Lava Jato na Netflix

Netflix anuncia série sobre a Lava JatoO diretor José Padilha, conhecido por Tropa de Elite, assina a série Narcos, da Netflix, sobre o traficante Pablo Escobar

Os bastidores da operação que revelou um megaesquema de corrupção no Brasil serão retratados em novo seriado, previsto para 2017. Ainda sem título, obra terá direção de José Padilha.[ad name=”Retangulo – Anuncios – Direita”]

O diretor José Padilha, conhecido por “Tropa de Elite“, assina a série “Narcos“, da Netflix, sobre o traficante Pablo Escobar.

O serviço de streaming Netflix anunciou nesta sexta-feira (15/04) que produzirá uma nova série original baseada nas investigações da Operação Lava Jato. As gravações começam ainda neste ano, e o lançamento é previsto para 2017.

O roteiro será escrito por Elena Soares (Xingu, Filhos do Carnaval e Casa de Areia). Já a direção ficará a cargo do cineasta brasileiro José Padilha, que já assina a série Narcos, produção original da Netflix sobre a vida do narcotraficante Pablo Escobar.

“Esse projeto vai narrar a operação policial em si e mostrar detalhes sobre o maior esquema de corrupção já visto no Brasil”, disse Padilha em comunicado distribuído à imprensa. Segundo o diretor, a história será retratada de forma imparcial.

No mesmo comunicado, o vice-presidente de conteúdo internacional da Netflix, Erik Barmack, falou sobre a escolha de Padilha para a direção. “Ele está bem posicionado para documentar esse momento importante da história brasileira”, disse o executivo.

A produção ainda não tem título definido. A empresa também não especificou o número de episódios da primeira temporada ou o valor que pretende investir na nova série.

Esta será a segunda produção da Netflix no país. Em 2015, o serviço anunciou o lançamento da série de ficção científica 3%, mais voltada ao público jovem e que deve chegar à plataforma ainda neste ano.

Crise brasileira sob holofotes

O Brasil e seus recentes acontecimentos, como a própria Operação Lava Jato e o impeachment da presidente Dilma Rousseff, têm atraído atenção internacional.

Em março, uma reportagem publicada pelo jornal alemão Die Zeit comparou a atual crise política com as intrigas da série americana House of Cards, também produzida originalmente pela Netflix. Na obra, o inescrupuloso político Frank Underwood faz de tudo para acumular e manter poder.

“Por estes dias, é difícil entender por que ainda há pessoas que se interessam por House of Cards. Elas não acompanham as notícias da política brasileira?”, perguntou o correspondente do jornal no Rio de Janeiro, Thomas Fischermann.
Fontes:EK/efe/rtr/ots

Netflix libera conteúdo offline

Não é todo o catálogo que está disponível para download, mas o espectador já pode assistir a algumas produções originais.

Para assistir séries e filmes sem internet é necessário atualizar o aplicativo da Netflix no celular. Por enquanto não é todo o catálogo da empresa que está disponível e os episódios das séries precisam ser baixados individualmente.

Em janeiro se completará um ano que a Netflix decidiu abrir seu serviço para o mundo todo, com exceção da China. Em termos gerais, salvo no caso de promoções conjuntas com operadoras, a Netflix cobra o equivalente a 10 dólares (33 reais) por mês pelo acesso a um catálogo no qual se destaca cada vez mais um conteúdo produzido pelo próprio serviço, somando-se ao das produtoras externas.

The Crown, que gira em torno da vida da Rainha Elizabeth II, da Inglaterra, é o seu sucesso mais recente. Além disso, há Narcos, Orange is the New Black e a já clássica House of Cards.

Na América Latina, a Netflix tem uma estratégia particularmente agressiva.

A Colômbia foi o país escolhido para a entrada da empresa no mercado, devido à sua infraestrutura e a um público mais inclinado a pagar por produtos online, mas foi no México que mais se apostou na criação de séries próprias.

Há alguns meses, o serviço rompeu o acordo com tinha com a Televisa, quando o canal mexicano decidiu lançar o seu próprio serviço de streaming online.

A Netflix, então, ficou sem as novelas, que têm grande aceitação na América Latina.

