Avião Hércules C-130 cai na Indonésia, 97 mortos

INDONESIA-CRASH/
Avião militar Hércules C-130 com 109 pessoas a bordo atingiu quatro imóveis durante a queda

Pelo menos 97 pessoas morreram na queda de um avião militar nesta terça-feira, 19, com mais de cem pessoas a bordo na ilha indonésia de Java, informou um porta-voz aeroportuário. O aparelho, um Hércules C-130 que decolou de Jacarta, transportava 96 passageiros e 13 tripulantes que participavam de uma missão rotineira de treinamento. Até o momento, não se sabe o que levou a aeronave a perder altura e bater em quatro imóveis antes de aterrissar em um arrozal na província de Java Oriental.

Rustam Pakaya, o chefe do centro de crises do Ministério da Saúde, disse à Reuters por telefone que 97 pessoas foram mortas e 15 feridas, incluindo algumas que estavam no solo.

O comandante Bambang Samoedro, da força área com base perto do local do acidente, afirma que 90 morreram. “Nós identificamos 105 pessoas. Cinco delas sofreram ferimentos leves, 10 ferimentos graves e o resto morreu”, disse Samoedro por telefone.

A televisão indonésia mostrou imagens de uma floresta em chamas no local do acidente, nas proximidades da cidade de Madian, e de onde se via soldados retirando em macas os corpos das vítimas. Segundo os relatos das testemunhas, apenas a parte de trás do avião não ficou totalmente destruída.

Há apenas uma semana, a Força Aérea da Indonésia ordenou a inspeção de toda a sua frota de Hércules C-130 depois de um deles ter de pousar em Papua sem o trem de aterrissagem traseiro.

Sete acidentes aéreos – com um total de 37 mortes – foram registrados nos últimos dois meses na Indonésia, um país no qual a média destes incidentes é de 2,1 por cada milhão de voos. O mais grave deles aconteceu no dia 7 de abril, quando 24 soldados perderam a vida quando o avião no qual viajavam se chocou contra um hangar do aeroporto de Bandung, no oeste de Java.

A Comissão Europeia proibiu em 2007 a todas as companhias aéreas indonésias de sobrevoar seu espaço aéreo, porque descumpriam as normas comunitárias sobre segurança.

do Estadão

Britânico, Ben Southall, é o zelador da Ilha de Hamilton na Austrália

foto-ben-southall-zelador-ilha-hamilton-australia

Um britânico de 34 anos foi escolhido o novo zelador de uma ilha paradisíaca na Austrália depois de competir com outros 35 mil candidatos.

[ad#Retangulo – Anuncios – Esquerda]A disputa pela vaga fazia parte de uma campanha para promover a ilha e que oferecia o que foi descrito como o “melhor emprego do mundo”.

Ben Southall, que trabalha na arrecadação de fundos para a ONG Petersfield, em Hampshire, na Inglaterra, será o zelador da ilha na costa do Estado de Queensland, na Austrália.

No novo emprego, com salário de US$ 110 mil por ano (cerca de R$ 234 mil), Southall terá que viver por seis meses na ilha de Hamilton, localizada em meio à barreira de corais australiana.

O processo de seleção —uma campanha mundial para escolher o novo zelador— foi também uma estratégia de marketing para promover o turismo na Austrália, que vem decaindo com a crise econômica mundial.

Southall foi escolhido entre 16 finalistas que competiam pela vaga.

O anúncio foi feito em uma cerimônia organizada pelo departamento de turismo de Queensland, com a presença de todos os finalistas, no estilo de um “reality show”.

Southall foi parabenizado pelos outros concorrentes depois de ter o nome anunciado. Além do salário, a vaga de zelador é oferecida com uma casa de três quartos na beira da praia, com piscina e um carrinho de golfe.

O emprego ainda exige que Southall “explore as ilhas da barreira de coral, nade, mergulhe com snorkel, fique amigo dos moradores locais e aproveite o clima e estilo de vida da ilha australiana”.

As autoridades de Queensland receberam fichas de inscrição de candidatos de quase todos os países do mundo, com exceção da Coreia do Norte e alguns países africanos.

do Saiu no Jornal

Ilha Hamilton – O melhor emprego do mundo tem 16 selecionados

o-melhor-emprego-do-mundo-ilha-hamilton-foto-finalista
Foto divulgada pela administração de Turismo de Queensland anuncia o 'melhor emprego do mundo' (Foto: AP)

Temos como selecionados 16 candidatos, veja aqui o perfil de cada candidato: Clarke, James, Anjaan, George, Yi, Greg, Ben, Juweon, Mieko, Hailey, Erik, Mirjam, Ben, Magali, Cali, Clare

Goog Luck para todos!!!!
[ad#Retangulo – Anuncios – Esquerda]
O processo seletivo para o que seria ‘o melhor trabalho do mundo‘ está na fase final. Nesta semana, o departamento de Turismo de Queensland, na Austrália, anunciou os nomes dos 16 finalistas para a vaga de ‘zelador‘ de uma ilha da grande barreira Coralina, o maior recife de corais do mundo. O salário é de US$ 100 mil (o que representa R$ 224 mil) para o trabalho de seis meses, que será o de fotografar, gravar vídeos e publicar semanalmente informações do local em um blog.

Os escolhidos irão para a ilha, do dia 3 a 6 de maio, para a final da seleção. Entre os finalistas estão um DJ da Índia, um apresentador de TV neozelandês, uma recepcionista japonesa e uma atriz alemã . O nome do ganhador sairá em 6 de maio e o novo empregado começará a trabalhar em 1º de julho.

Mais de 18 mil pessoas de quase 200 países inscreveram-se para concorrer ao posto. Entre os 50 finalistas selecionados (nenhum brasileiro), que saíram de uma lista de mais de 34 mil candidatos, estavam cidadãos de 22 países, em sua maioria de Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Austrália, Alemanha, Itália e França. Todos eles foram parar em uma votação na internet para decidir quem seriam os finalistas.

Toda esta disputa faz parte da promoção da ilha Hamilton, a Grande Barreira de Corais e as praias tropicais de Queensland. O concurso faz parte da campanha propagandista à qual o governo de Queensland destinou mais de US$ 1 milhão.

Eleição pela internet

Uma mergulhadora e intérprete de Taiwan foi quem ganhou a eleição via internet. Ela é uma das 16 finalistas.

Clare Wang, que se autodenomina ‘supercuriosa’, foi quem ficou com a primeira posição e está mais perto de vencer o posto. Clare recebeu 151.676 votos via internet, quase três vezes mais do que o segundo colocado, um canadense, que obteve 55.532 votos. O terceiro foi um irlandês, com 30.372 votos.

“Clare fez um trabalho magnífico para promover a barreira de corais e não ganhou apoio apenas dos cidadãos de Taiwan”, afirmou o diretor-executivo de Queensland, Anthony Hayes. No vídeo, Clare chega a até criar um diálogo entre o presidente chinês Hu Jintao e o presidente americano Barack Obama.

‘Demitida’
Já a bióloga russa, Julia Yalovitsyna, de 29 anos, que estava em segundo lugar na votação on-line, acabou sendo excluída do processo de seleção.

O marido dela é, segundo a polícia russa, investigado em um caso de parte de uma rede de pornografia ilegal na internet.

“Julia nos disse que ela não está envolvida neste problema e nossa investigação não encontrou nenhuma evidência contrária”, afirmou Hayes. “Porém, recebemos um vídeo inapropriado dela que foi postado na internet. Assim, decidimos excluí-la do processo”, completou.

do G1

Fiscal da natureza – Mais de 30 mil canditados para emprego na Ilha Hamilton/Austrália

fiscal-da-natureza-mais-de-30-mil-canditados-para-emprego-na-ilha-hamiltonaustralia

[ad#Retangulo – Anuncios – Esquerda]Mais de 30 mil pessoas de 200 países se candidataram para a vaga de zelador da ilha tropical de Hamilton, uma área paradisíaca na grande barreira de corais no Estado de Queensland, na Austrália. Somente no último final de semana, 7.500 candidatos enviaram os currículos para a vaga.

