Bancos lucram e consumidor pede socorro.

Por – Emanuel Gonçalves
Consultor de dívidas na Bahia. www.sosdividas.com.br

A população está cada vez mais indignada ao constatar que os bancos continuam batendo recorde em cima de recorde em seus lucros as custas da miséria de muitos e do completo empobrecimento do consumidor refém desta explicita exploração.

Se no governo FHC eles já pintavam o sete com Lula pintam o oito o vinte o cem o mil e o quanto bem entendem, um escândalo!

Se o negócio era “fazer receita” em cima da conta corrente do cliente (quem trabalha ou trabalhou em banco sabe o que isto quer dizer), agora eles também manipulam os salários do consumidor antes de entrar na conta, ou seja, a margem de trinta por cento ou até mais é repassado através das empresas publicas e privadas em função do “desgraçado” empréstimo consignado.
Desculpem usar este termo, mas é revoltante para todos e principalmente no meu caso por conhecer diversas vitimas em função do meu trabalho de consultor de dívidas.

Tenho uma cliente que fez o primeiro empréstimo para pagar em 12 meses com o valor da prestação no limite da chamada margem de consignação; seu salário liquido ficou apertado ela precisou de mais dinheiro e na terceira ou quarta prestação renovou o empréstimo, como não era possível aumentar a margem o plano de pagamento passou de 12 para 24 meses, depois repetiu, repetiu e hoje já está em 60 meses…

Vamos aos fatos, a verdade é que muita gente ganha com estes empréstimos consignados, são repassadas comissões a quem tem o poder de decidir a quem faz a intermediação destes convênios entre outros beneficiados, é uma festa, tudo em cima do tomador dos empréstimos…

Ninguém alivia o consumidor, tanto nos convênios dos funcionários públicos e privados como também nos financiamentos de diversos tipos como por exemplo:Financiamentos de veículos.
Conheço um proprietário de agencia que vende cerca de 25 carros por mês, dos quais 95% são financiados o que gera um faturamento bruto de mais ou menos 45 a 50 mil reais.

Pois bem, cerca de uns 16 mil reais, ou seja, mais de um terço do seu faturamento vem de comissão das financeiras e a comissão recebida é sempre maior quando a tabela aplicada na venda do veiculo apresenta juros mais altos.

São apenas alguns exemplos em seguimentos diferentes que provam os desmandos praticados pelo sistema financeiro e justificam os ganhos astronômicos registrados a cada semestre que é publicado os balanços bancários. Imagine o que não é publicado!

Outro exemplo, taxas e tarifas são debitadas aleatoriamente, se você tem em seu saldo de conta corrente apenas 2 reais e o banco debita 3 reais, isto mesmo, debita como diferença de CPMF ou inventa qualquer outro motivo, seu saldo fica devedor 1 real, pois bem, eles então debitam uma taxa de 19 reais (varia de banco a banco) porque a conta ficou devedora, aí você já passou a dever ao banco 20 reais, é pouco ou quer mais?

Se depender do governo federal, dos governos estaduais e municipais, nada vai mudar, resta a única alternativa que é o judiciário; quem pode financeiramente e vale a pena recorrer consegue reparar parcialmente ou totalmente os danos sofridos, depois de muito sofrimento e quem não pode ou então os valores não vale a pena, neste caso representa a grande maioria das pessoas, esta grande maioria continua sendo alvo e vítima deste sangramento cruel e perverso.

A estes desamparados consumidores resta apenas uma alternativa: SOCORRO!
Share the Post:

Artigos relacionados

Anistia nunca mais

A História do Brasil está intoxicada por sucessivas anistias e conciliações. Como sequela impera a certeza da impunidade. O desprezo

Ler mais