Economia colaborativa a serviço do turismo

Serviços como Airbnb estão alterando a economia do ramo da hotelaria.
Os preços de alta temporada dos hotéis chegam a 200% a mais.Turismo,Economia,Blog do Mesquita(Foto: Instagram)

Hotéis na Times Square, em Nova York, custam quatro vezes mais caro na noite de ano novo do que no dia 7 de janeiro; um quarto na propriedade quatro estrelas mais barata de Cancun, no México, custava em 31 de dezembro o dobro do que custa uma semana depois.

A lógica por trás dessa flutuação de preços é simples: a construção e contratação de funcionários de um hotel custa caro, e a demanda, para eles, é sazonal. Apenas aumentando os preços nas épocas de maior demanda é que se consegue operar com lucros.[ad name=”Retangulo – Anuncios – Direita”]

Mas esse sistema de temporadas causa mais problemas, além de contas altíssimas. Turistas escolhem outro destino, porque hotéis estão lotados nas suas datas desejadas e, apesar de preços mais baixos, reservas acabam prejudicadas em épocas fora de estação.

O advento do “consumo colaborativo” pode oferecer a solução. Assim como o preço dinâmico do Uber leva motoristas às ruas na hora do rush, os serviços de aluguel de quartos de empresas como Airbnb, HomeAwy e Onefinestay devem permitir que o número de acomodações de uma cidade seja expandido quando mais pessoas querem se hospedar lá.

A Airbnb recentemente liberou dados que apoiam esta hipótese, mostrando que muitos dos anfitriões do site disponibilizam duas propriedades especificamente para lucrar em períodos de alta demanda.

Mais ainda, os preços da AIirbnb na cidade americana de Omaha, por exemplo, onde acontecem convenções regulares, sobem apenas 60% durante altas temporadas, enquanto hotéis cobram 200% ou mais.

Estes números, porém, não significam o fim dos preços extorsivos dos hotéis. Quartos alugados em residências não são substitutos perfeitos: muitos turistas querem os serviços e a conveniência de um hotel.

Mas ao prover vagas temporárias, o aluguel de quartos pode mudar a economia do ramo da hotelaria, pelo menos em cidades pequenas.
Fontes: The Economist-Buffett’s revenge

Avião transformado em suíte de luxo

Hotel transforma fuselagem de Boeing 727 em suíte de luxo.

Arquitetura,Hotéis,Aviões,BoingClique na imagem para ampliar

Um hotel na Costa Rica transformou a fuselagem de um Boeing 727 de 1965 em um alojamento de luxo. A acomodação tem duas suítes, uma pequena cozinha, sala de jantar, cozinha e sala de TV.

O avião, diz o Hotel Costa Verde, foi usado pelas companhias Africa Air e Avianca Airlines. A diária vai de US$ 300 a US$ 350 mais taxas, dependendo da época.

A instalação, que foi divulgada nesta quinta-feira (23) pelo jornal britânico “Telegraph”, foi construída após o hotel transportar a carcaça da aeronave em cinco caminhões pela floresta Manuel Antonio.[ad name=”Retangulo – Anuncios – Direita”]

“Aproveite uma noite no terraço bebendo vinho enquanto observa nossos três principais vizinhos: preguiças, tucanos e macacos”, diz o anúncio do site.

Arquitetura,Hotéis,Aviões,Boeing 727Clique na imagem para ampliar
Entrada da acomodação; diária vai de US$ 300 a US$ 350, dependendo da época.

Arquitetura,Hotéis,Aviões,Boeing 727Clique na imagem para ampliar
Uma das suítes tem duas camas de casal.

Arquitetura,Hotéis,Aviões,Boeing 727Clique na imagem para ampliar
Banheiro e a segunda suíte, com uma cama de casal.

Arquitetura – O prédio mais feio do mundo

Hotel Ryugyong – Coréia do Norte
Arquitetura,Hotel Ryugyong,Coréia do Norte

Após 16 anos, as obras começaram em 1987, foram interrompidas em 1992, o monstrengo está em fase final de acabamento.

O “bicho” é tão feio que a foto não aparece nos folhetos de propaganda que promovem o turismo na cidade.

Sites como Esquire.com, Worldhum.com, Weirdasianews.com, consideram o hotel Ryugyong,como a construção mais feia do planeta.

A coisa foi construído na capital Pyongyang e é um dos mais altos do mundo, com 330 metros de altura.  Possui 3 mil quartos distribuídos em 105 andares.

O topo do prédio — um arremedo do castelo da Cinderela, argh! — lembra mais um foguete e terá 5 restaurantes.[ad name=”Retangulo – Anuncios – Direita”]

Sua construção começou em 1987. As obras foram interrompidas em 1992 e só retomadas agora, 20 anos depois.

