• mqt_for@hotmail.com
  • Brasil

Hackers: descoberto o maior ataque já feito

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Empresa afirma ter descoberto a maior série de ataques hackers

Criminosos teriam invadido redes de 72 organizações.

Empresa de segurança McAfee descobriu as invasões.

Invasões a redes de 72 organizações ocorreram durante 5 anos, afirma McAfee.

Especialistas em segurança descobriram uma série de ataques hackers em redes de 72 organizações.

Durante cinco anos, os criminosos invadiram sistemas da ONU, governos e empresas ao redor do mundo.

Segundo a empresa de segurança McAfee, que descobriu as invasões, esta teria sido a maior série de ataques já registrada.

A companhia acredita que exista um “protagonista estatal” por trás dos ataques, mas não identificou o país, ainda que um especialista em segurança tenha afirmado que os indícios apontam para a China.

A lista de vítimas inclui os governos dos Estados Unidos, Taiwan, Índia, Coreia do Sul, Vietnã e Canadá, o Comitê Olímpico Internacional (COI) e uma série de empresas.

No caso da ONU, os hackers invadiram o sistema de computação de seu secretariado em Genebra, em 2008, e operaram em silêncio na rede durante dois anos, obtendo discretamente grande volume de dados sigilosos, de acordo com a McAfee.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

“Ficamos surpresos com a enorme diversidade das organizações vítimas e com a audácia dos criminosos”, afirmou o vice-presidente da McAfee Dmitri Alperovitch.

A pesquisa de 14 páginas sobre os ataques foi divulgada nesta quarta-feira (3).

Origem

A McAfee descobriu a gravidade das invasões em março de 2011.

A empresa afirma que as primeiras violações ocorreram em meados de 2006.

Alguns dos ataques duraram apenas um mês, mas o mais o longo – contra o comitê olímpico de um país asiático não identificado – se estendeu intermitentemente por 28 meses, de acordo com a McAfee.

“Empresas e agências de governos estão sendo hackeadas e saqueadas todos os dias.

Eles estão perdendo vantagens econômicas e segredos nacionais para competidores sem escrúpulos”, afirmou Alperovitch.

“Trata-se da maior transferência de riqueza de todos os tempos, em termos de propriedade intelectual”, disse.

“A escala com que isso está acontecendo é muito assustador”.

Jim Lewis, especialista do Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais, afirmou ser muito provável que a China esteja por trás das invasões já que alguns alvos têm informações que são interessantes para o país.

Sistemas de vários Comitês Olímpicos Nacionais foram violados na preparação para os Jogos de Pequim em 2008, por exemplo.

A McAfee não quis comentar sobre a possibilidade de a China ser a responsável pelos ataques.

Reuters

José Mesquita

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e "designer". Bacharel em administração e bacharel em Direito. Pós-graduado em Direito Constitucional. Participou de mais de 150 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior. Criador e primeiro curador do Prêmio CDL de Artes Plásticas da Câmara de Dirigentes Lojista de Fortaleza e do Parque das Esculturas em Fortaleza. Foi membro da comissão de seleção e premiação do Salão Norman Rockwell de Desenho e Gravura do Ibeu Art Gallery em Fortaleza, membro da comissão de seleção e premiação do Salão Zé Pinto de Esculturas da Fundação Cultural de Fortaleza, membro da comissão e seleção do Salão de Abril em Fortaleza. É verbete no Dicionário Brasileiro de Artes Plásticas e no Dicionário Oboé de Artes Plásticas do Ceará. Possui obras em coleções particulares e espaços públicos no Brasil e no exterior. É diretor de criação da Creativemida, empresa cearense desenvolvedora de portais para a internet e computação gráfica multimídia. Foi piloto comercial, diretor técnico e instrutor de vôo do Aero Clube do Ceará. É membro da National American Photoshop Professional Association, Usa. É membro honorário da Academia Fortalezense de Letras.

Gostou? Deixe um comentário