Mas levou a questão com senso de humor. A empresa tem mais de 70 milhões de assinantes no mundo inteiro, com acesso por celular, tablete, computador ou equipamentos compatíveis conectados no televisor.

A Netflix atendeu a um dos pedidos mais frequentes dos usuários

Reed Hasting, seu fundador e presidente, se destaca pelo seu senso de ironia e seu amor pela concorrência.

Com a Netflix, ele fez uma aposta na tecnologia, passando do mundo analógico para o mundo digital.

Nos primeiros anos da empresa, localizada em Los Gatos, bem perto da sede da Apple em Cupertino, ela funcionava como uma locadora com entrega e retirada em domicílio.

A assinatura permitia que o cliente recebesse em casa, com posterior devolução, um grande número de DVDs.

Seu grande acerto foi, primeiramente, apostar na digitalização e, depois, na produção de séries próprias.
Rosa Gimenez/ElPais

Washington Post: O presidente da Câmara dos Deputados do Brasil quer que o governo caia

Um cristão evangélico que toca bateria de rock e tem sido comparado a Frank Underwood, o conspirador ambicioso da série Netflix “House of Cards”, tem abalado a política do Brasil desde que foi eleito presidente da Câmara dos Deputados do país há quatro meses.
Por Dom Philliphs/Washington Post

Eduardo Cunha,Blog do Mesquita,Política 02

Eduardo Cunha não somente prejudicou o governo de coalizão da presidente Dilma Rousseff, no qual seu Partido do Movimento Democrático Brasileiro é, supostamente, o seu mais importante aliado. Suas ações têm ameaçado atrapalhar a coalizão apenas alguns meses do seu segundo mandato, levando a uma série de revoltas que abriram fissuras amplas nas alianças frágeis.

Votos esta semana sobre as medidas de reforma política mostrar como Cunha opera. Uma comissão do Congresso trabalhou por mais de três meses em propostas que foram jogados fora depois que Cunha convidou certos líderes partidários para almoçar em sua casa e uma decisão foi tomada logo depois de ir direto para a votação em plenário cheio.[ad name=”Retangulo – Anuncios – Direita”]

Este mês, Cunha repentinamente autorizou a votação de uma medida, há muito estagnada, para aumentar a idade de aposentadoria para Suprema Corte e outros juízes de alto nível de 70 para 75 anos, colocando-a à frente de cortes de gastos mais urgentes. Aprovação da “Emenda da Bengala”, como é conhecida, vai custar cinco nomeações de Rousseff à Suprema Corte.

José Álvaro Moisés, cientista político da Universidade de São Paulo, descreveu-o como um momento divisor de águas.

“A oposição não está cumprindo bem o seu papel . Portanto, este espaço está sendo ocupado pelo PMDB “, disse Moisés, usando a abreviatura em português do partido.

O PMDB também controla o Senado do Brasil com Renan Calheiros e tem governado com o partido de Roussef, o centro-esquerdista Partido dos Trabalhadores, desde 2003. Mas agora que planeja desafiar o Partido dos Trabalhadores nas eleições presidenciais de 2018, como o agressiva novo Congresso que controla, está mudando o equilíbrio de poder no Brasil. “O legislador também quer definir a agenda do país”, disse Moisés.

“O Congresso brasileiro sempre foi um Congresso muito dócil, se você compará-lo com o Congresso americano”, disse José Mendonça Filho, líder do partido da oposição Democratas na Câmara dos Deputados. “Hoje ele tem mais peso, muito mais força.”

Os críticos têm chamado Cunha de perigoso, retratando-o como um operador político implacável e resiliente que dirige a Câmara dos Deputados de forma imperial. “Ele tem esse lado sinistro”, disse Sylvio Costa, fundador do Congresso em Foco, um observatório legislativo.

Cunha ignorou o Partido dos Trabalhadores, que concorreu com um candidato rival contra ele como orador. “O ciclo do Partido dos Trabalhadores está em declínio”, disse ele em uma entrevista.

O PMDB – que alguns dizem que há muito dirige o Brasil nos bastidores – agora planeja lançar seu primeiro candidato presidencial desde 1994. O vice-presidente Rousseff, Michel Temer, é um candidato potencial. Também o é Cunha, embora ele tenha dito que preferia o prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes.

