Entrevista: Christiana Figueres sobre a emergência climática: “Esta é a década e nós somos a geração”

Mas não é tarde demais para parar a crise climática?
Seca,Queimadas,Ambiente,Meio Ambiente,BlogdoMesquita

A líder do acordo de Paris de 2015 fala sobre seu novo livro, “O futuro que escolhemos”, e por que é hora da crise da humanidade.

Christiana Figueres. Foto: © Jimena Mateo

Christiana Figueres é fundadora do grupo Global Optimism e foi chefe da convenção da ONU sobre mudanças climáticas quando o acordo de Paris foi alcançado em 2015.

Seu novo livro se chama “O futuro que escolhemos”.

Mas não é tarde demais para parar a crise climática?
Definitivamente, estamos atrasados. Adiamos terrivelmente por décadas. Mas a ciência nos diz que ainda estamos na hora certa.

Você diz que esta década é a mais importante da história humana …
Esta é a década em que, ao contrário de tudo que a humanidade já experimentou antes, temos tudo ao nosso alcance. Temos o capital, a tecnologia, as políticas. E temos o conhecimento científico para entender que temos que metade das nossas emissões até 2030.

Então, estamos diante da bifurcação mais importante da estrada. Se continuarmos como agora, seguiremos irreparavelmente um curso de destruição constante, com muita dor humana e perda de biodiversidade. Ou podemos optar por seguir na outra direção, um caminho de reconstrução e regeneração e, pelo menos, diminuir os impactos negativos das mudanças climáticas para algo que seja administrável.

Mas só podemos escolher essa década. Nossos pais não tiveram essa escolha, porque não tinham capital, tecnologias e entendimento. E para os nossos filhos, será tarde demais. Então esta é a década e nós somos a geração.Poluição,Meio Ambiente,Blog do Mesquita 01

Apenas 11 páginas, aproximadamente, do livro descrevem as terríveis conseqüências das mudanças climáticas não controladas, enquanto o restante fala sobre a possibilidade de um mundo muito melhor. Por quê?

É importante que todos enfrentem as consequências negativas para as quais estamos sonambulando, e é por isso que essas 11 páginas estão lá. Mas igualmente importante é despertar a imaginação e a criatividade que advém da compreensão de que temos essa agência incrível para criar algo completamente diferente.

Queríamos oferecer os dois universos àqueles que, compreensivelmente, estão paralisados ​​pelo desespero e pela tristeza pela perda que já está ocorrendo, bem como aqueles que estão paralisados ​​pelo seu conforto e falta de compreensão do momento em que estamos.Aquecimento Global,Ambiente,Meio Ambiente,BlogdoMesquita 01

Muito do livro é sobre a necessidade de uma mudança na consciência das pessoas. Isso não é grandioso ou, por outro lado, vago demais para fazer a diferença no mundo real?

Tudo o que consideramos possível e quaisquer valores e princípios pelos quais vivemos determinam as ações que tomamos. Tudo o que consideramos próximo e querido para nós é o que estamos dispostos a trabalhar. E assim, mudar da desgraça e da tristeza para uma atitude positiva, otimista e construtiva é muito importante, porque é o que nos levanta de manhã e diz: “Sim, podemos fazer isso, vamos trabalhar juntos nisso”, em vez de puxar o cobertor sobre a cabeça e dizer “é muito difícil”. Portanto, essa mudança de atitude dentro de nós mesmos é crítica.

Também precisamos entender que não podemos mais viver em um mundo baseado em extração e resíduos ilimitados. Antes, temos que mudar nossa consciência para uma de regeneração.

Como a consciência das pessoas pode mudar dessa maneira?

A primeira coisa que precisamos entender é a consequência de não mudar nossas atitudes. Existem consequências existenciais muito graves. Espero que possamos tomar uma decisão séria e madura se queremos escolher algo diferente.

Uma das 10 ações recomendadas no livro é ser cidadão e não consumidor. Você pode explicar isso e por que é importante?

O próprio conceito de ser consumidor já nos aponta na direção de consumir irresponsável. Temos que ser capazes de, em algum momento, particularmente nos países desenvolvidos, chegar ao ponto em que dizemos “basta”. Antes de fazer uma compra, um investimento ou qualquer tipo de decisão que tenha impacto no planeta e em outras pessoas, a pergunta deve ser: “Eu realmente preciso disso e isso é realmente propício para melhorar a qualidade de vida neste planeta?

Outra das ações que você escolheu é a construção da igualdade de gênero. Por quê?

Educar as jovens e capacitar as mulheres para comparecerem às mesas de tomada de decisão é a coisa mais forte que podemos fazer pelo clima. Quando há mais mulheres nas salas de reuniões e posições de alto nível nas instituições, você obtém decisões mais sábias e de longo prazo.

Claro que existem muitos homens que também fazem isso. Mas há uma tendência para as mulheres serem mais colaborativas, que é a base do que precisamos fazer, e elas tendem a pensar muito mais a longo prazo. [As mulheres] têm o primeiro dever de cuidar de nossos filhos recém-nascidos e, portanto, biologicamente, estamos voltados para essa mordomia. Mas é simplesmente estúpido, francamente, não usar 50% do potencial humano. Estamos em uma situação de emergência que precisamos implantar 100% do nosso potencial.África,Seca,Água,Mudanças Climáticas,Aquecimento Global,Clima,Blog do Mesquita

Mais artigos