Boeing,Embraer,Brasil,Blog do Mesquita

União Europeia abre investigação sobre acordo Embraer-Boeing

Comissão Europeia analisa se fusão pode ameaçar competição no setor e tem 90 dias para apresentar um parecer. Acordo prevê criação de uma nova empresa de aviação comercial, com 80% de participação da gigante americana.    

Avião da EmbraerBoeing vai comprar área de aviação civil da brasileira

A Comissão Europeia anunciou nesta sexta-feira (04/10) que abriu uma investigação aprofundada sobre o acordo da parceria entre a Embraer e a gigante americana Boeing devido a uma possível ameaça à competição nos preços e desenvolvimentos de produtos no setor da aviação.

O acordo em andamento entre as duas companhias prevê a criação de uma nova empresa – uma joint venture, no termo do mercado –, na qual a Boeing deterá 80% de participação, e a Embraer, 20%. Por isso, a americana pagará 4,2 bilhões de dólares à brasileira.

A nova empresa é avaliada em 5,26 bilhões de dólares. Caberá à Boeing o controle da atividade comercial, não absorvendo as atividades relacionadas a aeronaves para segurança nacional e jatos executivos, que devem continuar somente com a Embraer.

Segundo a Comissão Europeia, o acordo pode reduzir potencialmente o número de concorrentes num mercado global já concentrado e poderia dificultar a entrada de novos participantes no mercado, como os da China, Japão e Rússia.

“Os mercados de aeronaves comerciais precisam funcionar bem para fornecer produtos inovadores e eficientes a um preço justo”, destacou Margrethe Vestager, comissária de Concorrência da União Europeia (UE).

O órgão executivo do bloco destaca ainda que atualmente a Embraer e a Boeing são concorrentes em alguns setores da aviação comercial. A comissão tem agora 90 dias para analisar a fusão das empresas, que podem fazer concessões se houver um impasse sobre o caso.

A Comissão Europeia pode abrir investigações sobre empresas com um volume de negócios que ultrapassa um determinado limite, se considerar que a fusão delas representa uma ameaça ao Espaço Econômico Europeu. A maioria das fusões é aprovada sem problemas. Aquelas que podem trazer risco, porém, passam por uma investigação aprofundada.

O acordo entre as empresas foi acertado no final do ano passado. Na quinta-feira, a Embraer e a Boeing divulgaram um comunicado afirmando que aguardavam a aprovação dos órgãos reguladores da Comissão Europeia. “As empresas esperam que a transação seja concluída no início de 2020”, destacaram.

Os acionistas da Embraer aprovaram em fevereiro a venda do controle da sua divisão comercial à Boeing para a criação de uma nova empresa. O acordo já foi aprovado também pela Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos e aguarda a palavra final dos europeus.

A  joint venture criada para a fabricação de aviões comerciais, que deve absorver toda a operação atual da Embraer voltada para esse segmento, deve gerar uma sinergia anual de custos de cerca de 150 milhões de dólares – sem considerar os impostos – até o terceiro ano de operação.

As empresas também chegaram a um acordo sobre os termos de uma segunda joint venture para promover o desenvolvimento de novos mercados para o avião militar multimissão KC-390. De acordo com a parceria proposta, a Embraer terá 51% da participação, e a Boeing ficará com os restantes 49%.

A Embraer foi privatizada em 1994, mas o governo brasileiro detém uma ação especial chamada golden share que permite vetar quaisquer negócios firmados pela empresa. A empresa é a fabricante líder mundial de aeronaves comerciais com até 150 assentos e tem mais de 100 clientes em todo o mundo.

Tecnologia,Inteligência Artificial,Ônibus,Alemanha,BlogdoMesquita

Berlim testa ônibus elétricos sem motorista

Sem volante nem passagem paga, pequenos veículos cobrirão inicialmente um trecho de 600 metros. Operadora de transportes berlinense os anuncia como complemento aos ônibus convencionais: motoristas seguem necessários.    

Ônibus amarelo elétrico sem motorista em rua de BerlimPrimeiros teste dos veículos autônomos foram realizados em terrenos isolados, como Hospital Charité

Ônibus de condução automática começaram a circular em Berlim nesta sexta-feira (16/08). Sem motorista nem volante, os veículos de seis assentos movidos a eletricidade estão em fase de teste no noroeste da capital alemã até o fim de 2019: com velocidade máxima de 15 quilômetros por hora, eles cobrirão os 600 metros do fim da linha de metrô U6 até o lago Tegel. O serviço é grátis.

