2016: o ano da Realidade Virtual

“Eu escalei o monte Everest, caminhando por uma ponte instável enquanto tentava não olhar para o abismo de gelo abaixo. Depois acompanhei uma menina de 18 anos com medo de elevadores enfrentar uma série dessas situações ao tratar sua fobia. E finalmente vi um grupo de crianças fazer um tour por um museu sem deixar o hospital em que são pacientes de longa internação.”

A expectativa é que 2016 marque a popularização de diversas aplicações em realidade virtual

Caso você não tenha adivinhado a partir do relato do correspondente de tecnologia da BBC Rory Cellan-Jones, esses são todos exemplos do uso da tecnologia de realidade virtual, que deve ser a principal tendência tecnológica de 2016.

Dado o volume de investimento feito por grandes empresas como Facebook, Sony e HTC, será uma decepção, diz Cellan-Jones, se finalmente a realidade virtual (ou VR, na sigla em inglês) não se tornar realidade em muitas casas neste ano.[ad name=”Retangulo – Anuncios – Direita”]

A subida do Everest citada pelo repórter, por exemplo, foi uma cortesia do headset HTC Vive VR e de um jogo desenvolvido pela firma da Islândia Solfar Studios.

O lançamento do HTC Vive, apontado por muitos como a melhor experiência em VR, estava marcado para o final de 2015, mas acabou sendo adiado para ajustes.

O jogo Everest VR usa centenas de milhares de fotos reais da montanha para criar sua visualização – Image copyright Solfar

Agora, o HTC Vive deverá, nos próximos meses, se juntar no mercado a equipamentos como o PlayStation VR da Sony e o Oculus Rift do Facebook.

A indústria de games aposta alto na realidade virtual, mas ainda há dúvidas sobre o volume de conteúdo que estará disponível no começo da trajetória de mercado dessa tecnologia.

Jogos como o Everest proporcionam uma experiência incrível de imersão. Mas transformar aquele primeiro momento de admiração em um jogo que fornece meses de entretenimento não será fácil.

E ainda será preciso comprovar se os gamers mais fanáticos irão correr para investir nessa tecnologia.

Para Cellan-Jones, muitos gamers poderão encarar a VR apenas como um truque da indústria para chamar atenção, como ocorreu com o sensor de movimento Kinect, da Microsoft.

Aplicações no cotidiano

Mas a tecnologia do Kinect descobriu muitos usos para além dos videogames, e a realidade virtual também poderá seguir esse caminho e se tornar uma inovação em diversas áreas da vida.

Dois psicólogos de Londres, Ashley Conway e Vanessa Ruspoli, acreditam que esse seja o caso. Eles desenvolveram um sistema que usa o headset do Oculus Rift para tratar pacientes com fobias.

Helena conseguiu entrar em um elevador de verdade após praticar em realidade virtual

A empresa da dupla, Virtual Exposure Therapy (terapia da exposição virtual, em tradução livre), procura submeter os pacientes a coisas que temem, mas no mundo virtual.

A BBC acompanhou a jovem Helena, que sempre teve medo de entrar em elevadores, sendo guiada por uma série de espaços cada vez menores.

Ruspoli checava os níveis de ansiedade da jovem enquanto ela entrava em cada elevador, e depois de algum tempo Helena se tranquilizou.

“Não é o mundo real, mas é uma experiência bem visceral”, disse Conway. “Você tem uma reação fisiológica. É uma boa ponte entre não conseguir fazer algo e fazer de fato no mundo real.”

A HTC deverá revelar a atualização de seu headset Vive na próxima semana
Image copyrightGetty

Os psicólogos planejam usar o sistema para tratar várias fobias, de agorafobia (medo de espaços abertos ou multidões) ao temor de voar em aviões.

Depois do tratamento, a equipe da BBC convenceu Helena a entrar em um elevador velho e barulhento.

Ela disse que a realidade virtual fez diferença, e teria optado pelas escadas no passado.

Empresas e órgãos públicos em breve poderão usar a VR como meio de interação com clientes e cidadãos – corretores de imóveis poderão disponibilizar tours virtuais por propriedades à venda, por exemplo.

Museu virtual

Sistemas mais baratos e simples como o Cardboard VR headset do Google, que funciona em um smartphone, poderão proporcionar as primeiras experiências em VR para muitas pessoas.

Jovens pacientes experimentam um tour por uma galeria de arte com ajuda do Cardboard VR headset do Google

A galeria de arte Dulwich Picture, em Londres, está tentando usar o aparelho do Google para oferecer experiências em realidade virtual.

Desenvolveu um tour simples pela galeria e testou em jovens pacientes no hospital do King’s College. Em geral, as reações foram de prazer e diversão.

