóveis. O usuário que se sentir ofendido por alguma cena pode usar um formulário de reclamação disponível no próprio serviço: ele indica a imagem polêmica e explica sua reclamação.

Renato Bueno – G1

Google atropela veado nos EUA

imagens-do-atropelamento-chegaram-a-ser-publicadas-no-site-de-mapas-do-google
Imagens do atropelamento chegaram a ser publicadas no site de mapas do Google.

Clique para ampliar

Google admitiu acidente, que ganhou repercussão na blogosfera.
Motorista alertou a polícia; animal deixou a área antes de receber socorro.

Apesar das demissões anunciadas por grandes fabricantes de eletrônicos nesta semana, o assunto mais quente entre os fãs de tecnologia é o atropelamento de um veado, que foi atingido por um carro do Google. O veículo coletava imagens de ruas para o serviço Street View, do Google Mapas, quando atingiu o animal em Rush, Nova York. Em seu blog, o Google confirmou as informações divulgadas em primeira mão pelo site “The Daily What”.

acidente-foi-tirado-do-ar-agora-quando-acessa-a-area-esta-e-a-imagem-que-o-internauta-ve
Acidente foi tirado do ar. Agora, quando acessa a área, esta é a imagem que o internauta vê.

Clique para ampliar

As imagens acima, diz o blog “Gizmodo”, foram postadas no site de mapas. Depois, saíram do ar e agora não podem ser mais visualizadas pelos internautas. Ao clicar na região onde o acidente aconteceu, a imagem que aparece é esta:

Em um post publicado na quinta-feira (29), o Google afirmou que “a coleta de imagens para o serviço Street View requer habilidade na direção. Por isso, levamos a segurança muito a sério. Infelizmente, acidentes acontecem – como algumas pessoas já estão sabendo, um de nossos carros atropelou um veado em uma área rural do Estado de Nova York”.

O Google também admitiu que, por conta de diversas solicitações, as imagens do acidente foram retiradas do ar. E informou que o motorista, “bastante chateado”, alertou a polícia e sua equipe no Google sobre o acidente. O animal conseguiu se movimentar e deixou a área do acidente antes que a polícia chegasse para socorrê-lo, afirmou a empresa.

do G1