Hackers podem criar vírus para invadir a mente humana?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O desenvolvimento da biologia sintética está acontecendo de maneira mais acelerada do que a tecnologia dos computadores.

Marionete,Blog do Mesquita

Essa disparidade evolutiva está fazendo com que os pesquisadores se questionem sobre a possibilidade de hackers desenvolverem vírus para invadir a mente humana.

De acordo com Andrew Hessel, cientista da Singularity University, pertencente à NASA, esse desenvolvimento poderia levar a um mundo em que hackers se transformariam em engenheiros de vírus ou bactérias e poderiam controlar as ações da mente.

“Essa é uma das tecnologias mais poderosas do mundo da biologia sintética”, explica Hessel. “Eu defendo que células são computadores vivos e o DNA é a sua linguagem de programação”, completa.[ad name=”Retangulo – Anuncios – Direita”]

Assim como no futuro será possível codificar o DNA e, com isso, identificar e prevenir doenças, vírus e bactérias podem ser injetados diretamente no cérebro para influenciar ou mesmo controlar pessoas.

Um vírus letal injetado em um hospedeiro disfarçado de vacina, por exemplo, pode ser usado para controlar um determinado comportamento.

Para o especialista em segurança Marc Goodman, a biologia sintética vai levar a novas formas de bioterrorismo e biocrime, da mesma maneira que a evolução da informática deu início a vários problemas na década de 80.

“Na época ninguém se preocupou, mas ele cresceu de forma exponencial”, completa.
Fonte:TecMundo

José Mesquita

José Mesquita

Nasceu em Fortaleza,Ce. Pintor, escultor, gravador e "designer". Bacharel em Administração, Ciências da Computação e bacharel em Direito. Pós-graduado em Direito Constitucional. É consultor em Direito Digital. Participou de mais de 250 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior. Design Gráfico, já criou mais de 35 marcas, logotipos, logomarcas, e de livrosa de arte para empresas no Brasil e Exterior Criador e primeiro curador do Prêmio CDL de Artes Plásticas da Câmara de Dirigentes Lojista de Fortaleza e do Parque das Esculturas em Fortaleza. Foi membro da comissão de seleção e premiação do Salão Norman Rockwell de Desenho e Gravura do Ibeu Art Gallery em Fortaleza, membro da comissão de seleção e premiação do Salão Zé Pinto de Esculturas da Fundação Cultural de Fortaleza, membro da comissão e seleção do Salão de Abril em Fortaleza. É verbete no Dicionário Brasileiro de Artes Plásticas e no Dicionário Oboé de Artes Plásticas do Ceará. Possui obras em coleções particulares e espaços públicos no Brasil e no exterior. Foi diretor de criação da Creativemida, empresa cearense desenvolvedora de portais para a internet e computação gráfica multimídia. Foi piloto comercial, diretor técnico e instrutor de vôo da Ecola de Aviação Civil do Ceará. É membro da National American Photoshop Professional Association - NAPP, Usa. É membro da Academia Fortalezense de Letras e Membro Honorário da Academia Cearense de Letras. Autor de três livros de poesias - e outros quatro ainda inéditos; uma peça de teatro; contos e artigos diversos para jornais; apresentações e prefácios de publicações institucionais; catálogos e textos publicitários. Ministra cursos gratuítos de Arte e de Computação Básica para crianças e adolescentes em centros comunitários de comunidades carentes na periferia das cidades.

Gostou? Deixe um comentário