A popularidade de Roussef está no fundo do poço – tão baixa que ela tem evitado aparecer na televisão recentemente, por medo de desencadear os panelaços que eclodiram na última vez que fez tal aparição. A economia do Brasil enfrenta recessão, a inflação é mais de 8 por cento, e o Congresso reduziu os cortes de gastos que fazem parte de um ajuste fiscal que o ministro das Finanças Joaquim Levy diz que o Brasil precisa para manter sua classificação de investimento.

Problemas econômicos do país são agravados por um vasto escândalo de corrupção no qual 2000 milhões dólares foi retirado de contratos da companhia estatal de petróleo Petrobras. Um ex-tesoureiro do Partido dos Trabalhadores, João Vaccari Neto, está entre dezenas de acusados em conexão com o esquema.

Lideranças do PMDB figuram entre os políticos que os investigadores afirma ter se beneficiado do esquema através de subornos pagos a eles e seus partidos. Entre ele incluem-se o senador Calheiros, Edison Lobão, ex-ministro de Minas e Energia do partido; e Cunha.

O partido nega as acusações. “O PMDB nunca recebeu dinheiro de contratos da Petrobras”, disse um porta-voz em um e-mail.

Em sua campanha eleitoral de 2010, Cunha recebeu doações da Camargo Corrêa, um dos maiores conglomerados privados do Brasil. Seu partido também recebeu doações de Corrêa e empresas de construção brasileiras ligadas ao escândalo que está em uma lista negra da Petrobras para os contratos futuros.

Cunha também negou as alegações dos investigadores de que a senha de seu computador no Congresso foi utilizada para solicitar uma comissão oficial para investigar os contratos entre a Petrobras e fornecedores – supostamente porque o dinheiro do suborno pago através de um intermediário tinha secado. “O procurador-geral da República, escolheu-me para investigar – por interesses políticos, na minha opinião”, disse ele. “E ele os dados que cita que são perfeitamente refutáveis.”

“A ideologia do poder”

Nascido em 1958 e casado com a ex-locutora de televisão Claudia Cruz, Cunha tem quatro filhos. No Rio, ele tem o apoio de Domingos Brazão, um conselheiro no Tribunal de Contas do Estado e ex-deputado estadual do PMDB que se defendeu contra as acusações de ligações com gangues criminosas, chamadas milícias, cujos membros incluem policiais e ex-policiais.

Brazão admitiu ter matado um homem, mas foi absolvido porque o incidente foi em legítima defesa, disse ele. Em 2012, Cunha e Brazão foram ambos multados por um tribunal eleitoral por compra de votos nas eleições de 2006, quando certos condomínios do Rio receberam reduções em suas contas de água para apoiar suas campanhas, disse o tribunal.

Durante a ditadura militar, que terminou em 1985, o PMDB foi apenas parte da única oposição legal do Brasil, operando como uma confederação de todas as tendências políticas opostas, disse Rodrigo Motta, professor de história na Universidade Federal de Minas Gerais, que escreveu um livro sobre o partido .

“Ele está cumprindo o papel da Casa, que é a de representar o povo”, disse Paul Rezende, presidente do PMDB ala jovem.

Isso poderia ser um bom presságio para o partido em 2018, mesmo contra a Lula permanentemente popular. “Ele tem a chance de ganhar”, disse Paulo Baía, cientista político da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Na terça-feira, a Câmara dos Deputados rejeitou uma das medidas de reforma políticos apoiada por Cunha, que teria protegido o financiamento das campanhas eleitorais dos partidos políticos e por empresas – um tema da ordem do dia no Brasil da recente controvérsia da Petrobrás.

No dia seguinte, Cunha incluiu em outra votação somente os financiamentos empresariais aos partidos. Desta vez, ele venceu. Legisladores se indignaram.

“Eduardo Cunha perdeu o jogo, mas é o dono da bola. Então ele disse, ‘Eu não gostei do resultado; Vamos jogar de novo “, Júlio Delgado, deputado pelo Partido Socialista Brasileiro, disse ao jornal Folha de S.Paulo.

Política brasileira é um jogo cheio de percalços . Cada vez mais, ao que parece, Eduardo Cunha não se importa em jogar sujo para ganha-lo.