O capital não dorme! Coronavírus: os negócios globais que conseguiram crescer durante a pandemia

Muitos estão usando a internet para fazer compras, o que pode ser uma notícia boa para o comércio eletrônico; custos, no entanto, têm crescido para as empresas.

Direito de imagem GETTY IMAGES

A pandemia de coronavírus causou muitos problemas para a economia global, mas as medidas de isolamento social que restringem a circulação de pessoas também ajudaram, por outro lado, algumas empresas a prosperar.

No entanto, mesmo nas histórias de sucesso, é preciso interpretar os dados com cuidado.

Por exemplo, muitos estão usando a internet para fazer compras, o que pode ser uma notícia boa para o comércio eletrônico. Mas os números da gigante americana Amazon, no entanto, contam uma história diferente.

Pertencente ao homem mais rico do mundo, Jeff Bezos, a empresa ganhou as manchetes em meados de abril como uma das vencedoras claras da crise dos coronavírus, com hordas de clientes entrando em seu site e gastando cerca de US$ 11 mil (R$ 63 mil atualmente) por segundo.

Em resposta, as ações da Amazon registraram um aumento histórico.

Mas duas semanas depois, os contadores do grupo se viram diante de uma situação diferente. Dizem que a empresa poderá sofrer perdas pela primeira vez em cinco anos, quando seus dados financeiros forem divulgados entre abril e junho.

Direito de imagem GETTY IMAGES

A empresa diz que terá que gastar US $ 4 bilhões para lidar com a disseminação da covid-19.

Despesas em tempos de coronavírus

Apesar de ter gerado muito mais dinheiro entre janeiro e março, a Amazon enfrenta custos crescentes para lidar com o aumento de pedidos, forçando-a a contratar 175 mil trabalhadores a mais.

A empresa diz que terá que gastar US$ 4 bilhões para lidar com a disseminação da covid-19, que inclui fornecer a seus trabalhadores equipamento de proteção individual e realizar operações de desinfecção em seus gigantescos armazéns.

Esse valor excede os ganhos da Amazon durante o primeiro trimestre de 2019 (US $ 2,5 bilhões).

A Amazon tem resistido há muito tempo aos sindicatos, argumentando que prefere falar diretamente com seus funcionários sobre quaisquer preocupações que eles tenham.

Antes de seu anúncio sobre o custo dos custos da covid-19, a Amazon havia sido criticada por razões de segurança pela forma como trata sua força de trabalho durante a pandemia.

A Netflix ganhou 16 milhões de novos assinantes nos últimos meses – Direito de imagem GETTY IMAGES

O boom do streaming

O setor de entretenimento doméstico tem sido um vencedor claro na quarentena, mantendo uma tendência crescente que já vinha de antes.

Nos últimos anos, o streaming vem se tornando cada vez mais popular.

Apesar do número de pessoas que foram ao cinema em todo o mundo ter crescido 18% nos últimos dois anos, as assinaturas da Netflix aumentaram 47% no mesmo período.

Não é de surpreender que o setor de entretenimento doméstico prospere quando tantas pessoas não têm escolha a não ser ficar em casa.

“Na Itália e na Espanha, por exemplo, as novas instalações de aplicativos da Netflix aumentaram 57% e 34% durante o confinamento (respectivamente)”, disse à BBC o analista de tendências Blake Morgan.

“As pessoas precisam de entretenimento e escapismo agora mais do que nunca.”

A Netflix anunciou em 22 de abril que ganhou quase 16 milhões de novos clientes entre janeiro e abril.

Produções paralisadas e câmbio desfavorável

Mas, mesmo em um caso tão bem-sucedido, há aspectos negativos. As condições de confinamento paralisaram a produção de novas séries e filmes.

Além disso, muitas moedas nacionais perderam valor devido à pandemia, o que significa que os mais novos clientes internacionais da Netflix não estão trazendo tanto dinheiro para a empresa americana.

Outra grande empresa de entretenimento americana que teve lucro mas também perdas durante a pandemia é a Disney.

A empresa teve que fechar seus parques de diversões quando as medidas de contenção foram implementadas. Isso custou à Disney pelo menos US$ 1,4 bilhão, de acordo com o CEO Bob Chapek.

Mas, ao mesmo tempo, a demanda pelos serviços de streaming da Disney explodiu.

A plataforma Disney+, lançada em novembro, agora tem quase 55 milhões de assinantes, número que a Netflix levou cinco anos para obter.

Duas das maiores empresas de entrega do mundo, Fedex e UPS, com sede nos Estados Unidos, pediram ao governo dos EUA apoio para lidar com problemas logísticos causados ​​por restrições impostas pelo confinamento. Direito de imagem GETTY IMAGES

Problemas de logística durante o confinamento.

Poderíamos esperar que o crescente comércio eletrônico também trouxesse lucros para as empresas de entrega que deixam pacotes à sua porta, mas também nesse caso há problemas.

Duas das maiores empresas de entrega do mundo, Fedex e UPS, com sede nos Estados Unidos, pediram ao governo dos EUA apoio para lidar com problemas logísticos causados ​​por restrições impostas pelo confinamento.

Embora tenha havido um aumento no número de clientes particulares comprando online, as operações mais lucrativas são entre empresas, e a demanda dessas empresas caiu porque muitas tiveram que fechar suas portas ou reduzir suas atividades durante a pandemia.

Até agora, os lucros da UPS caíram mais de 26% neste ano.

Profissionais do sexo estão sofrendo com a pandemia.
Direito de imagem GETTY IMAGES

Sexo vende, mas não traz tanto lucro aos profissionais.

Da Colômbia à Dinamarca, houve um aumento na venda de brinquedos sexuais durante o confinamento.

É um ótimo negócio, com um mercado que movimentou quase US$ 27.000 milhões em 2019.

A covid-19 parece ter dado um impulso à indústria de brinquedos sexuais, com empresas especializadas em dispositivos de alta tecnologia que oferecem “experiências de longa distância” se beneficiando do distanciamento social.

Mas o coronavírus gerou perda de renda – e aumentou os riscos à saúde – para profissionais do sexo.

Em muitos países, as trabalhadoras do sexo não têm direitos trabalhistas e não são elegíveis para programas de ajuda do governo, colocando-as na pobreza e deixando algumas sem moradia durante a pandemia.

O Japão é uma exceção, sendo um país que ofereceu ajuda financeira a profissionais do sexo durante esta crise.

Vendas de colchões de ioga cresceram – Direito de imagemGETTY IMAGES

Exercício em confinamento

As restrições de movimento e viagens foram má notícia para as academias, mas a venda de equipamentos de treinamento para quem faz exercício em casa aumentou.

Na Austrália, por exemplo, houve uma corrida por itens de fitness, de pesos a tapetes de ioga.

As vendas do Smartwatch cresceram 22% no início de 2020, em comparação com o mesmo período de 2019, de acordo com um relatório da consultoria Strategy Analytics.

“Muitos clientes usam relógios inteligentes para monitorar sua saúde e exercícios durante o confinamento”, disse à BBC Steven Waltzer, analista da empresa.

Os personal trainers tentam usar a internet para substituir as sessões tradicionais, mas essa situação é difícil para muitos profissionais do setor e várias academias tiveram que fechar suas portas.

Plataforma Zoom permite que músicos no Equador façam transmissões aos fãs – Direito de imagemGETTY IMAGES

Comunicação online e trabalho remoto

Com milhões de pessoas em todo o mundo trabalhando em casa, as ferramentas de comunicação online ganharam popularidade.

A empresa que lidera o negócio de videoconferência é a Zoom; o aplicativo teve mais de 131 milhões de downloads em todo o mundo em abril, segundo a empresa de pesquisa Sensor Tower, 60 vezes mais que o mesmo período do ano anterior.

Mais de 18% desses downloads foram feitos na Índia, e o segundo país da lista são os Estados Unidos, com 14%.

O Zoom tornou-se a escolha preferida de muitas empresas e membros do público.

Embora a maioria das pessoas use a versão gratuita do aplicativo, que possui restrições como limites de tempo em uma chamada, o Zoom ganha dinheiro com usuários que pagam por seus recursos premium. Nos primeiros três meses de 2020, a empresa ganhou US$ 122 milhões, dobrando o que alcançou no mesmo período do ano passado.

Outro vencedor da tendência do “teletrabalho” foi o Slack.

A plataforma de mensagens instantâneas usada pelas empresas para comunicações internas disse que seus assinantes quase dobraram de número entre janeiro e março.

Ações do PayPalbateram recorde no dia 7 de maio
Direito de imagem GETTY IMAGES

Ações do PayPal

Uma das maiores empresas de pagamento digital do mundo, o PayPal, foi severamente afetada pela covid-19. Seu lucro líquido nos primeiros três meses de 2020 caiu para US$ 84 milhões, quase oito vezes menos que no mesmo período do ano passado.

Mas, ao mesmo tempo, as ações do PayPal atingiram seu valor mais alto em 7 de maio.

Como os analistas de mercado explicam isso?

