Paul Valéry – Poesia

A adormecida Paul Valéry Que segredo incandesces no peito, minha amiga, Alma por doce máscara aspirando a flor? De que alimentos vãos teu cândido calor Gera essa irradiação: mulher adormecida?   Sopro, sonhos, silêncio, invencível quebranto, Tu triunfas, ó paz mais potente que um pranto, Quando de um pleno sono a onda grave e estendida … Continued

Postado na categoria: Literatura, Poesia - Palavras chave: , ,

Paul Valéry – Versos na tarde – 15/03/2017

O SILFO Paul Valéry¹ Entrevisto e esquivo, eu sou esse aroma finado mas vivo que no vento assoma! Entrevisto e incerto, acaso ou talento? Mal se chega perto, concluiu-se o intento! Entrelido e oculto? Que erros, ao arguto, foram prometidos! Entrevisto e alheio lapso nu de um seio entre dois vestidos! ¹Ambroise-Paul-Toussaint-Jules Valéry * Paris, … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , , , , , , , ,

Paul Valéry – Reflexões na tarde

Do ensaio “Poesia e pensamento abstrato” Paul Valéry ¹ “O poeta desperta no homem através de um acontecimento inesperado, um incidente externo ou interno: uma árvore, um rosto, um “motivo”, uma emoção, uma palavra. E às vezes é uma vontade de expressão que começa a partida, uma necessidade de traduzir o que se sente; mas … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , ,