• mqt_for@hotmail.com
  • Brasil

Echo, da Amazon, quer ser o novo assistente virtual da sua casa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Equipamento já é considerado o mais promissor a surgir no mercado depois do primeiro iPhone.

Alto falante responde a  pedidos dos usuários e faz pesquisas e ordena tarefas. | Divulgação/Amazon

Alto falante responde a pedidos dos usuários e faz pesquisas e ordena tarefas. Divulgação/Amazon

O novo produto do momento nos Estados Unidos não é um smartphone top de linha, um relógio inteligente ou um óculos de realidade virtual, mas um singelo alto falante em formato de cilindro, da altura de duas latinhas de refrigerante empilhadas.[ad name=”Retangulo – Anuncios – Direita”]

O aparelho, no entanto, quer fazer mais do que apenas tocar músicas em alto e bom som. Ele quer ser o novo assistente virtual da sua casa – mesmo que você nem sequer imagine que precisa de um.

Produzido e vendido pela Amazon, o Echo começou a ser comercializado pela internet em junho do ano passado, após um período de vendas exclusivas para usuários premium.

veja também

Apple recorre ao Google para serviço de nuvem
Inteligência artificial é a grande aposta das empresas de tecnologia
E-commerce estimula consumidores impacientes. E isso é ruim para o meio ambiente

Visto com desconfiança quando anunciado pela empresa varejista, passou a receber elogios efusivos de usuários e da crítica especializada nos meses seguintes, a ponto do jornal The New York Times cravar que se trata do gadget mais promissor a surgir no mercado depois do primeiro iPhone. E que, estranhamente, não foi desenvolvido pelas gigantes do setor, como Apple, Google, Facebook ou Microsoft.

O Echo tem chamado a atenção por levar a um novo nível a tecnologia de utilização da voz para efetuar ações, fazer pesquisas e ordenar tarefas – recurso já presente há anos em smartphones e computadores, por meio de assistentes como a Siri (da Apple) e o Google Now.

Basta falar a palavra “Alexa” para “dar vida” à caixa de som. Em seguida, a inteligência artificial que habita o aparelho fica à postos para tocar uma música do serviço de streaming Spotify, chamar um carro pelo Uber, incluir um livro novo na lista de compras, relatar as principais notícias do dia e dizer se vai chover ou não. Tudo isso sem que o usuário tenha que apertar qualquer botão ou tirar o celular do bolso.

“Eu acho que é a próxima grande plataforma do futuro”, sacramentou, em entrevista à CNBC, o cofundador da Apple, Steve Wozniak. O antigo colega de Steve Jobs afirmou à rede de TV que o assistente virtual da Amazon se tornou uma peça fundamental em sua casa. “Não ter que segurar nada e apenas dizer coisas, falando de qualquer lugar da sala… isto é um luxo e ao mesmo tempo libertador”, completou.

Internet das coisas

O fato da assistente virtual Echo não estar restrita a um celular e oferecer respostas de forma rápida e dinâmica, enquanto o usuário está ocupado fazendo outras ações, é apontado como um fator fundamental para o sucesso do produto – e uma amostra importante do potencial de aparelhos voltados para casas inteligentes.

As casas conectadas são apontadas inclusive em estudo recente do Fórum Econômico Mundial como uma das principais tendências em tecnologia que ganharão corpo ao longo da próxima década – pesquisadores ouvidos pela entidade preveem que, em 2024, mais da metade do tráfego de internet dentro das casas servirá justamente para atender aparelhos inteligentes, como o próprio Echo.

O que a imprensa especializada fala do Echo:

Na acelerada corrida entre os assistentes de voz superpoderosos, o da Amazon é o que está pulando fora de seu telefone para o mundo real. E é por isso que a companhia está ganhando. (…) A Amazon quer ser seu back-end controlado por voz para tudo que você compra e usa.”

WIRED Revista de tecnologia dos EUA.

O Echo tem pouco mais de 15 meses e é claramente uma quebra de paradigmas neste momento. No mínimo, está provado que há lugar para aparelhos controlados por voz na casa moderna, e um mercado para isso também.”

CNET Portal de tecnologia.

A maior razão para comprar o Echo é como ele se integra facilmente com outros devices existentes. (…) Usá-lo é tão intuitivo que você vai querer saber como a Amazon conseguiu ‘solucionar’ a casa inteligente antes da Apple e do Google.”

MASHABLE Webblog de tecnologia.

Como está dentro de casa, o Echo oferece uma experiência muito mais convergente do que produtos como a Siri ou Google Now, restritos aos smartphones (…) Em termos de poder de computação de voz, é realmente um imenso passo adiante.”
Fonte:Gazeta do Povo

José Mesquita

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e "designer". Bacharel em administração e bacharel em Direito. Pós-graduado em Direito Constitucional. Participou de mais de 150 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior. Criador e primeiro curador do Prêmio CDL de Artes Plásticas da Câmara de Dirigentes Lojista de Fortaleza e do Parque das Esculturas em Fortaleza. Foi membro da comissão de seleção e premiação do Salão Norman Rockwell de Desenho e Gravura do Ibeu Art Gallery em Fortaleza, membro da comissão de seleção e premiação do Salão Zé Pinto de Esculturas da Fundação Cultural de Fortaleza, membro da comissão e seleção do Salão de Abril em Fortaleza. É verbete no Dicionário Brasileiro de Artes Plásticas e no Dicionário Oboé de Artes Plásticas do Ceará. Possui obras em coleções particulares e espaços públicos no Brasil e no exterior. É diretor de criação da Creativemida, empresa cearense desenvolvedora de portais para a internet e computação gráfica multimídia. Foi piloto comercial, diretor técnico e instrutor de vôo do Aero Clube do Ceará. É membro da National American Photoshop Professional Association, Usa. É membro honorário da Academia Fortalezense de Letras.

Gostou? Deixe um comentário

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e “designer”.

Bacharel em administração e bacharelando em Direito.

Participou de mais de 150 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior.

Mais artigos

Siga-me