“Acreditamos que os ônibus autopilotados são uma adição inteligente a nossos grandes ônibus amarelos, por exemplo em áreas com vias estreitas e limites de velocidade rigorosa”, comentou Sigrid Nikutta, presidente da operadora berlinense de transportes públicos BVG.

Eles foram desenvolvidos pela firma francesa EasyMile, que já fornece veículos autônomos para mais de 100 cidades. Nikutta ressaltou que motoristas seguirão sendo necessários, pois não está em vista uma substituição total dos veículos de operação convencional pelos autônomos.

Berlim não é a primeira cidade da Alemanha a testar ônibus elétricos sem motorista: Bad Birnbach, na Baviera, foi a pioneira, em 2017; e no início da semana, o bairro Hafencity, no antigo porto de Hamburgo, também iniciou testes com a nova tecnologia.

Segundo o diretor da Agência de Eletromobilidade de Berlim, Gernot Lobenberg, trata-se de uma tentativa de “trazer para o mundo real nova tecnologia, como veículos altamente automatizados”. Antes, a metrópole testara ônibus autônomos longe das vias públicas, por exemplo no terreno do Hospital Charité.

Estradas,Carros elétricos,Tecnologia,Blog do Mesquita

Inglaterra vai testar estradas que recarregam carros elétricos

Estradas com recarregamento magnético poderiam tornar carros elétricos mais atraentes e acessíveis.

Tenologia,Automóveis elétricos,Meio Ambiente,Poluição,Veículos,Blog do Mesquita 01

Em um futuro talvez nem tão distante na Inglaterra, motoristas poderão recarregar carros elétricos enquanto dirigem por estradas do país.

A agência do governo anunciou um projeto para testar a tecnologia de “carregamento veicular sem fio”. O sistema seria instalado sob o asfalto em algumas das principais rodovias evitando que motoristas precisem parar para recarregar as baterias.

Um estudo de viabilidade já existe, e agora a agência abriu uma concorrência para propostas de testes da tecnologia.

Mas especialistas questionam também se um esquema como esse seria viável economicamente.

Testes na Coreia do Sul

Tecnologias de “recarga automática” de carros elétricos nas estradas já estão em funcionamento em alguns lugares.

Em 2013, a cidade sul-coreana de Gumi reconstruiu uma rua de 12 km permitindo que ônibus elétricos sejam recarregados enquanto trafegam.

Isso funciona com um processo chamado “carregamento por indução magnética”. Cabos elétricos enterrados sob o asfalto produzem campos magnéticos, que são absorvidos por um receptor no carro, e convertidos em eletricidade.

No ano passado, a cidade de Milton Keynes, no sudeste da Inglaterra, testou um esquema parecido, porém mais limitado, que recarregava baterias de ônibus elétricos por meio de placas instaladas no meio da rua.

O experimento, entretanto, exigia que os veículos parassem por alguns minutos para recarregar a bateria.

Tenologia,Automóveis elétricos,Meio Ambiente,Poluição,Veículos,Blog do Mesquita 02

Na Coreia do Sul, é possível recarregar as baterias de ônibus elétricos
com tecnologia sem fio em algumas ruas.

“O nosso compromisso é de realizar testes fora das ruas, ou seja, não em vias públicas, em 2016 ou 2017”, disse Stuart Thompson, um porta-voz da Highways England à BBC.

“Ainda é muito cedo para revelar mais. Onde, exatamente, esses testes acontecerão é algo que ainda não foi decidido.”

Segundo a Highway England, mais detalhes sobre a novidade serão divulgados quando um contrato for, de fato, firmado.

A ideia é testar a tecnologia por 18 meses antes de decidir se o governo financiará um teste oficial em vias públicas.

“O potencial de recarregar veículos elétricos de baixa emissão de poluentes nos abre possibilidades animadoras”, comentou o Ministro dos Transportes, Andrew Jones.

“Como esse estudo mostra, continuamos a explorar opções para melhorar as jornadas e tornar veículos de baixa emissão mais acessíveis para as pessoas.”

No entanto, o diretor da Cardiff Business School’s Electric Vehicle Centre of Excellence, Paul Nieuwenhuis, continua cético.