“Você se sente estando lá e vendo as pinturas. É muito legal”, disse Lucy.

Em geral, o tour virtual foi aprovado pelas crianças, mas para algumas a experiência não foi boa como a vida real

Para Edward, a experiência “não é tão boa como a coisa real, não é como um museu de verdade.”

A realidade virtual irá trazer novos meios de comunicação para todos os tipos de organizações e negócios. E neste ano poderemos descobrir se, como diz Edward, é algo tão bom como a “coisa de verdade”
BBC

Smartphone do Facebook Projeto de codinome “Buffy”

Com o grande volume de notícias do gadget ser liberado para a temporada de compras pré-feriado, está ficando mais difícil de dizer que os boatos são legítimas, e que são simplesmente para as pessoas falarem.

De acordo com o site “AllThingsD”, projeto do smartphone do Facebook (que tem sido alvo de rumores há meses) está sendo reformulado, como a gigante da rede social trabalha com a HTC para finalizar os detalhes do seu dispositivo.

OS do telefone supostamente vai ser baseado fora de uma versão modificada do Android.

Ah, e este smartphone tem um nome. O nome de código para o projeto é “Buffy” – sim, depois de “Buffy the Vampire Slayer”.

Uma vez que já existem telefones que usam integrado Facebook, veja aqui como “Buffy” supostamente vai ser diferente:

De acordo com AllThingsD, a “Buffy” telefone Facebook será diferente desses outros dispositivos outros, porque não vai apenas fornecer acesso ao Facebook. Em vez disso, ele terá a tecnologia de rede social desenvolvido pela empresa integrada no dispositivo “. – CNET News

Claro, AllThingsD cita “sem nome” fontes para essa informação, por isso é difícil saber se isso é realmente verdade.
Carolyn Glatz/Gerafuse


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Windows Phone 7 chega no final do mês


Aparelho da HTC com Windows Phone 7. (Foto: Divulgação)

Nove aparelhos com Windows Phone 7 chegam no final do mês

Celulares serão vendidos em alguns países da Europa, Ásia e nos EUA.

Ainda não há previsão de lançamento no Brasil.

A Microsoft apresentou nesta segunda-feira (11) nove aparelhos com o novo sistema operacional Windows Phone 7 que chegarão às lojas da Europa, Ásia e dos Estados Unidos para as vendas de Natal.

Segundo a assessoria de imprensa da companhia, ainda não há previsão de lançamento de celulares com o novo sistema no Brasil.

A partir de 21 de outubro, alguns países da Europa e da Ásia já começarão a vender os novos smartphones, e no início de novembro, os aparelhos com o sistema da Microsoft chegarão aos Estados Unidos.

Os celulares com o Windows Phone 7 foram apresentados por Steve Ballmer, presidente-executivo da Microsoft, em uma coletiva de imprensa em Nova York.

“A Microsoft e os seus parceiros estão apresentando uma experiência diferente de celulares”, disse Ballmer.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

Entre os parceiros que irão fabricar aparelhos com o sistema estão Dell, HTC, LG e Samsung.

Os novos celulares são integrados com programas da Microsoft, como Xbox LIVE, Microsoft Office Mobile, Zune, Windows Live e Bing.

“Hubs” e botões fixos

O Windows Phone 7 tenta repetir a experiência bem sucedida da Apple.

Os botões físicos dos aparelhos são padronizados: os fabricantes terão de disponibilizar a tecla “Windows”, que volta para a tela inicial, a tecla “voltar”, para retroceder uma tela na navegação, e o botão de busca, com ícone em formato de lupa.

O usuário que comprar o aparelho com o sistema só poderá baixar softwares aprovados pela Microsoft, disponibilizados no Windows Phone Market Place.

Steve Ballmer apresenta os nove aparelhos com Windows Phone 7. (Foto: Emmanuel Dunand/AFP)

Os ícones na tela –separados entre “trabalho” e “vida pessoal” – não abrem programas específicos, mas sim conteúdo organizado em “hubs”, ou portos centrais temáticos.

Desta forma, o ícone de fotos serve para entrar nas imagens tiradas pela câmera do celular, mas também nas disponibilizadas por seus contatos em redes sociais como o Facebook.

Alguns dos aparelhos lançados nesta segunda-feira. (Foto: Emmanuel Dunand/AFP)

É possível também criar “hubs” para acompanhar todo o conteúdo on-line de um contato específico.

Você pode, por exemplo, adicionar um ícone – que muda de acordo com cada atualização de conteúdo – para seguir tudo o que sua namorada te enviar por e-mail, torpedo ou mesmo publicar no Twitter, Facebook, Orkut, LinkedIn. Não importa a rede, mas sim a pessoa.