Muitas pessoas enfrentam dificuldades financeiras e podem estar menos dispostas a gastar durante o confinamento, mas a mesma situação também pode incentivá-las a migrar para serviços de pagamento digital, um sinal potencialmente positivo para o futuro do PayPal.

O PayPal registrou 10 milhões de novas contas entre janeiro e março e processou até US$ 199 bilhões, um aumento de US$ 161,5 bilhões em relação ao mesmo período em 2019.

“Acreditamos que estamos alcançando um ponto de inflexão em todo o mundo, onde as pessoas estão vendo como é simples e fácil usar pagamentos digitais para serviços”, disse Dan Schulman, CEO do PayPal, a investidores em uma teleconferência em 6 de maio.

“Pesquisas mostram que agora as pessoas estão mais inclinadas a comprar online do que a voltar à loja”, acrescentou.

Tópicos do dia – 15/11/2011

07:41:00
Ligações Perigosas: filho de FHC e a Disney

O Ministério das Comunicações investiga os meandros da sociedade de Paulo Henrique Cardoso com o grupo Disney.

Deseja-se saber se o conglomerado americano de entretenimento controla ilegalmente uma emissora de rádio cuja concessão foi emitida em nome do filho de FHC. A emissora chama-se Itapema FM. Opera em São Paulo sob o nome fantasia de ‘Rádio Disney’.

A encrenca foi noticiada pela repórter Elvira Lobato, na Folha. Ela conta que, no papel, Paulo Henrique controlaria 71% do capital da rádio.  A ser verdadeiro o percentual, a Disney estaria dentro dos limites da Constituição, que fixa em até 30% a participação de grupos estrangeiros em veículos de comunicação.

O governo suspeita que, sob a divisão acionária de aparência legal, esconda-se uma ilegalidade. Na prática, a Disney comandaria a emissora. Na origem, o dono da rádio era Orestes Quércia (PMDB), morto no ano passado. Obteve a concessão no governo de José Sarney. Em 2007, Quércia vendeu a emissora ao grupo gaúcho RBS que, posteriormente, negociou-a com Paulo Henrique e a Disney.

08:54:27
Câncer de Lula e a Federação Brasileira de Entidades de Combate ao Câncer

Desde que foi anunciado o câncer do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, observa-se uma comoção no País. De um lado, uma avalanche de brasileiros apoiando o chamado ‘força Lula’; de outro, um número enorme de anônimos e famosos reforçando o movimento conhecido como ‘Lula, vai se tratar no SUS’.

Mas, o que separa os hospitais de referência oncológica do SUS do hospital privado Sírio Libanês? A resposta, que tentaram responder no Twitter, é simples: nada. Nada separa, neste caso e no que diz respeito ao tratamento oncológico oferecido aos pacientes, o público do privado.

Hoje, segundo o INCA, são 490 mil novos casos por ano, com mais de 160 mil mortes, colocando a doença no segundo lugar no ranking de óbitos no País, atrás apenas do infarto, acidente vascular e hipertensão. É fato: o câncer cresce a passos largos no Brasil e tende, com o aumento da expectativa de vida e das práticas inadequadas para a saúde, a crescer ainda mais.

Mas, ao contrário do que muitos pensam, a rede pública é referência no tratamento do câncer no Brasil: faz um excelente trabalho, usa a mesma técnica, os mesmos equipamentos e, do ponto de vista da junta médica, oferece equidade no tratamento ao paciente.

09:22:53
Brasil: da série “perguntar não ofende”!
O senhor conhece algum colarinho branco preso?
Eliana Calmon, corregedora nacional de Justiça, em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura.

09:44:02
Amar é bom até na Bíblia.
Tá lá na Bília, no Cântico dos cânticos:
“Beija-me com os beijos da tua boca; porque os teus amores são mais deliciosos que o vinho, e suave é a fragrância dos teus perfumes.”

09:53:43
Royalties e corupção
Quissamã, no RJ, é uma cidade turbinada por royalties e dominada por escândalos.
O prefeito fez até festa em Paris com dinheiro público. Mas alterar os royalties não é garantia de melhor gestão.
–>> Leia mais aqui

13:02:12
Crimes contra muçulmanos sobem 50% nos EUA em 2010
Os chamados “crimes de ódio” racial contra muçulmanos aumentaram quase 50% nos Estados Unidos em 2010, de acordo com estatísticas do FBI divulgadas nesta segunda-feira.
Esses dados, que são parte de um relatório sobre crimes de ódio, mostram que as ações criminosas motivadas por preconceitos contra muçulmanos aumentaram de 107 casos em 2009 para 160 em 2010.
Os crimes contra judeus registraram queda, com 887 casos em 2010 e 931 no ano anterior.

