Fernando Pessoa – Poesia

Nesta quieta solidão sem fim


Aqui, neste sossego e apartamento
Fernando PessoaFotografia,Janela,Flickr,Blog do Mesquita
 
Aqui, neste sossego e apartamento,
Nesta quieta solidão sem fim,
Sem cuidado ou tormento
Que ocupe este momento,
Da vida e mundo volto-me para mim.
Tão breve sombra do que pude ser
Me encontro, tão perdida semelhança
Com minha vida por acontecer,
Tão noturna lembrança
Do dia e do viver,
Que se perturba a solidão, e eu moro
Entre homens novamente
E novamente cheio
O que fui de outros, e que rememoro,
E, memorando-o, é mais insubsistente.
Ténue, vazio, inútil, imperfeito.

Postado na categoria: Literatura, Poesia - Palavras chave: ,

Leia também:

Myriam Fraga - A Casa - Poesia
Myriam Fraga - A Casa - Poesia

Pedra sobre pedra/Construí esta casa: Tijolo, sonho e argila.

November 28, 2019, 9:00 pm
Cora Coralina - Poema de amor
Cora Coralina - Poema de amor

É uma oferenda aos teus momentos de luta e de brisa e de céu...

November 24, 2019, 4:00 pm
Manoel Caixa D'Água - Se as noites envelhecessem - Poesia
Manoel Caixa D'Água - Se as noites envelhecessem - Poesia

A cidade sem porta, as ruas brancas de minha infância que não voltam mais.

December 7, 2019, 7:33 pm
Ana Luísa Amaral - Pequenos mosaicos - Poesia
Ana Luísa Amaral - Pequenos mosaicos - Poesia

É agora - na pura ausência das coisas

November 15, 2019, 8:00 pm
Descartes - Métodos Racionais
Descartes - Métodos Racionais

O primeiro consistia em nunca aceitar como verdadeira qualquer coisa sem a conhecer evidentemente como tal

November 23, 2019, 8:06 pm
Lya Luft - Tão sutilmente em tantos breves anos - Poesia
Lya Luft - Tão sutilmente em tantos breves anos - Poesia

...que aos poucos dois são um, sem que no entanto

December 6, 2019, 8:00 pm