Uma vantagem em relação ao iPhone é a facilidade em criar atalhos para seleções específicas de música.

Na demonstração ao G1, Valdez criou, com poucos cliques, um “hub” para acessar toda sua coleção de discos do U2.

Depois, adicionou outro, para o disco “Death Magnetic”, do Metallica. O telefone transformou fotos da banda e a capa do disco em um ícone.

Do G1, em São Paulo

Celular: como fazer backup dos dados do seu celular

[ad#Retangulo – Anuncios – Esquerda]A grande maioria de usuários de celulares e smartphones não faz backup – cópia de segurança – de seus contatos, agenda de compromissos, tarefas, notas, áudios, fotos e vídeos. Ou seja, se perder o aparelho ou se ele quebrar ou for roubado, as informações somem junto. Só quem já passou pela trabalheira de recuperar dados perdidos é que dá valor ao backup e se habituou a fazer as santas cópias com frequência. A palavra-chave é sincronizar – atualizar os dados nos dois sentidos. As informações novas no celular são copiadas para o PC e as novidades inseridas no PC são repetidas no celular. E o ideal é fazer isso diariamente…

A DIGITAL levantou os procedimentos para salvar os dados de aparelhos com base em informações fornecidas por nove fabricantes e cinco operadoras de telefonia celular.

Em geral, a opção mais prática é utilizar os serviços que permitem copiar os dados do celular para os servidores da operadora. Costuma ser um serviço pago, mas taí um gasto que vale a pena, especialmente para quem não tem lá muito jeito com instalação de software, cabos USB e Bluetooth.

Fabricantes

APPLE. Para salvar os dados de um iPhone basta sincronizá-lo usando o software gratuito iTunes. As instruções completas podem ser vistas num vídeo ( tinyurl.com/mpefo5 ), que requer o Quicktime 7, também gratuito ( tinyurl.com/lps73l ).

BLACKBERRY. É preciso instalar o BlackBerry Desktop Manager, software de sincronização, atualização e backup. [ad#Retangulo – Anuncios – Direita]Vide pré-requisitos de hardware no CD ou no site da RIM ( www.rim.com) na seção de softwares, em “BlackBerry Desktop Softwares”. A descrição detalhada do procedimento de backup está em tinyurl.com/l2u2lt.

HTC. O software para backup e sincronização é o Sprite Backup (manual em tinyurl.com/kpmfrs ). No site htc.com/br há um link para o Wiki, com instruções sobre como usar a ferramenta da Microsoft para backup de celular ( tinyurl.com/nbs4fo ) e sobre backupear os softwares instalados no aparelho ( tinyurl.com/my2bt8 ). O call center da HTC (4003-0482) tira dúvidas sobre como fazer o backup.

LG. O software para backup e sincronização é o PC Suite, que vem no kit do celular. Após instalá-lo é preciso informar o modelo do aparelho e a rede de telefonia do celular (GSM, CDMA ou WCDM). A empresa não forneceu um passo a passo ensinando o usuário leigo a salvar seus dados.

MOTOROLA. Celulares com cartão de memória podem ser conectados a um PC pelo cabo mini ou micro USB e o sistema passará a olhá-lo como um pendrive. Para compromissos, contatos ou transferência de arquivos de mídia a ferramenta é Motorola Phone Tools.No caso dos smartphones com o sistema Windows Mobile, use as ferramentas ActiveSync e Mobile Media Center. No portal MyMoto ( mymoto.com.br) aprende-se a configurar o telefone para copiar fotos e sincronizar compromissos e contatos do telefone com a internet, usando a rede de sua própria operadora. Essa opção depende da conexão de dados. Perguntas e respostas mais frequentes podem ser vistas em tinyurl.com/nnpn29 , buscando por palavras-chave, como “agenda”, “sincronização” ou “backup”.

NOKIA. Visite tinyurl.com/nxmrxy , selecione o modelo e baixe o Nokia PC Suite. Conecte o telefone ao PC via cabo USB ou Bluetooth e selecione a opção “backup de dados”. Pode-se backupear/recuperar dados num pacotão inteiro ou seletivamente (contatos, calendário, mensagens, dados do cartão de memória, configuração e memória interna). Ou então transferir vídeos ou de acessar a galeria de imagens. Algumas telas exemplificando um backup em um Nokia E66 podem ser vistas em tinyurl.com/nxpdcw .

PALM. Leia os procedimentos para sincronização de dados e backup dos seis modelos de smartphones da Palm (Treo Pro, Palm Centro, Treo 750, Treo 700, Treo 680 e Treo 650) em tinyurl.com/m3xvd4 .

