As esculturas teatralmente enigmáticas de Philip Jackson

Sua capacidade de transmitir a condição humana através do hábil uso da linguagem corporal tornou-se uma de suas características mais memoráveis.

Nascido em Inverness, Jackson agora vive e trabalha em West Sussex. Ele foi nomeado Comandante da Royal Victorian Order e esteve na lista de honra de aniversário da Rainha de 2009.

Ele cria figuras profundamente imponentes tanto pela mensagem que transmite quanto pela sua presença física no ambiente em que estão inseridas.

Poderosas e lindamente esculpidas, as posturas meticulosamente precisas que Jackson trabalha em cada peça criam uma enorme sensação de drama.

O assombroso, a elegância e o resultado teatralmente enigmático das esculturas de Philip Jackson são verdadeiramente inspiradores – nunca deixam de causar perplexidade em quem por elas tem o privilégio de passar.

Malcolm Martin & Gaynor Dowling – Esculturas

Malcolm Martin
& Gaynor Dowling

Trabalham esculturas em madeira, de formas monumentais de meia tonelada para um jardim particular, até vasos colados a partir de seções de verniz pesando algumas gramas.


O que todas as peças compartilham é o papel central da mão e das ferramentas manuais, principalmente através da escultura.

Esses dois escultores vivem e trabalham juntos em Stroud, Gloucestershire, nas colinas de Cotswold, na Inglaterra, desde 1997.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Christopher David White – Cerâmica

“Sou atraído pelo barro por causa de sua capacidade inata de imitar uma infinidade de texturas”

Christopher David White é um escultor, mas também é um ilusionista. Dê uma olhada em suas criações incríveis para ver o que queremos dizer. Então dê uma olhada mais de perto. Porque o que parece madeira petrificada é na verdade cerâmica meticulosamente processada.

Este escultor enganará seus olhos para acreditar que suas esculturas de cerâmica são de madeira

Nascido em Bedford, Indiana, o artista americano da Virgínia faz suas esculturas de argila predominantemente à mão. Com o tema da decadência ao longo de seu trabalho, White cria várias peças que se assemelham a peças em deterioração da madeira, metal enferrujado e outros objetos no processo de decomposição, a fim de explorar a relação entre humanos e natureza.

“A mudança é um lembrete constante de que a permanência é a ilusão final”, escreve o artista em seu site. “É através da criação de escultura hiper-realista que eu exploro a relação entre natureza, homem e o fenômeno da impermanência.”“É um material macio e maleável que pode ser queimado e endurecido como pedra quando terminar a modelagem. Estou interessado na fragilidade da vida, tanto dentro de nós quanto na natureza”

“Mas, ao mesmo tempo, é um material incrivelmente frágil”

“Para criar a textura da madeira, há uma estratificação e repetição de marca que considero profundamente satisfatória”

“Eu uso facas x-acto, escovas de arame que eu crio especificamente para uma certa textura”

“Acho que a argila é uma expressão poética dessa fragilidade”

Eu tinha que não apenas modelar o braço com a textura da madeira.

Michel Kenna – Art – Fotgografia

As estátuas Moai são enormes
megálitos na Ilha de Páscoa

Fotografia de Michel Kenna

É por estas estátuas isso que essa ilha é famosa. Os moais foram construídos entre 1400 e 1650 dC pelos nativos dessa ilha, também conhecida como Rapa Nui.
Existem cerca de 1000 estátuas, até 86 toneladas de peso e 10 m de altura