Shakespeare – Versos na tarde – 31/10/2017

Soneto LXX William Shakespeare¹ Se te censuram, não é teu defeito, Porque a injúria os mais belos pretende; Da graça o ornamento é vão, suspeito, Corvo a sujar o céu que mais esplende. Enquanto fores bom, a injúria prova Que tens valor, que o tempo te venera, Pois o Verme na flor gozo renova, E … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , , , ,

Shakespeare – Versos na tarde – 25/09/2017

Soneto II Shakespeare ¹ Passados quarenta invernos sobre a tua fronte, Após cavarem fundos sulcos nos vergéis de tua beleza, O vigor de tua orgulhosa juventude, hoje tão admirada, Será um esmaecido ramo sem nenhum valor.   Então, ao te perguntarem onde está o teu encanto, Onde está a riqueza de teus luxuriosos dias, Respondes, … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , ,

Lope de Vega – Versos na tarde – 08/08/2016

Soneto de repente Lope de Vega¹ Um soneto me pede Violante, nunca na vida estive em tal aperto; quatorze versos dizem que é soneto: brinca brincando lá vão três avante. Não pensei que encontrasse consoante, e na metade estou de outro quarteto; mas, se me vem o início de um terceto, cá nos quartetos nada … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , , , , ,

Carlos Pena Filho – Versos na tarde – 07/03/2016

Testamento de um Homem Sensato Carlos pena Filho¹ Quando eu morrer, não faças disparates nem fiques a pensar: “Ele era assim…” Mas senta-te num banco de jardim, calmamente comendo chocolates. Aceita o que te deixo, o quase nada destas palavras que te digo aqui: Foi mais que longa a vida que eu vivi, para ser … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , , ,

Vinicius de Moraes – Pro dia nascer melhor – 30/11/2015

Soneto do Amor Total Vinicius de Moraes ¹ Amo-te tanto, meu amor … não cante O humano coração com mais verdade … Amo-te como amigo e como amante Numa sempre diversa realidade. Amo-te afim, de um calmo amor prestante E te amo além, presente na saudade. Amo-te, enfim, com grande liberdade Dentro da eternidade e … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , , ,

Fagundes Varela – Versos na tarde – 03/07/2015

Soneto Fagundes Varela ¹ Desponta a estrela d’alva, a noite morre. Pulam no mato alígeros cantores, E doce a brisa no arraial das flores Lânguidas queixas murmurando corre. Volúvel tribo a solidão percorre Das borboletas de brilhantes cores; Soluça o arroio; diz a rola amores Nas verdes balsas donde o orvalho escorre. Tudo é luz … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , , , ,

Florbela Espanca – Versos na tarde – 14/09/2014

Lágrimas Ocultas Florbela espanca ¹ Se me ponho a cismar em outras eras Em que ri e cantei, em que era q’rida, Parece-me que foi noutras esferas, Parece-me que foi numa outra vida. E a minha triste boca dolorida Que dantes tinha o rir das Primaveras, Esbate as linhas graves e severas E cai num … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , ,

Pablo Neruda – Versos na tarde – 12/09/2014

Soneto XXVII Pablo Neruda ¹ Cantas e a sol e a céu com teu canto tua voz debulha o cereal do dia, falam os pinheiros com sua língua verde: trinam todas as aves do inverno. O mar enche seus porões de passos, de sinos, cadeias e gemidos, tilintam metais e utensílios, chiam as rodas da … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , , , ,

William Shakespeare – Versos na tarde – 03/09/2014

Soneto 35 William Shakespeare ¹ Não chores mais o erro cometido; Na fonte, há lodo; a rosa tem espinho; O sol no eclipse é sol obscurecido; Na flor também o inseto faz seu ninho; Erram todos, eu mesmo errei já tanto, Que te sobram razões de compensar Com essas faltas minhas tudo quanto Não terás … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , , ,