Nem só de Obama vive a eleição nos USA

Referendos aprovam casamento gay e maconha e mantêm pena de morte em Estados nos EUA.

Além de escolherem o novo presidente dos Estados Unidos, nesta terça-feira os americanos também votaram em algumas medidas estaduais conhecidas como ”ballot measures”.
Foram 176 referendos em 38 dos 50 Estados americanos.

Entre os temas da votação estavam legalização da maconha, proibição da pena de morte e o reconhecimento legal do casamento gay, a obrigatoriedade de indicar nos rótulos de alimentos a presença de ingredientes geneticamente modificados, o direito ao suicídio assistido em Massachusetts e o uso obrigatório de camisinhas por atores pornôs em Hollywood.

Este último ainda não teve o resultado divulgado.

Os eleitores nos Estados americanos de Maine e Maryland aprovaram o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Já Washington e Colorado votaram pela legalização da maconha, como droga recreativa.

O casamento gay já é permitido em seis Estados americanos, mas esta foi a primeira vez que a medida foi aprovada em um referendo, pelo voto popular, e não apenas através do processo legislativo e judiciário.

Em Washington, o resultado do referendo sobre o tema deve sair até o final dessa quarta-feira.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

Tanto o Colorado quanto Washington vão permitir a posse de até 28 gramas de maconha. No caso do Colorado, o uso da droga em espaços públicos é permitido, mas os cidadãos terão direito de cultivar até seis pés de maconha em casa.

Já em Washington, os eleitores aprovaram um sistema de licenças estatais que serão emitidas a produtores de maconha. Em Massachusetts, um referendo aprovou o uso medicinal da maconha.

Pena de morte e alimentos

Os eleitores da Califórnia rejeitaram a proposta de proibir a pena de morte e substituí-la pela prisão perpétua sem opção de liberdade condicional, segundo a maioria dos votos computados.[ad#Retangulo – Anuncios – Esquerda]

O Estado americano mais populoso se pronunciou contra a chamada Proposta 34, com 53,6% dos eleitores contra e 46,4% a favor, segundo dados do site da secretaria de Estado da Califórnia, que considera a proposta rejeitada.

Os californianos também rejeitaram uma proposta de obrigar as empresas fabricantes de alimentos que contêm organismos geneticamente modificados (OGM) a etiquetá-los como tais.

Segundo o site da secretaria de Estado, os eleitores rejeitaram a chamada Proposta 37 por 54% a 46%.

Outros resultados

Os eleitores de Maryland, um Estado onde a população hispânica mais do que dobrou na década passada, aprovaram que universitários sem documentos dos EUA tenham o direito de pagar taxas acadêmicas idênticas às de seus colegas americanos. UOL/Com BBC, Associated Press e AFP

Deixe uma resposta