Tenologia,Automóveis elétricos,Meio Ambiente,Poluição,Veículos,Blog do Mesquita 03

O custo das obras de instalação do sistema pode ser o grande empecilho para a sua popularização

“Faz sentido testar. A tecnologia obviamente funciona”, disse Nieuwenhuis.
“Mas esse projeto realmente me soa muito ambicioso. O custo é a principal questão e não estou convencido de que vale a pena.”

“A tecnologia das baterias tem melhorado – se você olhar para o que a Tesla conseguiu atingir nos últimos anos, melhorando a qualidade das baterias de seis em seis meses… Por isso, não tenho certeza se realmente há necessidade disso”, disse.

Mesmo que o plano não venha a se concretizar, a Highways England já se comprometeu a instalar pontos de recarga de bateria a cada 32 km na sua rede de estradas a longo prazo.
Leo Kelion/Editor de tecnologia da BBC

Tecnologia,Invenções,Blog do Mesquita 01

Alice, o primeiro avião comercial totalmente elétrico

Avião,Alice,Aeronáutica,Tecnologia,Energia,Blog do Mesquita 01
Alice, o modelo do avião elétrico da Eviation, foi a grande sensação no Paris Air Show.

As empresas aeroespaciais estão unindo forças para tentar lidar com a crescente contribuição da indústria para as emissões de gases do efeito estufa.

E, diante desse problema, os motores elétricos são vistos como uma possível solução.
Mas será suficiente para compensar a crescente demanda por viagens aéreas por parte da população?

O Salão Internacional da Aeronáutica e Espaço de Paris-Le Bourget, também conhecido como Paris Air Show, apresentou nesta semana o primeiro avião de passageiros comercial totalmente elétrico do mundo, ainda que seja um protótipo.

A empresa israelense Eviation diz que a aeronave, chamada Alice, poderá transportar nove passageiros em uma viagem de até 1.040 km de distância e a 440 km/ h.
Avião,Alice,Aeronáutica,Tecnologia,Energia,Blog do Mesquita 01Alice tem três propulsores, um na cauda e dois na ponta das asas
Espera-se que a aeronave esteja pronta para entrar em serviço em 2022. Alice tem uma aparência pouco convencional.

Conta com três hélices viradas para trás, uma na cauda e duas na ponta das asas para neutralizar os efeitos do arrasto. Ela também tem uma fuselagem inferior plana para ajudar sua sustentação.

“Este avião não é assim porque queremos construir um avião genial, mas porque é elétrico”, disse o CEO da Eviation, Omer Bar-Yohay.

Economia de combustível
A Eviation já recebeu seus primeiros pedidos. A companhia aérea regional americana Cape Air, que opera uma frota de 90 aeronaves, fez um acordo para comprar “dois dígitos” de aeronaves.

A empresa está usando a Siemens e a magniX como fornecedoras dos motores elétricos. De acordo com o diretor da magniX, Roei Ganzarski, o potencial de negócios para aviões elétricos de pequeno porte é evidente se você levar em conta as 2 bilhões de passagens aéreas vendidas por ano para voos a menos de 400 km de distância.

E, além disso, a eletricidade é muito mais barata que o combustível convencional.Avião,Alice,Aeronáutica,Tecnologia,Energia,Blog do Mesquita 01A Harbor Air planeja transformar sua frota de hidroaviões em modelos elétricos.

Um avião pequeno como um turboélice Cessna Caravan pode gastar US$ 400 (cerca de R$ 1.500) em combustível convencional para um voo de 160 km, disse Ganzarski. Mas com a eletricidade, esse custo “ficará entre US$ 8 e US$ 12 (de R$ 30 a R$ 45), o que significa custos muito menores por hora de voo”, disse ele.

“Não somos uma empresa ambiental. A razão pela qual fazemos isso é porque faz sentido comercialmente”, disse ele.

A MagniX está atualmente trabalhando com a companhia aérea Harbour Air, com sede no Canadá, para começar a converter sua frota em uma elétrica.

O futuro também parece otimista no caso de voos de médio alcance – até 1.500 km.

Ao contrário de Alice, as aeronaves que visam essa faixa utilizariam uma combinação de energia obtida a partir de combustível convencional e elétrica, o que permitiria reduzir significativamente as emissões de CO2, ligando o componente elétrico de sua propulsão em pontos-chave do voo, como decolagem e aterrissagem.

Primeiros resultados positivos
Vários projetos em fase de testes estão mostrando resultados positivos.

Por exemplo, a Rolls-Royce, Airbus e Siemens estão trabalhando no programa E-Fan X, que instalará um motor elétrico de dois megawatts em um jato BAE 146. Estima-se que ele possa voar em 2021.

“Há um enorme esforço envolvido nisso. A engenharia é absolutamente inovadora e nosso investimento em sistemas elétricos está crescendo rapidamente”, disse o diretor de tecnologia da Rolls-Royce, Paul Stein.

Avião,Alice,Aeronáutica,Tecnologia,Energia,Blog do Mesquita 01A Airbus, a Rolls-Royce e a Siemens estão cooperando na criação de um avião híbrido elétrico chamado E-Fan X.

A United Technologies, que inclui a fabricante de motores Pratt & Whitney, está trabalhando em seu Projeto 804, um demonstrador elétrico híbrido projetado para testar um motor de 1 MW e os subsistemas e componentes necessários.

A empresa diz que ele deve gerar uma economia de combustível de pelo menos 30%. Ele deve fazer seu primeiro voo em 2022 e estar pronto para as companhias aéreas regionais em meados da próxima década.

A Zunum Aero, empresa apoiada pela Boeing, usa uma turbina de motor da francesa Safran para acionar um motor elétrico para uma aeronave híbrida.

E a operadora de baixo custo EasyJet, que está trabalhando com a Wright Electric, diz que começará a usar aviões elétricos em seus serviços regulares em 2027. É provável que eles sejam usados em voos de curta distância, como Londres a Amsterdã, a segunda rota mais usada da Europa.

“Os vôos elétricos estão se tornando realidade e agora podemos prever um futuro que não dependa exclusivamente de combustível para jatos”, disse Johan Lundgren, diretor executivo da EasyJet.

Sua declaração é apoiada por um relatório do banco de investimento UBS, que prevê que o setor de aviação rapidamente vai optar por aviões híbridos e elétricos para viagens regionais com uma possível demanda de até 550 aeronaves híbridas de passageiros por ano entre 2028 e 2040

E voos de longa distância?
As perspectivas de voos elétricos de longa distância não são tão otimistas.
A United Technologies está trabalhando em seu Projeto 804, um protótipo elétrico híbrido
Embora os motores elétricos, os geradores, a distribuição de energia e os controles tenham avançado muito rapidamente, a tecnologia das baterias não mudou muito.

Mesmo supondo que houvesse grandes avanços nessa tecnologia, com baterias 30 vezes mais eficientes e “densas em energia” do que as atuais, só seria possível pilotar uma aeronave A320 por um quinto de seu alcance e com apenas metade de sua carga máxima, de acordo com a diretora de tecnologia da Airbus, Grazia Vittadini.

“A menos que haja uma mudança radical de paradigma e ainda que inventem um armazenamento de energia melhor, vamos contar com combustíveis de hidrocarbonetos num futuro próximo”, disse o diretor de tecnologia da United Technologies, Paul Eremenko.

O grande problema é que 80% das emissões da indústria da aviação vêm de voos de passageiros de mais de 1.500 km, uma distância que nenhuma aeronave.

Grazia Vittadini, da Airbus, diz que as aeronaves atuais são 75 a 80% mais eficientes em consumo de combustível do que há 50 anos.

No entanto, o Reino Unido tornou-se um dos primeiro países ricos a aceitar a meta de zero emissão líquida de carbono até 2050. É um desafio para o setor de viagens aéreas, com 4,3 bilhões de pessoas voando neste ano e até 8 bilhões previstos para 2037.

As agências reguladoras também estão aumentando a pressão.

A Agência Européia de Segurança da Aviação diz que começará a classificar as aeronaves de acordo com suas emissões de CO2. Noruega e a Suécia pretendem fazer voos de curta distância em seu espaço aéreo com aviões elétricos até 2040.

Então, por lógica, abandonar os voos de longa distância é a única solução?

Isso, obviamente, não é uma proposta atraente para o setor. Paul Stein, da Rolls-Royce, acredita que o mundo estaria em um “lugar sombrio” se parássemos de viajar.

Em uma economia global “onde há uma coexistência pacífica quando as pessoas viajam e se entendem, eu me preocupo muito com o fato de que, se nos afastarmos disso, não é a direção em que a humanidade deve seguir”, concluiu.

