Jean de La Bruyére – Os Caracteres


A Fronteira Entre a Amizade e o AmorJean de La Bruyére, Literatura,

Há na pura amizade um prazer a que não podem atingir os que nasceram medíocres. A amizade pode subsistir entre pessoas do mesmo sexo a diferentes, isenta mesmo de toda a materialidade. Uma mulher, entretanto, olha sempre um homem como um homem; e reciprocamente, um homem olha uma mulher como uma mulher; essa ligação não é paixão nem pura amizade: constitui uma classe aparte.

O amor nasce bruscamente, sem outra reflexão, por temperamento, ou por fraqueza: um detalhe de beleza nos fixa, nos determina. A amizade, pelo contrário, forma-se pouco a pouco, com o tempo, pela prática, por um longo convívio. Quanta inteligência, bondade, dedicação, serviços e obséquios, nos amigos, para fazer, em anos, muito menos do que faz, às vezes, num minuto, um rosto bonito e uma bela mão!

O tempo, que fortalece as amizades, enfraquece o amor. Enquanto o amor dura, subsiste por si, e às vezes pelo que parece dever extingui-lo: caprichos, rigores, ausência, ciúme; a amizade, pelo contrário, precisa de alento: morre por falta de cuidados, de confiança, de atenção. É mais comum ver um amor extremo que uma amizade perfeita.

O amor e a amizade excluem-se um ao outro. Aquele que teve a experiência de um grande amor descuida a amizade; e quem se esgotou na amizade ainda não fez nada para o amor.
O amor começa pelo amor, e só se passaria da mais forte amizade para um amor fraco. Nada se parece mais com uma viva amizade do que essas ligações que o interesse do nosso amor nos faz cultivar.


Você pode se interessar também sobre: Cora Coralina – Versos na tarde


Jean de La Bruyére, in “Os Caracteres”

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: ,

Leia também:

Saramar Mendes - Versos na tarde

Poema De Desamar Saramar Mendes ¹ Sob o vôo dos versos, alguma alma existe. Além do sorriso ou da lágrima de todo dia, fechada a porta, sou uma mulher que...

March 7, 2011, 9:00 pm
Mário Quintana - Versos na tarde

Poema Mário Quintana ¹ Sonho um poema que ao lê-lo, nem sentirias que ele já estivesse escrito, mas que fosse brotando, no mesmo instante, de teu próprio coração. ¹ Mário...

March 1, 2010, 9:00 pm
Carol Timm - Versos na tarde

Fim do Mundo Carol Timm ¹ Era o fim do mundo Anunciado pelo teu silêncio Já habitava a casa fria Lápide construída pelo que faltava Não havia azul Não se...

February 12, 2011, 9:00 pm
Sandro Ornellas - Versos na tarde - 16/03/2016

Impurezas da pele Sandro Ornellas¹ Essa pele impura roça a sua, roça e sua a experiência mais crua. Você não entende como essa pele se estende contente por entre anelos,...

March 16, 2016, 9:00 pm
Benjamin Franklin - Frase do dia - 19/06/2014

"Um idiota letrado é muito mais idiota do que um ignorante." Benjamin Franklin

June 19, 2014, 10:02 am
Fernanda Castro - Poema de solidão
Fernanda Castro - Poema de solidão

Nem aqui nem ali: em parte alguma.

June 11, 2019, 8:56 pm