Os crimes contra católicos aumentaram levemente, com 51 casos em 2009 e 59 no ano seguinte.
O número total de incidentes classificados como crimes de ódio cresceu de forma marginal em 2010 para 6.628 casos, dos quais 47,3% estiveram motivados por ódio racial e 20% por ódio religioso, segundo o FBI.


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Twitter – empresas de mídia tentam descobrir como ganhar dinheiro com o microblog

O assunto “Twitter” foi o tema principal das discussões no evento anual de mídia e tecnologia nos Estados Unidos, que reune os principais executivos das áreas de comunicações. O diretor-executivo do Twitter, Evan Williams, foi o mais assediado quando chegou para participar da 27ª conferência de mídia e tecnologia de Sun Valley na California.

Atual fenômeno da internet, o serviço de microblog Twitter ainda gera desconfiança entre os principais executivos de mídia. Reunidos desde quarta-feira (8) na 27ª conferência anual de mídia e tecnologia de Sun Valley, nos EUA, os chefões do setor de comunicação tentam descobrir como ganhar dinheiro com o serviço de mensagens on-line.

Dois participantes do painel dedicado exclusivamente ao Twitter, realizado nesta quinta-feira (9), o veterano executivo Barry Diller e o magnata da TV a cabo John Malone reiteraram seu ceticismo sobre o potencial lucrativo do serviço de microblog.

“Acho que é um grande serviço. Só não acho que é um meio de propaganda natural”, disse Diller, que lidera o conglomerado de negócios on-line InterActiveCorp.

Malone, presidente da Liberty Media Corp, também acredita Twitter será bastante pressionado para vender publicidade no seu serviço de mensagens, sem prejudicar os usuários. E a melhor aposta do Twitter, segundo Malone, provavelmente é simplesmente fazer com que as pessoas fiquem tão viciadas no serviço que aceitem a pagar por ele.

É uma ideia que o YouTube, o serviço líder de vídeo na internet, talvez queira tentar. Malone disse que o bilionário investidor Warren Buffett confidenciou que ele gosta tanto de acessar o YouTube que estaria disposto a pagar US$ 5 por uma assinatura mensal do serviço.

Mas embora o YouTube esteja mais popular do que nunca, ainda não está ganhando dinheiro quase três anos depois de ter sido comprado pelo Google por US$ 1,76 bilhão.

Conversas

Os co-fundadores do Twitter, Evan Williams e Biz Stone, ainda não revelaram o seu modelo comercial, mas têm indicado que publicidade não está no alto de sua lista de prioridades. Por sua vez, a dupla tem sugerido que poderia cobrar taxas de empresas interessadas em mineração de dados sobre as preferências dos consumidores usuários do Twitter.

“É sempre bom ter atenção. Eu não sei se tem sido dada tanta atenção assim ao Twitter. Eu não tenho notado isso. Estou aqui apenas para aprender e encontrar amigos”, disse Williams, nesta quinta, que afirmou estar na conferência para discutir possíveis acordos com outros participantes do evento, mas não quis dizer quem.

Entre os participantes da 27ª conferência anual de mídia e tecnologia de Sun Valley estão Bill Gates (Microsoft), Eric Schmidt (Google), Robert Iger (Disney), Mark Zuckerberg (Facebook) e Rupert Murdoch (News Corp) – que disse na quarta que não está interessado em comprar o Twitter.

G1

Só rindo – Ave, César!

Não foi aqui, na terra dos tupiniquins nem tampouco em um certo país Ibérico. Foi na terra dos “Césares”.

Corte italiana convoca Mickey e Donald como testemunhas, diz jornal
Personagens dos desenhos foram intimados em processo de pirataria.
Segundo diário ‘Corriere della Sera’, eles devem comparecer a tribunal no dia 7.
Fonte – Agência AP

Uma corte italiana convocou nesta terça-feira (4) os personagens Piu-Piu, Mickey Mouse, Pato Donald e sua namorada Margarida para testemunharem em um caso de pirataria em Nápoles, Itália.

A trapalhada resultou de um erro da corte napolitana que incluiu as partes prejudicadas – isto é, os personagens dos desenhos – no julgamento de um chinês acusado de piratear as imagens da Disney e da Warner Bros em adesivos e brinquedos.

Uma cópia do processo obtida pela jornal italiano “Corriere della Sera” afirma que “Signor Topolino” (nome pelo qual Mickey é conhecido da Itália) e “Signor Paperino” (Donald) devem comparecer ao tribunal no próximo dia 7 de dezembro.

A intimação teria sido entregue a um escritório da Disney na Itália.