Ferrovia Norte Sul,Brasil,Privatização,Ferrovia,Economia,Blog do Mesquita

Ferrovia Norte-Sul vale três vezes mais que previsto em edital, aponta estudo

Ferrovia Norte Sul,Brasil,Privatização,Ferrovia,Economia,Blog do Mesquita

Um trecho da ferrovia Norte-Sul, no Tocantins. PAC

O lance mínimo da concessão da ferrovia Norte-Sul, cujo o leilão ocorre nesta quinta-feira na Bolsa de Valores de São Paulo, deveria ser quase três vezes maior do que o que está previsto no edital. Para obter o contrato de operação do trecho central da ferrovia, considerada a espinha dorsal do desenvolvimento logístico do país, é necessário dar um lance pelo menos 1,3 bilhão de reais. Porém, o estudo que embasou a definição desse preço definido pelo Governo federal previa que esse trecho da ferrovia deveria ter a outorga mínima de 3,8 bilhões de reais.

Este levantamento, chamado de estudo de avaliação econômica, é público. Foi elaborado em 2008 pela VALEC, a estatal responsável pelo planejamento e execução do sistema ferroviário brasileiro. Se os valores fossem atualizados, o lance deveria ser de 6,5 bilhões de reais.

O Ministério Público Federal, o Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União e a Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária – entidade que representa os ruralistas – afirmam que há uma série de vícios nesse certame, mas nenhum dos alertas demoveu o Governo Jair Bolsonaro (PSL) de ir à frente com o plano. O Planalto ignorou a solicitação de adiamento do leilão, assinou um acordo com o MPF e viu o ministro Augusto Nardes, conselheiro do Tribunal de Contas da União, acatar todos os argumentos do Ministério da Infraestrutura, e garantindo a realização da disputa.

A principal suspeita é a de que o leilão favoreceria a mineradora Vale ou uma empresa vinculada a ela. A principal delas é a VLI Multimodal S.A., uma das duas empresas que apresentaram propostas no leilão. Ela é uma companhia com participação da Vale, da Mitsui, da Brookfield do Fundo de Investimentos do FGTS. A outra hipótese era de que a outra beneficiada seria a Rumo Logística, a segunda empresa que apresentou um lance inicial. Esta é vinculada ao grupo Cosan. Uma terceira empresa, a MRS, que tem participação da Vale, não entregou propostas.

Como o edital não deixava explícito de que maneira se daria o direito de passagem, que é uma espécie de garantia para acessar os dois portos alcançados pela Norte-Sul, companhias estrangeiras acabaram se afastando da disputa e a deixando limitada. O acesso ao porto de Santos, na região Sudeste, é feito pela Malha Paulista, uma ferrovia que é concedida à Rumo. E ao porto de Itaqui, no Nordeste, é feito por duas ferrovias, a primeira etapa da Norte-Sul e a Estrada de Ferro Carajás. A primeira é controlada pela VLI e a segunda, pela Vale. Ao menos um grupo chinês e um russo estudaram participar do certame, mas desistiram.

Ferrovia Norte-Sul vale três vezes mais que previsto em edital, aponta estudo

Além de se comprometerem a pagar ao menos 1,3 bilhão ao Governo, o futuro concessionário terá de investir 2,7 bilhões de reais na ferrovia. Os valores estão longe de alcançar todo o dinheiro público investido até agora: 9,8 bilhões de reais. Apenas para efeito de comparação, em 2007, quando foi concedida a primeira etapa da Norte-Sul, a União obteve uma outorga de 1,4 bilhão de reais para uma linha férrea de 720 quilômetros entre os municípios de Açailândia (MA) e Porto Nacional (TO). Agora, estão sendo concedidos 1.537 quilômetros entre Porto Nacional e Estrela do Oeste (SP).

A suspeita de cartas marcadas na disputa resultou em manifestações no parlamento. Ao menos dois deputados ocuparam a tribuna da Câmara para se queixar do leilão. No Senado, a ruralista Kátia Abreu (PDT-TO) foi além. Ingressou com um pedido no Judiciário para barrar a disputa. Ela questiona o valor mínimo da outorga e o direito de passagem. Entre técnicos ouvidos pela reportagem, a expectativa é que essa decisão não ocorra favoravelmente à parlamentar. As chances de suspensão do leilão são reduzidas.

Extinção da Valec

Enquanto leiloa o principal corredor férreo do país a um preço considerado reduzido, o Governo Bolsonaro estuda extinguir a Valec, uma estatal com quase 800 servidores, boa parte deles especializados em ferrovias. O ministro Tarcísio de Freitas disse, no início do mês em audiência no Senado Federal, que ainda não havia uma decisão sobre o assunto. Porém, decidiu postergar a discussão para não interferir no principal leilão do setor. A expectativa é que na primeira reunião do Conselho do Programa de Parcerias e Investimentos, no início de abril, esse tema volte à pauta.

Se a Valec for extinta, suas atribuições seriam redirecionadas para um órgão vinculado ao Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT). O setor tem menos de 20 funcionários e eles se tornariam os responsáveis por planejar as ferrovias do país.
Afonso Benitez/ElPais

Blog do Mesquita,Bikes,Bicicletas,Meio Ambiente,Ecologia

A bike que vende café orgânico, purifica o ar e produz energia solar e adubo natural

A bike que vende café orgânico, purifica o ar e produz energia solar e adubo natural

Atenção, amantes da cafeína! Vocês precisam conhecer a startup Wheelys, rede de bikes que promete levar café orgânico da melhor qualidade por um preço acessível à população (já que não demanda um espaço físico e sua manutenção é barata).

Além de servir café 100% orgânico, a bikecafé foi desenvolvida para purificar o ar do local onde está estacionada, transformar os grãos moídos em fertilizantes naturais e gerar energia solar.

O modelo não exige alto investimento inicial e dá ao empreendedor a oportunidade de “seguir” seus clientes. Por exemplo, de manhã ele pedala até uma estação de metrô, a tarde se instala em grandes centros comerciais e aos finais de semana se aconchega em um parque. Desta forma, é possível garantir a rotatividade do serviço e uma boa divulgação.

E mais: além de vários tipos de café, a bikecafé tem espaço para vender lanchinhos — como em uma cafeteria convencional. A iniciativa ainda possui aplicativo que mostra as opções do menu e a localização da franquia mais próxima.

A ideia está em financiamento coletivo e já conseguiu arrecadar 400% do dinheiro necessário para colocar na rua os primeiros protótipos da bikecafé. Já nas primeiras 24h de crowdfunding, o projeto conseguiu a grana suficiente para seguir em frente. Será uma nova tendência?

Para saber mais sobre o negócio social, assista ao vídeo abaixo.

Fabrício Queiroz,Bolsonaro,Corrupção

É Froidi – Picles & Drops

O Poderoso Queiroz! Faltou novamente.
Será qual a cortina de fumaça que vão jogar agora?
Quarta foi a soltura de presos da segunda instância
Esse aprendeu direitinho a tática do atestado médico pra sumir de onde devia estar.
Caberia uma coletiva – “periculum mora” – , do segmento do MP diretamente envolvido, sobre o assunto. Ou não vem ao caso?
Queiroz está esperando o padrinho tomar posse e mexer os pauzinhos ou melhor as laranjinhas.Fabrício Queiroz,Bolsonaro,Corrupção

 


Infelizmente o país não mudará nunca. Enquanto as pessoas confundirem caráter com opção política, aqui não vai pra frente. Mau caráter tem em todos os lados e partidos infelizmente
Sabem o PM que deu 6 tiros no rosto de um trabalhador no Rio de Janeiro numa briga de trânsito?
Caso aconteceu na manhã desta quinta-feira na Avenida Brasil, em Bangu. O soldado Cleiton de Oliveira Guimarães foi preso na UPP Nova Brasília, onde foi trabalhar como se nada tivesse acontecido. Ele já tinha tentado matar outra pessoa no trânsito.
Na cabeça desse povo matar tá liberado porque nossa justiça mostrou que está morta.
Isso é só o fim.

Design – EscadasArquitetura,Escadas,Design,Blog do Mesquita 3


O brasileiro médio, de todas as classes sociais, emburreceu e alienou-se a tal ponto que boa parte agora defende que a solução contra a corrupção é mais corrupção, contra a violência a solução seria mais violência, contra o desemprego seria também mais desemprego. Haja burrice!


Tostão furado,Blog do MesquitaMajor Vaz? PC Farias? Celso Daniel?

Fabrício Queiroz – ou o que restou dele – faltou mais uma vez à convocação para prestar depoimento no MP-RJ.
Ele e o Adélio devem estar muito preocupados com o futuro.
Quando os “nominhos” sumirem do noticiário, as vidas desses dois não valerão um tostão furado.

Sem humor não dá pra agüentar o tranco nesse hospício.
Campanha #PosteUmFilmeComOQueiroz
Meus títulos. Mandem os seus!:
– Queiroz o oitavo passageiro
– A insustentável leveza do Queiroz
– Corra que o Queiroz vem ai
– Corra Queiroz. Corra
– Apertem o cinto o Queiroz sumiu
– Conduzindo Mrs. Micheque
– O poderoso Queiroz
– O Queiroz do Os
– Queiroz no País da Maravilha
– A Lista do Queiroz
– Queiroz da Arábia
– O labirinto de Queiroz
– Cidadão Queiroz
– Queiroz Gump o contador de estorias
– Queiroz o caçador de androides
– Queiroz Poppins
– Os treze Queiroz
– Fabrício Queiroz e a arca perdida
Blog do Mesquita,Língua


E o Queiroz? Hahaha. Simples, bobinhos.
Vai continuar escondido até que o Bolsonaro tome posse e sua equipe use de todos os meios que estiverem ao alcance deles pra abafar o caso.
Os eleitores que se diziam anticorrupção e se calam nesse episódio assinam seu atestado de cumplicidade, o que não é nenhuma surpresa.

A fábrica de biscoitos da Nabisco foi vendida para a Philippe Morris, por U$ 15 bilhões. Ou seja, a Embraer, maior fabricante de aviões do seu setor, foi vendida com toda a sua tecnologia por pouco mais de 1/3 do valor de uma fábrica de biscoitos. E você aí preocupado com a mamadeira erótica.Brasil,Cabeça pra baixo,Blog do Mesquita


Brasil da série “Só dói quando eu rio”Assessor,Fabrício Queiroz,Bolsonaro,Corrupção,Brasil,Humor,Nani,Blog do MesquitaNetflix – “A Livraria”.
Delicado, terno, amorosamente encantador, e surpreendente.
Põe a nu o secular hábito da burguesia em sufocar qualquer tentativa de liberdade por via da cultura. Ela, a lamacenta burguesia, manipula o poder para se manter no topo da pirâmide.

Brasil,Capitalismo,Blog do Mesquita


Durante a noite até há pouco, pesquisei todas as decisões liminares tomadas pelos Presidentes do STF, durante os períodos de recessos, entre 2006 e 2010. Irei pesquisar, agora no período 2007/2018. Em nenhum caso, um presidente modificou a decisão liminar do relator. Todos aguardaram o referendo do Pleno.


Arquitetura,Escadas,Design,Blog do Mesquita AArquitetura – Escadas


Não precisou nem um cabo e um soldado. Bastou um “presidente” que desconhece a CF e a jurisprudência do STF.
Uma juíza de primeira instância questionando a decisão de um ministro do Supremo.
O Brasil não é uma República.
É uma piada.


Jackson PollockAtes Plásticas,Pintura,Blog do Mesquita, Jackson Pollock

Sim, eu sou Chato, Comunista, Petralha e mais adjetivos desqualificativos infindos, mas… cadê a “*orra” do Queiroz?
Ex-assessor de Flávio Bolsonaro não comparece à depoimento.
O motorista Fabrício Queiroz está há semanas desaparecido.STF,Blog do Mesquita

Arquitetura – Portas e janelasArquitetura,Design,Portas,Janelas,Blog do Mesquita


Sempre existiram idiotas, a tecnologia apenas está dando palco a eles. Temos de usar a tecnologia para tentar mostrar que há mais coisas entre o céu e a terra que a cabeça desse olavo. Com minúscula mesmo.Tragédia, blog do Mesquita,Olavo de Carvalho


– No meu governo combaterei a corrupção e minha equipe só terá gente honesta.

– E fulano?
– Já se arrependeu
– Mas tem sicrano, que tá sendo investigado
– É só investigado
– Beltrano é réu
– Réu? eu também sou. O que não pode é condenado
– Ei, olhe, tem um condenado
– Mas não tá preso

FIM.


Silêncio,Blog do Mesquita

É Froidi – Drops & Picles

Mais estranho que o sumiço do motorista, é o sumiço daqueles que sempre estiveram de plantão para comentar sobre casos de corrupção.Silêncio,Blog do Mesquita


Não engano ninguém. Quem já me leu, se muito, uma meia dúzia de três ou quatro desvairados, deveria saber que sou um pessimista crônico. Não vim a passeio – por tal me faço recluso – nem tenho vontade, nem obrigação, de ser simpático, agradável, sociável nem arauto do otimismo, nem de somente escrever textos de abobrinhas digeríveis.Velho ranzinza.Blog do Mesquita


A intervenção, por ser pontual,não resolve problemas conjunturais como a corrupção na polícia.
Mudanças importantes na segurança pública do Rio de Janeiro continuariam à margem do planejamento. Não seria possível, por exemplo, reestruturar o serviço de inteligência da polícia até o fim da intervenção, em dezembro. É necessário um planejamento mais eficiente do que apenas a ação das Forças Armadas para, de fato, reduzir a criminalidade. As ações têm que ser estruturais e não imediatistas.


