Louise Glück, poetisa americana, ganha Prêmio Nobel de Literatura 2020

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
[...]sentir pena desses homens: eles não sabem para o que estão olhando;

Autora foi premiada ‘por sua inconfundível voz poética que, com beleza austera, torna universal a existência individual’.

Foto Reprodução
Glück foi premiada pela “inconfundível voz poética, que, com uma beleza austera, torna a existência individual universal”, afirmou a instituição. Ela é autora de vários livros de poesia premiados, entre eles, Faithful and virtuous night (2014), que venceu o National Book Award, e Poems 1962-2012 (2012), que conquistou o Los Angeles Times Book Prize. O primeiro livro lançado pela escritora foi Firstborn, em 1968. A mais recente obra é uma coletânea de ensaios intitulada American originality, de 2017.

Louise Glück é a 16ª mulher a vencer o Prêmio Nobel de Literatura – a última autora a conquistar o título foi Olga Tokarczuk (2018) – e a quarta mulher laureada este ano, que premiou Andrea Ghez, Emmanuelle Charpentier e Jennifer A. Doudna em prêmios científicos.

Carreira e trajetória de Louise Glück

Nascida em Nova York em 1943, a escritora chegou a estudar em duas universidades Sarah Lawrence College e Columbia University, porém nunca obteve o diploma. Mesmo assim fez carreira na academia dando aula de poesia em diversas instituições dos Estados Unidos, entre elas, Yale.

O trabalho da autora é conhecido pela precisão técnica e a sensibilidade nos textos. Casos de amor fracassados, encontros familiares desastrosos e desespero existencial fazem parte de alguns dos temas tratados por Glück nas obras, principalmente, do início da carreira. Os mais recentes livros abordam a agonia do eu.

Ítaca
vive na cabeça. O tear
é para os pretendentes, suspenso
como uma harpa de brancos filamentos.
Ele era duas pessoas.
Era corpo e voz, o fácil
magnetismo de um homem vivo, e então
o sonho revelado ou a imagem
formada pela mulher manejando o tear,
ali sentada num salão cheio
de homens de mentes literais.
Se te causa pena
o mar enganado que tentou
levá-lo para sempre
e devolveu apenas o primeiro,
o verdadeiro marido, deverias
sentir pena desses homens: eles não sabem
para o que estão olhando;
eles não sabem que quando alguém ama dessa maneira
o manto se torna um vestido de casamento.

O Prêmio Nobel de Literatura foi concedido a apenas 16 mulheres entre uma centena de homens desde sua criação, em 1901. Antes de Louise, a última delas havia sido Olga Tokarczuk, em 2018.
1909 – Selma Lagerlöf
1926 – Grazia Deledda
1928 – Sigrid Undset
1938 – Pearl Buck
1945 – Gabriela Mistral
1966 – Nelly Sachs
1991 – Nadine Gordimer
1993 – Toni Morrison
1996 – Wislawa Szymborska
2004 – Elfriede Jelinek
2007 – Doris Lessing
2009 – Herta Müller
2013 – Alice Munro
2015 – Svetlana Alexievich
2018 – Olga Tokarczuk
2020 – Louise Glück

Alguns livros de destaque de Louise Glück
Firstborn (1968)
The house on Marshland (1975)
The garden (1976)
Descending Figure (1980)
The triumph of Achilles (1985)
Ararat (1990)
The wild Iris (1992)
Proofs and theories (1994)
Meadowlands (1996)
Vita Nova (1999)
The seven ages (2001)
Averno (2006)
A village life (2009)
Poems 1962-2012 (2012)
Faithful and virtuous night (2014)

José Mesquita

José Mesquita

Nasceu em Fortaleza,Ce. Pintor, escultor, gravador e "designer". Bacharel em Administração, Ciências da Computação e bacharel em Direito. Pós-graduado em Direito Constitucional. É consultor em Direito Digital. Participou de mais de 250 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior. Design Gráfico, já criou mais de 35 marcas, logotipos, logomarcas, e de livrosa de arte para empresas no Brasil e Exterior Criador e primeiro curador do Prêmio CDL de Artes Plásticas da Câmara de Dirigentes Lojista de Fortaleza e do Parque das Esculturas em Fortaleza. Foi membro da comissão de seleção e premiação do Salão Norman Rockwell de Desenho e Gravura do Ibeu Art Gallery em Fortaleza, membro da comissão de seleção e premiação do Salão Zé Pinto de Esculturas da Fundação Cultural de Fortaleza, membro da comissão e seleção do Salão de Abril em Fortaleza. É verbete no Dicionário Brasileiro de Artes Plásticas e no Dicionário Oboé de Artes Plásticas do Ceará. Possui obras em coleções particulares e espaços públicos no Brasil e no exterior. Foi diretor de criação da Creativemida, empresa cearense desenvolvedora de portais para a internet e computação gráfica multimídia. Foi piloto comercial, diretor técnico e instrutor de vôo da Ecola de Aviação Civil do Ceará. É membro da National American Photoshop Professional Association - NAPP, Usa. É membro da Academia Fortalezense de Letras e Membro Honorário da Academia Cearense de Letras. Autor de três livros de poesias - e outros quatro ainda inéditos; uma peça de teatro; contos e artigos diversos para jornais; apresentações e prefácios de publicações institucionais; catálogos e textos publicitários. Ministra cursos gratuítos de Arte e de Computação Básica para crianças e adolescentes em centros comunitários de comunidades carentes na periferia das cidades.

Gostou? Deixe um comentário

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e “designer”.

Bacharel em administração e bacharelando em Direito.

Participou de mais de 150 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior.

Mais artigos

Siga-me