Fernanda Castro – Poema de solidão

Nem aqui nem ali: em parte alguma.


Poema de solidão
Fernanda CastoSolidão,Praia,Blog do Mesquita

Nem aqui nem ali: em parte alguma.
Não é este ou aquele o meu lugar.
Desço à praia, mergulho as mãos no mar,
mas do mar, nos meus dedos, fica a espuma.

Meu jardim, minha cerca, meu pomar.
Perpassa a Ideia e mói, como verruma.
Falar mas para quê? Só por falar?
Já nada quer dizer coisa nenhuma.

Os instintos à solta, como feras,
e eu a pensar em velhas primaveras,
no antigo sortilégio das palavras.

Agora é tudo igual, prazer e dor,
e a tua sementeira não dá flor,
ó triste solidão que as almas lavras.


Você pode se interessar também sobre: Shakespeare – Frase do dia – 30/12/2013


Postado na categoria: Literatura, Poesia - Palavras chave: ,

Leia também:

Hilda Hilst - Versos na tarde

Toma-me Hilda Hilst ¹ Toma-me. A tua boca de linho sobre a minha boca Austera. Toma-me AGORA, ANTES Antes que a carnadura se desfaça em sangue, antes Da morte, amor,...

May 18, 2011, 9:00 pm
Shakespeare - Frase do dia - 24/11/2015

"Alguns vencem por seus crimes; outros são derrotados por suas virtudes." William Shakespeare

November 24, 2015, 9:00 am
George Piccard - Literatura
George Piccard - Literatura

A Nulidade como Ideal A nulidade exige ordem. Tem necessidade de uma hierarquia, de meios de pressão, de agentes e de uma finalidade que se confunda consigo própria. Para manter...

February 22, 2019, 7:32 pm
Affonso Romano de Sant’Anna - Versos na tarde - 26/07/2017

Leitura natural Affonso Romano de Sant’Anna¹ Tendo lido os jornais — infectado a mente, enauseado os olhos — descubro, lá fora, o azul do mar e o verde repousante que...

July 26, 2017, 9:00 pm
Sarah Westphal - Reflexões na tarde

Quase Sarah Westphal Batista ¹ Ainda pior que a convicção do não e a incerteza do talvez é a desilusão de um quase. É o quase que me incomoda, que...

August 20, 2011, 9:00 pm
Henrik Ibsen - Versos na tarde - 26/06/2014

Lírio Henrik Ibsen ¹ Veja, minha querida, o que te traz o teu amado: Uma flor de asas brancas, Que flutua no rio que corre em silêncio, Vagando ao largo...

June 26, 2014, 9:00 pm