• mqt_for@hotmail.com
  • Brasil

Crivella, a “universal” maneira de garfar o povo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Brasil: da série “Acorda Brasil”!

Sebastião Nery – Tribuna da Imprensa

Nem acabou ainda de curtir a derrota, e o “bispo” Crivella já está querendo buscar o dinheiro que a Igreja Universal do Tio Macedo gastou com ele. Está lutando no Senado para aprovar uma emenda à Lei Rouanet que “permite a construção e reforma de templos religiosos e pagamento de `pastores’ com renúncia fiscal (descontando no Imposto de Renda das empresas ou pessoas físicas), passando a disputar verbas com a cultura”.

Essa gente não se contenta com os bilhões que arranca do pobre povo em descarregos e dízimos, para comprar aviões de 50 milhões de dólares. Agora, tentam garfar os míseros recursos da cultura. Onde estão os artistas?

José Mesquita

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e "designer". Bacharel em administração e bacharel em Direito. Pós-graduado em Direito Constitucional. Participou de mais de 150 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior. Criador e primeiro curador do Prêmio CDL de Artes Plásticas da Câmara de Dirigentes Lojista de Fortaleza e do Parque das Esculturas em Fortaleza. Foi membro da comissão de seleção e premiação do Salão Norman Rockwell de Desenho e Gravura do Ibeu Art Gallery em Fortaleza, membro da comissão de seleção e premiação do Salão Zé Pinto de Esculturas da Fundação Cultural de Fortaleza, membro da comissão e seleção do Salão de Abril em Fortaleza. É verbete no Dicionário Brasileiro de Artes Plásticas e no Dicionário Oboé de Artes Plásticas do Ceará. Possui obras em coleções particulares e espaços públicos no Brasil e no exterior. É diretor de criação da Creativemida, empresa cearense desenvolvedora de portais para a internet e computação gráfica multimídia. Foi piloto comercial, diretor técnico e instrutor de vôo do Aero Clube do Ceará. É membro da National American Photoshop Professional Association, Usa. É membro honorário da Academia Fortalezense de Letras.

Gostou? Deixe um comentário