Sérgio Guerra, cotado para vice de Serra, nomeia funcionários fantasmas no Senado

Agora como é que fica o discurso das vestais moralistas?O DEM, atolado até o pescoço nos Panetones do Mensalão do DEM. Os fantasmas do Efraim Moraes continuam assombrando o PFL, ops, DEM. Agora o PSDB que alardeia apoio do PTB do Senador Mozarildo Cavalcante — esse, responde a processo no STF por contrabando — e pra completar tem o provável candidato à vice de Serra, Senador Sérgio Guerra, envolvido na costumeira prática dos senadores de nomear funcionários fantasmas.
PT?Ri aos bandalhos.

O Editor


Cotado para vice de Serra, Guerra nomeia “fantasmas”

Hoje na Folha Presidente do PSDB e um dos principais cotados para ser vice na chapa de José Serra à Presidência, o senador Sérgio Guerra (PE) emprega uma família de funcionários “fantasmas” no Senado, informa reportagem de Breno Costa, publicada nesta quarta-feira pela Folha (íntegra disponível para assinantes do jornal e do UOL).

Segundo a reportagem, oito parentes de Caio Mário Mello Costa Oliveira, uma espécie de “faz-tudo” do senador, foram nomeados em seu escritório de apoio em Recife, mas não dão expediente nem são conhecidos por quem trabalha lá. Cinco foram nomeados no mesmo dia, em 17 de setembro de 2009. Juntos, recebem cerca de R$ 20 mil mensais.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

A Folha informa que mesmo Caio Mário Mello Costa Oliveira, que efetivamente assessora o senador, não dá expediente no escritório, pelo qual é nomeado. Sérgio Guerra nomeou dois filhos, dois irmãos, três sobrinhos e uma cunhada de Caio Mário, todos como assessores parlamentares.

OUTRO LADO

Em entrevista por telefone e por escrito, Sérgio Guerra afirmou que todos os funcionários comissionados lotados no escritório dão “suporte” às suas atividades de senador em todo o Estado.

“Você acha que eu pago eles para quê? Para chupar chiclete? Eles me ajudam na política, no meu trabalho lá, de um jeito ou de outro.”

O senador confirmou que seu único escritório de apoio em Pernambuco é o que foi visitado pela reportagem, em Boa Viagem, em Recife.

Ao ser informado de que apenas uma secretária trabalhava no escritório, Guerra disse que ali é o local de suas “atividades mais fechadas”.

Folha de São Paulo

Revelada corrupção do DEM no Senado

Brasil: da série “O tamanho do buraco”!

Agora vamos ver como as vestais dos “Democratas” vão explicar a mão de gato. Será que assistiremos o impoluto Senador Agripino Maia chamar o Senador Efraim Moraes de ‘Chefe de Quadrilha’?

E o Senador Mão Santa — o verborrágico cobrador da moralidade, dos outros!, que foi cassado do Governo do Piauí por corrupção e responde a inquéritos no STF — ,chamar os democratas de aloprados?

O soba do Maranhão, agora com tão ilustres companhia na sarjeta, ficará firme na presidência do senado.

Realmente, como dizia Nelson Rodrigues “não tem virgem na zona!”

O editor


Processo na 12a Vara Federal de Brasília, sob segredo de Justiça, citado pela revista IstoÉ desta semana, revela o personagem que seria o “operador” do esquema de corrupção com fornecedores do Senado na área da 1a secretaria, controlada há 12 anos com mão de ferro pelo PFL/DEM: Aloysio de Brito Vieira, o “Matraca”. Segundo IstoÉ, o 1o secretário Efraim Morais (PB) recebeu R$ 300 mil/mês do esquema.

Quem pagou

Segundo matéria de Mino Pedrosa, Sérgio Pardellas e Hugo Marques, de IstoÉ, a propina era paga a Efraim Morais pela empresa Ipanema.

Quanto recebia

A Ipanema manteve contrato no valor de R$ 30 milhões até março passado, para fornecer mão-de-obra à agência, TV e rádio Senado.

Banco dos réus

Ex-presidente da Comissão de Licitação do Senado, “Matraca” é réu por corrupção ativa, formação de quadrilha e crimes da lei de licitações.

coluna Claudio Humberto

Senado: um sumidouro de dinheiro

Brasil: da série “O Tamanho do Buraco”!

Essa, também poderia ser da série “só dói quando eu rio” ou ainda da série “o que dá pra rir dá pra chorar”.

Sua (dele) ex-celência senador Efraim Moraes, primeiro secretário da mesa do senado, autorizou o pagamento de horas extras para uma única sessão do senado, para “somente” 3883 funcionários.

A “gracinha” custou ao seu, ao meu, ao nosso sofrido dinheirinho a bagatela de R$6.200.000,00.

Argh!

Senado: Efraim Moraes demitirá seis familiares

Um dos maiores acusadores do “podres” dos outros, feroz moralista na presidência da CPI dos correios, o mais contumaz dedão acusatório da tribuna senatorial, sabe-se, agora, que o “paternal” Senador Efraim Moraes, DEM-PB, é um grande protetor da família. Dele, “of course”, né mané?

Senado: Efraim demitirá seis familiares
Coluna Cláudio Humberto

Efraim emprega seis sobrinhos.

Considerado um dos parlamentares com o maior número de parentes empregados no Senado Federal, o primeiro-secretário, Efraim Moraes (DEM-PB), informou hoje que vai demitir os seis sobrinhos que trabalham em seu gabinete.

De acordo com a assessoria de Efraim, os seis sobrinhos foram contratados pelo senador porque antes não havia limitações para essas nomeações.

Os parentes do senador trabalham em Brasília e em João Pessoa (PB). Mas, de acordo com a sua assessoria, o parlamentar aguardará a publicação da súmula vinculante, aprovada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), para exonerar os seus parentes.