Aviões – Memória

Hawker  Hurricane – 2ª Guerra Mundial
Aviação - Memória Hawker Hurricane InglaterraClique na imagem para ampliar

O Hawker Hurricane foi um dos mais famosos aviões de caça britânicos da Segunda Guerra Mundial. Projetado em 1934, por Sidney Camm, foi o primeiro caça monoplano da Royal Air Force (RAF) e também o primeiro que podia atingir velocidade superior a 480 km/h (ou 300 ml/h).

Os primeiros Hurricane foram entregues à RAF em dezembro de 1937 e, em setembro de 1939, já equipavam 18 esquadrões, alguns dos quais foram enviados à França. Mais da metade dos aviões alemães abatidos durante o primeiro ano da guerra, foi vítima dos Hurricane.[ad name=”Retangulo – Anuncios – Direita”]

O maior peso da Batalha da Inglaterra coube aos 32 esquadrões de Hurricane disponíveis, que tinham a incumbência de atacar os bombardeiros alemães, deixando aos Spitfire, mais ágeis e mais velozes, a tarefa de enfrentar os aviões de caça nazistas.

Em 1941, alguns exemplares da versão Mk.I foram modificados para o lançamento através de catapulta. Estes modelos ficaram conhecidos pelo nome de Hurricat. Em 1942, foi lançada a versão Sea Hurricat, para catapulta e porta-aviões.

Durante os primeiros anos da Segunda Guerra Mundial, 2.952 exemplares foram fornecidos à União Soviética, e deram boas provas também naquela frente.

No total, foram produzidos 14.533 Hurricane, nas versões Mk.I (1937), Mk.lI (1943), que se distinguiram em todas as frentes, inclusive como aviões de ataque ao solo.

Caças F-16 em desuso são transformados em drones

‘Caça-drone’ fez voo de estreia na semana passada.

A Boeing adaptou caças F-16 em desuso para serem operados como drones, os aviões militares não-tripulados.

Do solo, dois pilotos da Força Aérea americana controlaram um dos caças, que fez seu voo de estreia na semana passada. A aeronave decolou de uma base aérea na Flórida e sobrevoou o Golfo do México.

caça sem tripulação | Reuters

O novo drone atingiu velocidade 1.800 km/h e fez manobras arriscadas, usadas em situações de combate.

A Boeing acredita que a novidade pode ajudar no treinamento de pilotos.

Os drones podem servir de adversários para exercícios de artilharia.

Os aviões reformados foram batizados de QF-16 e devem em breve ser usados em testes da Força Aérea americana.


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]