Fernado Pessoa – Versos na tarde – 30/10/2016

Há uma música do povo Fernando Pessoa¹ Há uma música do povo, Nem sei dizer se é um fado — Que ouvindo-a há um chiste novo No ser que tenho guardado… Ouvindo-a sou quem seria Se desejar fosse ser… É uma simples melodia Das que se aprendem a viver… E ouço-a embalado e sozinho… É … Continued

Postado na categoria: Música - Palavras chave: , , , , , ,

Fernando Pessoa – Versos na tarde – 17/08/2016

O amor quando se revela Fernando Pessoa¹ O amor, quando se revela, Não se sabe revelar. Sabe bem olhar p’ra ela, Mas não lhe sabe falar. Quem quer dizer o que sente Não sabe o que há de dizer. Fala: parece que mente Cala: parece esquecer Ah, mas se ela adivinhasse, Se pudesse ouvir o … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , , ,

Fernando Pessoa – Versos na tarde – 11/08/2016

Vi passar, num mistério concedido Fernando Pessoa¹ Vi passar, num mistério concedido, Um cavaleiro negro e luminoso Que, sob um grande pálio rumoroso, Seguia lento com o seu sentido. Quatro figuras que lembrando olvido Erguiam alto as varas, e um lustroso Torpor de luz dormia tenebroso Nas dobras desse pano estremecido. Na fronte do vencido … Continued

Postado na categoria: Padrão - Palavras chave: , , , ,

Fernando Pessoa – Versos na tarde – 12/07/2016

Vossa formosa juventude leda Fernando Pessoa/Ricardo Reis¹ Vossa formosa juventude leda, Vossa felicidade pensativa, Vosso modo de olhar a quem vos olha, Vosso não conhecer-vos — Tudo quanto vós sois, que vos semelha À vida universal que vos esquece Dá carinho de amor a quem vos ama Por serdes não lembrando Quanta igual mocidade a … Continued

Postado na categoria: Padrão - Palavras chave: , , , , ,

Fernando Pessoa – Versos na Tarde – 10/04/2015

Tudo que sinto, tudo que penso Fernando Pessoa¹ Tudo que sinto, tudo quanto penso, Sem que eu o queira se me converteu Numa vasta planície, um vago extenso Onde há só nada sob o nulo céu. Não existo senão para saber Que não existo, e, como a recordar, Vejo boiar a inércia do meu ser … Continued

Postado na categoria: Padrão - Palavras chave: , , ,

Fernando Pessoa – Versos na tarde – 14/01/2015

O destino: As minhas mãos invisíveis Fernando Pessoa¹ As minhas mãos invisíveis Pesam sobre o mundo E as coisas, insensíveis Ao seu condestinar profundo, Dormem no sonho de verdade Chamado a sua liberdade. Todos são malhas de uma rede Que no seu desfazer Julgam que vivem e têm sede De em si crer. ¹ Fernando … Continued

Postado na categoria: Padrão - Palavras chave: , , , , ,

Fernando Pessoa – Versos na tarde – 02/09/2014

Ah! Querem uma Luz Fernando Pessoa ¹ /Alberto Caeiro Ah! querem uma luz melhor que a do Sol! Querem prados mais verdes do que estes! Querem flores mais belas do que estas que vejo! A mim este Sol, estes prados, estas flores contentam-me. Mas, se acaso me descontentam, O que quero é um sol mais … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , , , ,

Fernando Pessoa – Versos na tarde – 11/07/2014

Teus Olhos Fernando Pessoa ¹ Teus olhos entristecem. Nem ouves o que digo. Dormem, sonham esquecem… Não me ouves, e prossigo. Digo o que já, de triste, Te disse tanta vez… Creio que nunca o ouviste De tão tua que és. Olhas-me de repente De um distante impreciso Com um olhar ausente. Começas um sorriso. … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , , ,

Fernando Pessoa – Versos na tarde – 22/04/2014

A Espantosa Realidade das Cousas Fernando Pessoa/Alberto Caeiro ¹ A espantosa realidade das cousas É a minha descoberta de todos os dias. Cada cousa é o que é, E é difícil explicar a alguém quanto isso me alegra, E quanto isso me basta. Basta existir para se ser completo. Tenho escrito bastantes poemas. Hei de … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , , , ,

Fernando Pessoa – Versos na tarde – 30/03/2014

O amor é uma companhia Fernando Pessoa/Alberto Caeiro ¹ O amor é uma companhia. Já não sei andar só pelos caminhos, Porque já não posso andar só. Um pensamento visível faz-me andar mais depressa E ver menos, e ao mesmo tempo gostar bem de ir vendo tudo. Mesmo a ausência dela é uma coisa que … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , , , ,