Lope de Vega – Versos na tarde – 08/08/2016

Soneto de repente Lope de Vega¹ Um soneto me pede Violante, nunca na vida estive em tal aperto; quatorze versos dizem que é soneto: brinca brincando lá vão três avante. Não pensei que encontrasse consoante, e na metade estou de outro quarteto; mas, se me vem o início de um terceto, cá nos quartetos nada … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , , , , ,

Garcia Lorca – Versos na tarde – 16/07/2016

Sinto Garcia Lorca¹ Sinto que em minhas veias arde sangue, chama vermelha que vai cozendo minhas paixões no coração. Mulheres, por favor, derramai água: quando tudo se queima, só as fagulhas voam ao vento. ¹ Federico García Lorca * Fuente Vaqueros, Espanha – 05 de Junho de 1898 d.C + Granada, Espanha – 19 de … Continued

Postado na categoria: Padrão - Palavras chave: , , ,

Agustín Delgado – Versos na tarde – 10/08/2015

Em privado Agustín Delgado ¹ Já faz tempo que não escrevo poemas Antes gostava de ter a folha diante dos olhos e contemplar o entardecer. Agora enche-se-me pelas noites a cabeça de ruído um ruído raro e vejo palavras infinidade de libélulas desaparecem revolteando até se perderem e perco-me eu e caio sem respiração no … Continued

Postado na categoria: Padrão - Palavras chave: , , ,

Versos na tarde – Antonio Machado – 08/04/2015

Tenho andado muitos caminhos Antonio Machado¹ Tenho andado muitos caminhos tenho aberto muitas veredas; tenho navegado em cem mares e atracado em cem ribeiras Em todas partes tenho visto caravanas de tristeza orgulhosos e melancólicos borrachos de sombra negra. E pedantes ao pano que olham, calam e pensam que sabem, porque não bebem o vinho … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , , ,

Garcia Lorca – Versos na tarde – 09/02/2015

O poeta pede a seu amor que lhe escreva Garcia Lorca ¹ Amor de minhas entranhas, morte viva, em vão espero tua palavra escrita e penso, com a flor que se murcha, que se vivo sem mim quero perder-te. O ar é imortal. A pedra inerte nem conhece a sombra nem a evita. Coração interior … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , , , , ,

Joan Manuel Serrat – Versos na tarde – 25/08/2014

Poema de amor Joan Manuel Serrat ¹ O sol nos esqueceu ontem sobre a areia, nos envolveu o rumor suave do mar, teu corpo me deu calor, tinha frio, e ali na areia, entre os dois nasceu este poema, este pobre poema de amor para ti Meu fruto, minha flor, minha história de amor, minhas … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , ,

Lope de Vega – Versos na tarde- 24/03/2014

Definição do amor Lope de Vega ¹ Desmaiar-se, atrever-se, estar furioso, áspero, terno, liberal, esquivo, alentado, mortal, defunto, vivo, leal, traidor, covarde e valoroso; não ver, fora do bem, centro e repouso, mostrar-se alegre, triste, humilde, altivo, enfadado, valente, fugitivo, satisfeito, ofendido, receoso; furtar o rosto ao claro desengano, beber veneno qual licor suave, esquecer … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , ,

Garcia Lorca – Versos na tarde – 21/07/2013

Amor da minha vida Garcia Lorca¹ Amor de minhas entranhas, morte viva, em vão espero tua palavra escrita e penso, com a flor que se murcha, que se vivo sem mim quero perder-te. O ar é imortal. A pedra inerte nem conhece a sombra nem a evita. Coração interior não necessita o mel gelado que … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , , , , , ,

Francisco Brines – Versos na tarde

Os Verões Francisco Brines ¹ Foram longos e ardentes os verões! Estávamos nus à beira-mar e o mar ainda mais nu. Com os olhos, e em nossos corpos ágeis, fazíamos a mais ditosa possessão do mundo. Chegavam-nos as vozes acesas de luar e era a vida cálida e violenta, ingratos com o sono decorríamos. O … Continued

Postado na categoria: Padrão - Palavras chave: , , ,

Miguel de Unamuno – Versos na tarde

Verei por ti Miguel de Unamuno ¹ «Desconheço-me», dizes, mas olha, tem por certo que a conhecer-se começa o homem quando clama «Desconheço-me» e chora; a seus olhos então o coração aberto da sua vida encontra a verdadeira trama; é então sua aurora. Não, ninguém se conhece, até que o toca a luz de uma … Continued

Postado na categoria: Padrão - Palavras chave: , , ,