Ferreira Gullar – Poesia – 22/01/23

Boa noite. Verão Ferreira Gullar Este fevereiro azul como a chama da paixão nascido com a morte certa com prevista duração deflagra suas manhãs sobre as montanhas e o mar com o desatino de tudo que está para se acabar. A carne de fevereiro tem o sabor suicida de coisa que está vivendo vivendo mas […]

Leia mais… from Ferreira Gullar – Poesia – 22/01/23

Ferreira Gullar – Poesia – 29/06/2022

Boa noite. Falar Ferreira Gullar A poesia é, de fato, o fruto de um silêncio que sou eu, sois vós, por isso tenho que baixar a voz porque, se falo alto, não me escuto. A poesia é, na verdade, uma fala ao revés da fala, como um silêncio que o poeta exuma do pó, a […]

Leia mais… from Ferreira Gullar – Poesia – 29/06/2022

Ferreira Gullar – Poesia – 09/03/2022

Boa noite. Subversiva Ferreira Gullar A poesia quando chega não respeita nada. Nem pai nem mãe. Quando ela chega de qualquer de seus abismos desconhece o Estado e a Sociedade Civil infringe o Código de Águas relincha como puta nova em frente ao Palácio da Alvorada. E só depois reconsidera: beija nos olhos os que […]

Leia mais… from Ferreira Gullar – Poesia – 09/03/2022

Ferreira Gullar – Poesia – 19/11/2021

Boa noite. O lampejo Ferreira Gullar O poema não voa de asa-delta não mora na Barra não freqüenta o Maksoud. Pra falar a verdade, o poema não voa: anda a pé e acaba de ser expulso da fazenda Itupu pela polícia. Come mal dorme mal cheira a suor, parece demais com o povo: é assaltante? […]

Leia mais… from Ferreira Gullar – Poesia – 19/11/2021