Brecht – Versos na tarde – 18/08/2013

As Boas Ações
Brecht¹

Esmagar sempre o próximo
não acaba por cansar?
Invejar provoca um esforço
que inchas as veias da fronte.
A mão que se estende naturalmente
dá e recebe com a mesma facilidade.
Mas a mão que agarra com avidez
rapidamente endurece.
Ah! que delicioso é dar!
Ser generoso que bela tentação!
Uma boa palavra brota suavemente
como um suspiro de felicidade!

¹Eugen Berthold Friedrich Brecht
* Augsburg, Alemanha – 10 de Fevereiro de 1898 d.C
+ Berlim, Alemanha – 14 de Agosto de 1956 d.C

>> Biografia de Bertold Brecht


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Frasário – Sargeta e estrelas

Todos estamos na sarjeta. Devemos porém manter os olhos nas estrelas.
Oscar Wilde¹

¹Oscar Fingall O’Flahertie Wills Wilde
* Dublin, Irlanda – 16 de Outubro de 1854 d.C
+ Paris, França – 30 de Novembro de 1900 d.C

>> Biografia de Oscar Wilde

Versos na tarde – Oscar Wilde

Amigos e Santos
Oscar Wilde¹

Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer,
mas pela pupila.
Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos.

Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo.
Deles não quero resposta, quero meu avesso.
Que me tragam dúvidas e angústias
e agüentem o que há de pior em mim
Para isso, só sendo louco.

Quero os santos, para que não duvidem das diferenças
e peçam perdão pelas injustiças.

Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta.
Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria.
Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto.
Meus amigos são todos assim:
metade bobeira, metade seriedade.

Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos.
Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade
sua fonte de aprendizagem,
mas lutam para que a fantasia não desapareça.

Não quero amigos adultos nem chatos.
Quero-os metade infância e outra metade velhice!
Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto;
e velhos, para que nunca tenham pressa.

Tenho amigos para saber quem eu sou.
Pois os vendo loucos e santos, bobos e sérios,
crianças e velhos, nunca me esquecerei de que normalidade
é uma ilusão imbecil e estéril.

¹Oscar Fingall O’Flahertie Wills Wilde
* Dublin, Irlanda – 16 de Outubro de 1854 d.C
+ Paris, França – 30 de Novembro de 1900 d.C

>> Biografia de Oscar Wilde