Ministério Público denuncia Senador Marconi Perillo por Caixa 2

Como a população vai tomando conhecimento, ou como preconizava o então atlético e frasista ex-presidente Fernando Collor, “o tempo é o senhor da razão”.

Em assim sendo, não foi somente a dupla Marcos Valério/Delúbio Soares que fez uso do sofismático “recursos não contabilizados”.

Agora, além do senador mineiro Eduardo Azeredo, PSDB – aliás, foi sua (dele) ex-celência, quando candidato à reeleição em Minas nos idos dos anos 80, o descobridor, e primeiro usuário, das “habilidades” do carequinha marqueteiro – o cutelo do Ministério Público mira os solenes pescoços do ex-governador de Goiás e atual Senador Marcondes Perillo, e de Alcides Rodrigues Filho, atual governador de Goiás.

Vamos aguardar, em nome da isenção da informação e do uso de uma só medida acusatória, que as revistas semanais, os jornalões e as TVs estampem os retratos dos denunciados acompanhados da legenda “Chefe de Quadrilha”.

Ministério Público denuncia Perillo e Alcides por Caixa 2. O procurador-geral da República, Antonio Fernando Souza, denunciou o senador e o governardor de Goiás por fraude na campanha eleitoral de 2006.
Da Revista ÉpocaPor Matheus Leitão e Rodrigo Rangel

Até quinze dias atrás, o senador Marconi Perillo (PSDB-GO) e o governador de Goiás, Alcides Rodrigues Filho (PP), formavam uma dupla de sucesso no mundo político. Depois de governar o estado por dois mandatos, acabando com o domínio do PMDB local, Perillo elegeu-se senador, em outubro de 2006, com 75% dos votos, e ainda transformou seu vice, o então desconhecido Alcides Filho, o “Cidinho”, em seu sucessor no governo.

Na manhã de 28 de março, o Ministério Público Federal finalizou uma denúncia devastadora contra os dois. Num processo que tramita em segredo de Justiça, o procurador-geral da República, Antonio Fernando Souza, denunciou os políticos ao Supremo Tribunal Federal (STF) pelos crimes de formação de quadrilha, peculato, caixa dois, uso da máquina pública e utilização de notas frias e laranjas para fraudar a eleição de 2006. Se for aceita pelo plenário do STF, a denúncia vai desafinar o sucesso da dupla goiana.

Continue lendo