Banco CitiBank – Empresário vira biliardário por um dia ao achar R$ 700 bilhões na sua conta

Extrato-Cliente-Banco-Citibank-Bilionario
Clique para ampliar

Ele imprimiu extrato com saques e cheques compensados de R$ 9 bilhões.
Em nota, Citibank relata problema técnico no serviço da rede 24 Horas.

Um empresário carioca entrou na Justiça contra o banco onde tem uma conta corrente depois de ter descoberto, em setembro de 2008, que tinha um saldo disponível de R$ 734 bilhões. Em nota, o banco informou que, por uma falha técnica na transmissão de informações para a rede 24 horas, houve “distorção exclusivamente na formatação e impressão do extrato nesta rede”.

Luiz Carlos Pimenta se tornou, no papel, um dos homens mais ricos do mundo no dia 2 de setembro de 2008, mas a alegria durou pouco. No extrato bancário, ele encontrou registros de saques e compensação de cheques na casa dos bilhões. Um dos saques chegou a R$ 7 bilhões e um cheque eletrônico de R$ 9 bilhões também foi compensado na sua conta.

Luis Carlos constatou o saldo ao imprimir um extrato durante uma viagem a Belo Horizonte.

“Eu precisei ficar mais um dia em Belo Horizonte e precisava comprar roupas. Resolvi checar meu saldo antes de gastar o dinheiro“, contou ele, que foi a três caixas eletrônicos de onde tirou três extratos: todos mostravam os R$ 734.000.000.000,24 como o total em dinheiro disponível.

Diretor pagou passagem de volta

O empresário, que trabalha no ramo de toalhas, disse que, depois de tirar os extratos, não conseguiu mais fazer nenhuma movimentação. Ele disse que sua conta havia sido bloqueada. E explicou que um colega, que é diretor da sua empresa e que trabalha com ele, teve que pagar uma passagem até São Paulo, de onde ele voltou para o Rio.

Luiz Carlos ainda tentou tirar outros extratos em Belo Horizonte e São Paulo, mas não conseguiu resolver a situação.

“No dia seguinte fui a uma agência do Citibank no Rio e consegui tirar o extrato. Não tinha mais nada de errado na conta”, contou ele. Antes da confusão, o empresário tinha cerca de mil reais no banco, e ele só teve a conta desbloqueada dois dias depois. O cliente também reclamou de que funcionários da agência não conseguiram ajudá-lo.

Por causa do prejuízo, Luis Carlos procurou ajuda de advogados, que entraram com uma ação indenizatória pedindo cerca de 60 salários mínimos por causa do bloqueio da conta. Os advogados desconfiaram também das movimentações feitas na conta, todas no mesmo dia, com centavos “quebrados”, para uma possível identificação. E também estão preocupados de a Receita Federal questionar movimentação financeira tão grande na conta corrente do empresário.

Nota enviada pelo Citibank

A explicação do banco, em nota enviada ao G1, é a seguinte:

“Com relação ao suposto crédito indevido na conta do Sr. Luiz Carlos Pimenta, afirmamos que não há registros de crédito no valor relatado, nem bloqueio da Conta Corrente por esta razão.

Por meio de uma análise junto à área técnica, constatamos que no dia dois de setembro de 2008 ocorreram defeitos na transmissão de informações para a rede 24Horas, causando distorção exclusivamente na formatação e impressão do extrato nesta rede.

Este defeito não afetou os outros canais, Internet e telefone, para consulta e impressão de informações da conta corrente”.

O G1 entrou em contato com a assessoria de imprensa da rede de caixas 24 horas, que ficou de avaliar o problema relatado pelo Citibank.

Fonte G1

Visa e Mastercard – Cartão Credicard Citi, falha de segurança faz empresa do EUA cancelar cartão.

[ad#Retangulo – Anuncios – Esquerda]Empresa cancela cartões de crédito, mas não informa número de atingidos.
Vazamento ocorreu em empresa que processa cartões nos EUA e Canadá.

Uma falha de segurança no sistema da empresa norte-americana Heartland Payment Systems, que administra pagamentos de cartão de crédito – fornecendo máquinas nas quais os pagamentos em cartão são processados -, fez com que a Credicard Citi e o Citibank anunciassem o cancelamento de parte de seus cartões de crédito no Brasil.

A assessoria de imprensa da Credicard Citi explica que estão sujeitos à falha os cartões de crédito que foram processados nas máquinas da Heartland Systems – empresa que atua nos Estados Unidos e no Canadá. A Heartland não explica o período da falha, mas diz que o problema ocorreu em 2008.

A companhia não informa quantos clientes foram atingidos pela falha de segurança – anunciada pela Heartland Systems no último dia 20 de janeiro -, mas afirma que a ação de cancelamento é preventiva.

“O Citi atua de maneira preventiva ao detectar eventuais probabilidades de fraude. (…) A atuação prévia de cancelamento e substituição dos cartões de crédito de alguns clientes foi essencial para inibir a fraude e evitar danos aos portadores”, diz a empresa, em comunicado.

Visa e Mastercard

Mas o problema não está restrito aos cartões da Citi. Em comunicado, a Heartland aconselha os portadores de cartões de [ad#Retangulo – Anuncios – Direita]crédito das bandeiras Visa e Mastercard que usaram suas máquinas no ano de 2008 a procurar os bancos emissores de seus cartões para informações sobre eventuais fraudes.

Aliás, segundo informações divulgadas pela imprensa, o caso Heartland só começou a ser investigado depois de Visa e Mastercard alertarem a companhia sobre transações suspeitas.

Dados comprometidos

Entre os dados que foram comprometidos, de acordo com o comunicado da Heartland, estão o número do cartão, validade e outras informações que constam da tarja magnética.

Em um pequena porcentagem dos casos, diz a empresa, o nome do portador do cartão também pode ter ficado exposto. Segundo a Heartland, os clientes não terão prejuízo financeiro pelas transações não-autoridadas causadas pela falha de sistema.

do G1