SAMSUNG. O aplicativo PC Studio vem no CD do kit básico. No caso de smartphones, o sincronismo é automático quando o equipamento dispõe de plataforma Windows Mobile.Para baixar o software PC Studio, acesse tinyurl.com/m5tang, onde é preciso informar o modelo do celular. Clique em “download geral” e selecione a aba “software” ou “firmware”, conforme o tipo do aparelho.

SONY ERICSSON. O programa básico para backup/restauração é o PC Suite, que vem com o CD de instalação e pode ser baixado em tinyurl.com/kjmo2z , bastando selecionar o modelo. O manual traz instruções detalhadas, como por exemplo o do modelo W980 ( tinyurl.com/nsebwt), que explica em detalhe o procedimento de conexão e backup (USB e Bluetooth) nas páginas 25 a 30. Outra ferramenta de backup bem elegante é o software austríaco MyPhoneExplorer ( tinyurl.com/kth3jh – em inglês), grátis, versátil, flexível e muito poderoso, oferecendo até controle remoto via celular.

Soluções independentes

Vários fabricantes independentes oferecem aparelhos “universais” que permitem realizar backup dos dados de quase qualquer celular ou smartphone. Em geral, essas soluções consistem de um dispositivo com vários tipos de conectores para ligá-lo ao celular.

BACKUP-PAL. Não requer uso de PC, proporciona um backup de dados permanente e não precisa de software. Adaptadores intercambiáveis permitem conexão a quase todos os modelos de celulares no mercado. Custa US$ 49,99 e pode ser comprado no site www.backup-pal.com

Operadoras de telefonia celular

CLARO. A Claro tem uma solução universal, que pode ser utilizada em qualquer modelo de aparelho, para backup da agenda de contatos do SIM Card, que é o Claro Contatos. Para acessá-lo, basta clicar no Menu Claro do celular. Além disso, o serviço também é acessível no site www.claroideias.com.br , dentro da seção Facilidades. A primeira sincronização e a restauração dos contatos é tarifada em R$ 4, e sincronizações adicionais são tarifadas em R$ 0,50. Independentemente da quantidade de contatos sincronizados, o cliente paga apenas uma vez por evento realizado. Se o usuário preferir, também pode se dirigir às lojas próprias da Claro, onde os atendentes podem orientar o processo do backup.

NEXTEL. A empresa oferece o serviço Nextel Backup, mas apenas para salvar a lista de contatos. Neste serviço o usuário não precisa de cabos de conexão, basta apenas possuir o serviço ativado. Nos planos Quero Controle, Quero 0, Quero 100 e Quero 200, o Nextel Backup pode ser contratado por R$ 3,50 mensais. Nos planos Quero 400, Quero 800 e Quero 1200 o acesso ao Nextel Backup é ilimitado e sem custo adicional. Mais informações em tinyurl.com/nlcet6. É possível usar o cabo USB nos aparelhos com cartão de memória. O usuário deve salvar o arquivo no cartão e depois fazer a transferência para o PC usando o cabo de dados. Os aparelhos que possuem cartão (i9, i9 Wine, i876, i876w, i877, i877 red e Blackberry) já vêm com o cabo de dados no kit.

OI. Com o serviço Oi Agenda, o cliente da Oi pode reaver seus contatos a qualquer momento após mudar ou perder o Oi Chip. No menu do aparelho, acesse a opção Mundo Oi, Serviços Oi e clique na opção Atualizar. Durante a cópia da agenda, todos os números que estão no Oi Chip são transferidos para o site www.oi.com.br/oiagenda . O serviço custa R$ 2,49, para cada salvamento, atualização ou recuperação bem sucedida. Está disponível para as versões de chips 128kB e NOVO 128 kB. Para trocar um chip anterior o cliente pagará R$ 20 na loja. O novo Oi Chip também oferece a função Auto Sinc, que permite atualizar a agenda telefônica automaticamente.

TIM. O serviço TIM Agenda permite salvar, recuperar ou editar suas agendas via web. Pelo site www.tim.com.br , o cliente pode acessar a sua agenda armazenada, assim como editar, apagar, inserir novos contatos e enviá-los para o seu TIMChip. A operação também pode ser feita teclando *144 no celular. O serviço custa R$ 3,99 mais tributos pela primeira sincronização ou em caso de restauração da agenda de contatos. Atualizações posteriores custam R$ 0,49 mais tributos.

VIVO. Oferece o serviço Vivo Agenda, que sincroniza apenas os contatos gravados no SIM Card. Pode-se também sincronizar via SyncML ou cabo USB, abrangendo dados do Outlook, calendário, contatos, emails e tarefas. Não há assinatura do serviço. O primeiro sincronismo custa R$ 2,99. Depois, cada atualização sai por R$ 0,49.

G1 – Carlos Alberto Teixeira