Francisco Carvalho – Versos na tarde – 24/12/2016

Lição de espaço Francisco Carvalho¹ O homem no espaço é a sombra de Sísifo. O espectro da esfinge A vertigem do tísico. O homem no espaço é a pedra no vértice. A folha que tomba no vórtice. ¹Francisco Carvalho * Russas, CE. – 11 de Junho de 1927 +Fortaleza,CE.  04 de Março de 2013 [ad … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , , ,

Artur Eduardo Benevides – Versos na tarde 12/04/2016

Innamorato Artur Eduardo Benevides ¹ I O som de tua voz é um ramo a nascer da árvore da vida. Com medo de perder-te, sempre que chegas sinto o travo da partida. E quero ficar à tua margem — Ó rosa e Mar! — e ver tua leveza de pássaro a voar. II Estar sem … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , , , ,

Francisco Carvalho – Versos na tarde – 13/01/2016

Poema para escrever no asfalto Francisco Carvalho¹ Agora eu sei o quanto basta à ceia do coração e o quanto sobra do naufrágio das nossas utopias. Agora eu sei o que significa a fala dos mortos e esta parábola soterrada que jorra das veias da pedra. Agora eu sei o quanto custa o ouro das … Continued

Postado na categoria: Padrão - Palavras chave: , , , , , ,

Costa Matos – Versos na Tarde – 25/06/2015

Presságios Costa Matos¹ Como foi bela e sábia a vida que tivemos! Lições em tudo… em tudo… em tudo… até nas brigas havia água e semente e terra e sol e espigas, pra nossa fome de entender tudo o que vemos neste mundo de Deus. As coisas mais antigas vividas por nós dois mostravam que … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , , , , ,

José Albano – Versos na tarde – 04/06/2015

Esparsa José Albano ¹ Há no meu peito uma porta A bater continuamente; Dentro a esperança jaz morta E o coração jaz doente Em toda parte onde eu ando, ouço este ruído infindo: São as tristezas entrando E as alegrias saindo ¹ José Albano * Fortaleza, CE. – 12 de Abril de 1882 d.C + … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , , ,

Francisco Carvalho – Versos na tarde – 12/12/2014

Engano e esperança Francisco Carvalho ¹ Se por experiência se adivinha se pela nuvem se conhece o vento se por amor dormimos ao relento sob o orvalho dos seios da vizinha Se o mar gorjeia, pássaro e elemento se põe seus ovos antes da galinha se o rei decreta a morte da rainha e dela … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , , ,

Virgílio Maia – Versos na tarde – 30/05/2014

Alvenaria Virgílio Maia ¹ Sobre pedras se eleva este soneto, em trabalhosa faina alevantado, as linhas definidas no traçado da perfeição do prumo e nível reto. Dentre tantos eleito, põe-se ereto rima por rima, embora recatado; ao martelar do metro faz-se alado, opondo ao som a luz deste quarteto. Sobre andaime de verso e de … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , , ,

Francisco Carvalho – Versos na tarde – 31/01/2014

Liturgia da seca Francisco Carvalho¹ O vento em disparada arranca as plumas da paisagem. Boi morto vaca morta bezerro morto cavalo morto. O vento arquejante assobia na estrada constelada de gritos. O dia áspero tange a diáspora (Homens aflitos se sois do Norte ide a procura de vossa morte) O vento é uma ave de … Continued

Postado na categoria: Padrão - Palavras chave: , , , ,

Lívio Barreto – Versos na tarde – 15/01/2014

Lágrimas Lívio Barreto¹ Lágrimas tristes, lágrimas doridas, Podeis rolar desconsoladamente! Vindes da ruína dolorosa e ardente Das minhas torres de luar vestidas! Órfãs trementes, órfãs desvalidas, Não tenho um seio carinhoso e quente, Frouxel de ninho, cálix recendente, Onde abrigar-vos, pérolas sentidas. Vindes da noite, vindes da amargura, Desabrochastes sobre a dura frágua Do coração … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , , ,

Juarez Leitão – Versos na tarde – 22/11/2013

Promessas Juarez Leitão¹ A manhã em verdes ventos de palmas balança. Devagar meu olhar se molha de morna cobiça. Mergulhas. Vasculhas as águas impresumível. Corcoveias sibilina e fugaz, o quadril opalino brilha num vôo trêmulo e submerge. De longe te como, Castanha, te mastigo: minha casa de palha está em chamas. O dragão tatuado não … Continued

Postado na categoria: Brasil - Palavras chave: , , , , , ,