“A reação foi fenomenal e muito superior ao esperado”, afirmou o secretário de Turismo de Queensland, Anthony Hayes. Os americanos foram os mais interessados no emprego, com 11.565 candidaturas, seguidos pelos canadenses (2.791) e australianos (2.064).

A vaga é para um contrato de seis meses e o salário é de US$ 150 mil (R$ 235 mil) pelo semestre –o que representa pouco menos de R$ 40 mil mensais.

O escolhido, que deve ter no mínimo 18 anos, terá por missão tomar sol, vagar pelas praias de areia branca, explorar o fundo do mar, realizar pequenos trabalhos e alimentar a cada semana um blog com fotos e vídeos.

O zelador, que se hospedará em uma residência luxuosa com piscina e campo de golfe, deve ser um bom nadador, com facilidade de comunicação e capacidade para ler e escrever em inglês.

da Folha

Fiscal da natureza – O melhor emprego do mundo é na Ilha Hamilton/Austrália

O melhor emprego do mundo

Foto: O melhor emprego do mundo é na Ilha Hamilton/Austrália


AUTALIZAÇÃO – 06/05/2009

Saiu o Resultado da escolha melhor emprego do mundo da Ilha Hamilton na Autrália.
[ad#Retangulo – Anuncios – Esquerda]O Britânico Ben Southall foi o escolhido!

A Grande procura pelo site deixou-o  fora do ar nessa terça-feira(13). Cerca de 160 mil pessoas acessaram na segunda-feira o site para saber como poderiam se candidatar à vaga para viver na ilha. Mais detalhes no site do jornal britânico Daily Mail.

O governo do Estado de Queensland, na Austrália, está oferecendo o que considera “o melhor emprego do mundo”: o de zelador de uma ilha paradisíaca.

O local de trabalho é a ilha Hamilton, uma das 600 ilhas da Grande Barreira Coralina – o maior recife de coral do mundo, que abriga um complexo e diverso ecossistema.

A vaga é para um contrato de seis meses e o salário é de US$150 mil (R$235 mil) pelo semestre – o que representa pouco menos de R$ 40 mil mensais.

Entre as responsabilidades está a coleta das correspondências, alimentar tartarugas marinhas e peixes, limpar as piscinas, observar baleias e mergulhar.

O governo esclarece que o candidato não precisa de qualificações acadêmicas, mas saber mergulhar, nadar e ter espírito aventureiro.

“O fato de que o contratado será pago para explorar as ilhas da Grande Barreira Coralina, nadar, mergulhar e viver no estilo de vida de Queensland faz desse sem dúvidas o melhor emprego do mundo”, disse o primeiro-ministro interino de Queensland, Paul Lucas.

Na ilha de Hamilton, o governo oferece acomodação em uma casa de três quartos e sacadas com vista para o mar, além de um buggy para transporte na ilha.

Além de cuidar das tarefas rotineiras, o empregado também deverá manter blogs, diário de fotos e vídeos sobre o trabalho.

Marketing

De acordo com a ministra a ministra do Turismo de Queensland, Desley Boyle, além da contratação de um candidato apropriado para a vaga, o processo de seleção faz parte de uma campanha de marketing para incentivar o turismo na região.

“Queremos abrir nossas portas para o mundo e convidar um sortudo para viver em Queensland por seis meses e depois contar para o mundo sobre as experiências que teve por aqui”, disse Boyle.

Os candidatos devem preencher uma ficha de inscrição e enviar um vídeo de 60 segundos para participar do processo de seleção. Os selecionados participarão de uma entrevista.

O processo de seleção está aberto até 22 de fevereiro e o nome do novo empregado será anunciado no dia 6 de maio. O contratado deve começar a trabalhar no início de julho.

“Acredito que o maior risco será que o empregado não vai querer ir para casa no final dos seis meses”, disse Boyle.

da BBCBrasil