Opinião do outros – Sobre Fidel Castro

“Toda unanimidade é burra”, afirmou com muita propriedade Nelson Rodrigues. Assim, no momento em que a história registra o fato inusitado do primeiro ditador – Fidel Castro – a anunciar que deixa o poder (sic), vou publicando aqui no blog, pontos de vista de diferentes formadores de opinião. Abaixo a opinião do jornalista Mino Carta no blog do Mino.

De Hitler a Stalin, de Mussolini a Mao, de Franco a Fidel Castro, todos eles e outros mais poderiam dizer “o Estado sou eu”. Como Luis XIV. Mesmo revoluções nascidas à sombra da bandeira da esquerda tornam-se de direita, com a economia dirigida pela máquina estatal e a repressão feroz das idéias e dos espíritos contrários. Nem por isso Fidel Castro deixa de ser uma figura histórica imponente, igual a Luis XIV (cada qual no seu tempo), e a Cuba de hoje é infinitamente mais respeitável do que a Cuba de Fulgêncio Batista, que, a bem da sacrossanta verdade, não merecia respeito algum.

Não sei o que dirá a mídia nativa a propósito da renúncia de Fidel, embora imagine as reações dos seus amigos e admiradores. Ele já vaticinou que a história o julgaria. Creio que a história não deixará de vê-lo como herói de uma revolução popular e como o líder carismático capaz de desafiar o império nas barbas do próprio, 49 anos a fio. Deste ponto de vista, a figura é única e grandiosa. Como governante, tem notáveis méritos do ponto de vista social, falhou, porém, na política macro-econômica em geral e monetária em particular.

O povo cubano conta com extraordinários avanços conseguidos nas áreas da saúde e da educação, mas vive apertos pela vida caríssima e pela falta de dinheiro, a ponto de ser obrigado a praticar o escambo em vários cantos do país.

No caso da repressão, não consigo ser fatalista ao tê-la como inevitável. Tenho medo, confesso, de quem está disposto a matar o adversário político tempo depois do advento da revolução. Não conheci pessoalmente Fidel. Não tenho simpatia, entretanto e ao menos à primeira vista, por quem usa farda por toda a existência.

José Mesquita

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e designer gráfico e digital.

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e “designer”.

Bacharel em administração e bacharelando em Direito.

Participou de mais de 150 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior.

Mais artigos

Siga-me