Invenções idiotas – Câncer enxuto

Robert L. Stern, presidente da Zeus Corp, claro que só podia ser nos Estados Unidos, inventou(sic), em 1954, essa coisa aí com guarda chuva pra não molhar o cigarro.

Mundo Estranho Invenções Idiotas Cigarrilha com guarda chuva


[ad name=”Retangulo – Anuncios – Duplo”]

Diligência construída com palitos

Terry Woodling, um norte americano de 72 anos, usou 1,5 milhão de palitos pra construir a diligência.

Mundo Estranho Terry Woodling Carruagem com palitosFoto: Fox/Toledo

Terry Woodling começou a construção em 1994 e diz que gastou US$ 1,2 mil somente com a compra de palitos. A diligência é uma réplica das carruagens que circulavam no Estado de Indiana, no Velho Oeste. Segundo Terry, o “hobby” de construir coisas usando palito para dentes começou em 1981. Seu trabalho não foi registrado no ‘Guiness’, o livro dos recordes, pelo fato do uso de cola na execução do mesmo. Poxa, ainda queriam que esses milhões de palitos ficassem unidos sem usar cola?


[ad name=”Retangulo – Anuncios – Duplo”]

Roubo de papel higiênico pode dar 10 anos de cadeia na Polônia

Da série: “só dói quando eu rio”!

Papel Higiênico,Roubos inacreditáveis

Homem pode pegar 10 anos de cadeia por roubo de papel higiênico.
Além levar o papel higiênico, ele quebrou o suporte de colocar o rolo.

O homem identificado apenas como Edvin L., de 26 anos, foi preso pela polícia polonesa por ter roubado um rolo de papel higiênico de um restaurante de Varsóvia (Polônia). Por conta do roubo, ele pode pegar até dez anos de cadeia.

Edvin roubou o papel higiênico que custa menos de US$ 1, mas quebrou o suporte de colocar o rolo, elevando o dano para cerca de US$ 105, segundo publicou o diário polonês “Dziennik”.

A polícia foi chamada pelo gerente do restaurante, que viu o homem escondendo algo sob o seu casaco. Em seu site, a polícia de Varsóvia disse que o crime tinha sido um dos mais bem sucedidos desde janeiro deste ano.

do G1

Mundo estranho – Tumba com código de barras

Tumba Bar Code

A combinação da imaginação dos japoneses com a tecnologia, produz desde maravilhas tecnológicas até bizarrices outras. A empresa japonesa Ishinokoe lançou uma tumba com código de barras! E mais: eles podem ser lidos pelo celular. Quem aproximar um celular do código de barras irá receber informações sobre o decujo – termo jurídico para falecido – e, pasmem!, até a foto, quando vivo, acho, do defunto. Para os interessados em usar a novidade, a tumba cibernética custa, lá no Japão, “apenas” 10 mil dólares.

O acesso ao lugar que contém o código de barra pode ser fechado pela família para evitar “invasão de privacidade” (sic).

Tumba Bar Code 02

Deixando de lado o inusitado, os cemitérios de algumas cidades pelo mundo – o da Consolação, em São Paulo é um deles – são um passeio na história e uma mostra permanente de arte, pois muitas das sepulturas são adornadas com esculturas de artistas consagrados.

Não existe maior concentração de tumbas de famosos, por exemplo, que o cemitério de Paris, o Père-Lachaise. Entre outros, lá estão os túmulos de:

Escritores e poetas
Honoré de Balzac
Paul Éluard
Oscar Wilde
Savinien Cyrano de Bergerac
Jean de La Fontaine
Marcel Proust
Raymond Roussel
Sully Prudhomme(primeiro prêmio Nobel de Literatura)

Escultores e pintores
Eugène Delacroix
Max Ernst
Jeanne Hébuterne
Amedeo Modigliani

Filósofos, sociólogos e historiadores
Pierre Bourdieu
Fernand Braudel
Jacques-Joseph Champollion
Jean-François Champollion
Auguste Comte
Jules Michelet

Músicos, cantores,atores e cineastas
Yves Montand
Gilbert Bécaud
Maria Callas
Frédéric Chopin
Jim Morrison
Édith Piaf
Gioacchino Rossini
Enrico Tamberlick
Sarah Bernhardt
Molière
Marcel Camus
Marcel Marceau
Isadora Duncan

Outros
Allan Kardec
Laura Marx
Abelardo e Heloísa

Mundo Estranho – US$ 1 milhão por uma placa

Placa 1 Milhão de dólares
Saed Abdul Ghaffar al-Khouri posa com a placa de automóvel com apenas um dígito que arrematou em um leilão beneficente em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos. Ele deu um lance de 52,2 milhões de dirhams (cerca de R$ 25 milhões) pela placa, que se tornou a mais cara já registrada no mundo. “O valor não é tão alto comparado com a fortuna da minha família”, disse Al-Khouri, em entrevista para a agência de notícias France Presse.
“O preço é justo. Afinal, quem não deseja ser o número 1?”, completou ele.
Foto: Karim Sahib/AFP – Portal G1