Tribuna da Imprensa deixa de circular

Tribuna da Imprensa, o jornal mais combativo do país, dirigido pelo mais combativo dos jornalistas, Hélio Fernandes, deixou de circular. O jornal, conhecido pela luta contínua em favor do Brasil, foi constantemente perseguido pelos vendilhões diversos que exerceram o poder. Endividado, o jornal fundado por Carlos Lacerda, é obrigado a abandonar a trincheira do jornalismo comprometido com as causas nacionais e a democracia.

Endividado, jornal fundado por Lacerda deixa de circular
da Folha de São Paulo

A “Tribuna da Imprensa”, jornal fundado por Carlos Lacerda em 1949, deixou de circular ontem no Rio. Em sua última edição, na segunda-feira, o diário anunciou a suspensão temporária com um artigo de primeira página repleto de críticas ao ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Joaquim Barbosa.

O dono Hélio Fernandes acusa o magistrado de protelar o julgamento de uma ação contra a União no valor de R$ 10 milhões por conta de perseguições durante a ditadura. Fernandes conta com a indenização para tirar o jornal da crise.

Os 90 funcionários entraram em férias coletivas sem salários. A “Tribuna” estava vendendo 800 exemplares por dia.

A “Tribuna” teve seu grande momento nos anos 50, quando foi um dos principais instrumentos da oposição ao segundo governo Getúlio Vargas (1951-1954). Em 5 de agosto de 1954, Lacerda foi baleado no pé num atentado que custou a vida do major da Aeronáutica Rubens Vaz e aumentou a pressão sobre Vargas, acusado diariamente nas páginas do jornal de comandar um governo corrupto. O presidente se matou no dia 24 do mesmo mês.

Leia aqui o artigo do jornalista Hélio Fernandes na versão online da Tribuna  de hoje