A Coréia do Norte é uma das últimas paleolíticas ditaduras comunistas ainda de pé. Vá la, cambaleante. O país não tem recursos e muito menos turistas.

Há dúvidas se existem recursos para a conclusão do “aborto arquitetônico”.

Ainda por cima, por ser fruto de “obra estatal”, alguns críticos afirmam que erros estruturais impedirão a utilização da “coisa”.

Copa 2014: Vai ver jogo em Cuiabá? Governador quer que você durma em escolas públicas

Risada Contagiante - Blog do MesquitaO Governo do Estado de Mato Grosso e o Ministério do Turismo estão calculando que a cidade de Cuiabá irá receber cerca de 40 mil turistas em um intervalo de três semanas durante a Copa do Mundo no Brasil, que começa no dia 12 de junho.

A cidade, porém, conta com apenas 15 mil leitos disponíveis em sua rede hoteleira disponível.

Na semana passada, o governador de Mato Grosso, Silval Barbosa, reconheceu que a cidade não possui hospedagem suficiente para receber todos os turistas.

Em suas contas, fatarão cerca de 10.000 leitos para receber estrangeiros que irão à cidade.

Assim, a um mês da Copa, o governador se vê obrigado a lançar mão de planos menos ortodoxos para que os turistas não tenham que dormir ao relento.

O primeiro é apelar para a conhecida hospitalidade do povo cuiabano.

Segundo Barbosa, o programa de hospedagem alternativa criado pelo governo, o Cama e Café e Locação Imobiliária, convida os moradores da cidade a abrirem suas casas para receberem os torcedores estrangeiros.

O programa, segundo ele, é um sucesso relativo, já existem 2.200 residências cadastradas. O governo, porém, contava com 10.000 hospedagens desse tipo.

Assim, na última quarta-feira, ele fez um apelo: “Precisamos que a população nos ajude a receber esses turistas. Nós temos que cadastrar mais pessoas que querem locar o espaço para levar um turista para casa. Então, eu chamo a atenção de todos para aqueles que puderem contribuir, este é um ponto que nós vamos focar muito agora, receber bem”.[ad name=”Retangulo – Anuncios – Direita”]

Mesmo que a expectativa do governo se confirme, ainda faltarão 7.000 leitos para receber os turistas.

O que fazer com este déficit? A solução encontrada pelo governador é improvisar alojamentos em escolas e faculdades, aos moldes do que é feito em jogos universitários no interior do país.

“Agora vamos falar com as universidades e colocar os nossos colégios que têm ar condicionado em condições para muitos turistas que querem esse meio de hospedagem”.

Por fim, também haverá mais vagas em campings, para o turista que quiser dormir em barracas.

Segundo o ministro do Turismo, Vinícius Nobre Lages, há muitos turistas que estão desejosos de dormir em campings na cidade de Cuiabá, cuja temperatura média anual é de 30 graus.

“Os chilenos pediram área para camping. Milhares vão optar por armar barracas em áreas de camping”, disse o ministro, em visita a Cuiabá na semana passada, sem dar detalhes sobre os tais pedidos.

A cidade de Cuiabá irá receber quatro jogos da Copa do Mundo, todos da primeira fase. Duas dessas partidas atrairão grande fluxo de turistas estrangeiros.

São elas Chila x Austrália, no dia 13 de junho, e Japão e Colômbia, no dia 24. São os turistas de Chile e Colômbia, países relativamente próximos a Mato Grosso, os que serão responsáveis por mais de 80% da presença estrangeira em Mato Grosso durante a Copa.
Vinícius Segalla/UOL, São Paulo

Arquitetura – Hotel com barracas transparentes

Hotel cria barracas transparentes que aproximam seus hóspedes da natureza

Fonte da imagem: Reprodução/dornob

Se você adora ficar próximo da natureza, mas não gosta muito da ideia de acampar em barracas convencionais, que tal poder desfrutar desse ambiente em confortáveis e luxuosas bolhas transparentes?

De acordo com o site dornob, essa é a ideia do hotel francês Attrap Rêves, que desenvolveu esse novo tipo de hospedagem em duas localidades diferentes.

Segundo a publicação, as barracas-bolha contam com diâmetro de 4 metros e vêm equipadas com todos os luxos de uma suíte convencional, como confortáveis camasqueen size, banheiro-bolha, quartos extra e até telescópios para que os ocupantes possam observar as estrelas.

Além disso, dependendo da necessidade de privacidade, existem duas opções de acomodação, com metade da barraca opaca ou completamente transparente.

O hotel instalou as bolhas em duas localidades francesas — Bouches-du-Rhone, que fica na bela região de Provence-Alpes-Côte d’Azur, e Loir-et-Cher, que fica na região central do país —, nas quais os hóspedes poderão apreciar belas paisagens de bosques e colinas.
Por Maria Luciana Rincon Y Tamanini


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Tecnologia: Toalhas de hotel ganham chip contra furtos

Tecnologia de radiofrequência está por trás da solução.

Levar a roupa de banho como ‘souvenir’ pode estar com os dias contados.

Empresa brasileira Haco também tem solução de etiquetas para roupas com controle por radiofrequência.

Para muitos viajantes, roubar toalhas de hotel ou roupões é mais um passatempo do que um pequeno delito.

Os hotéis, por outro lado, levam mais a sério.

Tão a sério que alguns começaram a incorporar chips de radiofrequência, ou “tags RFID” dentro da roupa de banho para ajudar a evitar que “acidentalmente” os hóspedes encham as malas de “souvenirs” antes do check-out.

Os chips, projetados pela empresa sediada em Miami, Linen Technology Tracking, podem ser costurados diretamente em toalhas, roupões ou lençóis, e resistem até 300 ciclos de lavagem.

Se um item etiquetado deixar as instalações do hotel, o chip RFID dispara um alarme que irá imediatamente alertar os funcionários do estabelecimento e, no mínimo embaraçar o viajante.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

O sistema já gerou dividendos para um hotel de Honolulu, que afirma ter economizado cerca de US$ 15 mil desde a adoção do sistema em 2010.

Além do hotel no Havaí, apenas dois outros estabelecimentos começaram a etiquetar suas toalhas – um em Manhattan e outr em Miami.

Todos os três, no entanto, optaram por permanecer anônimos.

G1

Turismo – CVC será vendida?

logo_cvc_grande

A maior operadora de turismo da América Latina, a brasileira CVC, está a um passo de ser vendida ao poderoso fundo de private equity norte-americano Carlyle Group. O negócio, até então guardado a sete chaves por Guilherme Paulus, controlador da CVC, deverá ser fechado por um valor próximo dos R$ 800 milhões. Paulus ainda ficará com 37% do negócio. Com o dinheiro farto, o empresário deve direcionar seus investimentos para sua companhia aérea, Webjet, e também para a compra de novos hotéis e fretamento de cruzeiros marítimos. A CVC nega a informação.

da Isto é Dinheiro

Hotel Helicóptero

Helicóptero soviético transformado em hotel. Será verdade?
Aviação,Helicópetros Mil V12,Hotéis,Hotelaria,Aeronáutica,DesignClique na imagem para ampliar

Um gigantesco Mil V-12 soviético totalmente remodelado para oferecer o mesmo conforto de um hotel cinco estrelas.

Aviação,Helicópetros Mil V12,Hotéis,Hotelaria,Aeronáutica,Design,Tecnologia,Turismo,HotelicopteroClique na imagem para ampliar
São 18 suítes de casal equipadas com anti-ruído, mini-bar, wireless para acesso a internet, TV flatscreen e todas as amenities dignas de um ótimo serviço.

Aviação,Helicópetros Mil V12,Hotéis,Hotelaria,Aeronáutica,Design,Tecnologia,Turismo,HotelicopteroClique na imagem para ampliar

Aviação,Helicópetros Mil V12,Hotéis,Hotelaria,Aeronáutica,Design,Tecnologia,Turismo,HotelicopteroClique na imagem para ampliar

Se você acha que a mordomia pode ficar melhor, que tal saber que ainda é possível obter serviços de instrutor de yoga, hidromassagem e tratamento termal?

Aviação,Helicópetros Mil V12,Hotéis,Hotelaria,Aeronáutica,Design,Tecnologia,Turismo,HotelicopteroClique na imagem para ampliar

O Hotelicopter também tem sala de jogos para distrair os passageiros-hóspedes.

Aviação,Helicópetros Mil V12,Hotéis,Hotelaria,Aeronáutica,Design,Tecnologia,Turismo,HotelicopteroClique na imagem para ampliar

Essa opção inusitada de hospedagem deve alçar seu primeiro vôo comercial no próximo verão.

Aviação,Helicópetros Mil V12,Hotéis,Hotelaria,Aeronáutica,Design,Tecnologia,Turismo,HotelicopteroClique na imagem para ampliar

O tour inaugural será de 14 dias saindo de Nova York, passando por Bahamas, Jamaica, República Dominicana, Miami e voltando a Nova York.

Aviação,Helicópetros Mil V12,Hotéis,Hotelaria,Aeronáutica,Design,Tecnologia,Turismo,HotelicopteroClique na imagem para ampliar