John Donne – Constância Feminina


Constância Feminina
John Donne

Agora já me amaste por um dia inteiro.
Amanhã, quando partires, o que dirás?
Irás antedatar algum voto mais recente?
Ou dizer que, agora,
Já não somos exatamente os mesmos de antes?
Ou que as juras, feitas por medo reverencial
Ao Amor e à sua ira, se podem renegar?
Ou, como veras mortes desligam veros casamentos,
A imagem destes, os contratos dos amantes
Unem só até que o sono, imagem da morte, os separe?
Para justificar teus próprios fins,
Tendo proposto mudança e falsidade, não terás tu
Outro meio senão a falsidade para seres sincera?
Lunática vã, contra tais evasivas eu poderia
Argumentar e ganhar, se quisesse,
O que me abstenho de fazer
Porque, amanhã, poderei vir a pensar como tu.

Tradução de Helena Barbas


Você leu?: Elisa Lucinda – Cor-respondência


Postado na categoria: Literatura, Poesia - Palavras chave: ,

Leia também:

Adolfo Cascais Monteiro - Aurora
Adolfo Cascais Monteiro - Aurora

A poesia não é voz – é uma inflexão.

August 17, 2019, 6:45 pm
Michel de Montaigne - Não há nada tão enjoativo quanto a abundância
Michel de Montaigne - Não há nada tão enjoativo quanto a abundância

O amor bem nutrido e excessivamente submisso logo nos enjoa e cansa

July 29, 2019, 4:28 pm
Bernard Baruch - Frase do dia
Bernard Baruch - Frase do dia

Todos têm direito de se enganar nas suas opiniões...

July 25, 2019, 1:22 pm
Alberto Caeiro - Ontem à tarde um homem das cidades
Alberto Caeiro - Ontem à tarde um homem das cidades

Heterônimo de Fernando pessoa

August 7, 2019, 8:00 pm
Elisa Lucinda - Cor-respondência
Elisa Lucinda - Cor-respondência

de versos que nos bolinaram os dois

August 18, 2019, 6:00 pm
Cesare Pavese - A nossa arte
Cesare Pavese - A nossa arte

A arte de mergulhar fulminante e profundamente na dor

August 17, 2019, 6:34 pm