João de Deus – que blasfêmia – tirou R$ 35 mi de contas, diz MP.
Não existe negócio legal mais lucrativo que a religião, você não produz nada, não vende nada, só se aproveitando dos outros e melhor de tudo não é crime.João de Deus


Faltou planejamento.
O decreto foi redigido a toque de caixa. O interventor Braga Netto, recém-chegado das férias, desconhecia a intervenção até 5 horas antes de sua efetivação. A absoluta ausência de planejamento revela que Michel Temer encontrou na astrologia, na quiromancia ou no tarô o otimismo que o levou a prometer que “o governo dará respostas duras, firmes e adotará todas as providências necessárias para derrotar o crime organizado e as quadrilhas”.
A probabilidade disso dar certo é zero; próxima de cem de complicar ainda mais. General não é gerente, administrador da paz; diferentemente, foi preparado para a violência e violência é contra a ordem legal; ofende o Estado de Direito.
O foco da insegurança não reside no RJ e estados federados, mas no insuperável efeito multiplicador social do exemplo que vem do Planalto; da chefia dos Poderes Executivo, Legislativo e parte do STF.
Ok então. Qual seria a solução a curto prazo? Lógico que não há uma no curto prazo. Vamos precisar de décadas para resolver, principalmente com educação, já que vivemos numa sociedade que não é muito afeita a isso.
Num estado onde a roubalheira abunda, seria, como dizia meu pai, “amarrar cachorros com linguiça”. A intervenção não seria, a esta altura do campeonato, combater crime organizado, a corrupção nas polícias cariocas e tudo mais.
Como eu gostaria que desse certo! Mas do jeito que estão colocando, até parece que os bandidos estão morrendo de medo! O maior e mais poderoso Exército do Mundo combatendo com conceitos de “Guerra Regular” um bando de Vietnamitas, descalços com fome, sem armas e usando armadilhas de bambu, saíram de lá “corridos”,ou alguém acha que um tanque parado na entrada de uma comunidade, acaba com o tráfico? ? ?Seriam melhores empregadas estas tropas se não deixassem chegar ao RJ os AR 15/HK 33/AK 47/ .50 !Em uma “Guerra Regular” você identifica seu inimigo a distância, pelas fardas, cores, armamentos etc, aqui o inimigo pode estar usando sandálias havaianas, mau vestido, sem saber falar ou usar terno Armani, falar 3 idiomas e ser chamado de Vossa Excelência! Ou bandido é só quem rouba o seu celular ?
Por fim, mas não por último, coloquem policiais e militares sem farda e apenas com armas necessárias, 10 militares para cada bandido, várias viaturas disfarçadas, invadam o morro como policiais civis e usem veículos normais sem sirenes, ninguém deve e pode saber quem é policia e quem é bandido apenas os policiais, se aprenderem a fazer polícia, agindo como policiais civis acabam com a criminalidade no Rio se continuarem agindo como militares, provocarão um guerra civil!.


E eu sou o implicante né?
Adivinhem quem é o responsável pelo projeto da igreja da Bolsoesposa?
O Vereador Siciliano, um dos envolvidos no assassinato da Marielle e do Anderson.
Onde tem milícias…


Com assessores fazendo depósitos cruzados, no chamado “cachorro”, e cheque até na conta da Miss Xelle, o Bananil vai descobrindo o lençol do desgoverno fantasma.Bolsonaro,Fantasmas,Blog do Mesquita


Temer acertou uma ao autorizar a extradição do assassino italiano Cesare Battisti.
Aqui no Bananil já temos Battistis sobrando. Que esse vá mofar na prisão na Itália.


Brasil da série “Meu ofício é incomodar”
Uma família de moral elevada, conduta ilibada, patriotismo exacerbado, não execráveis e impoluta.
Últimos bastiões da moral e bons costumes, cristãos e com o lema:
Brasil acima de tudo, Deus acima de todos.


Bolsoboy era um patrão tão bom, mas tão bom, que os funcionários se recusavam a receber pagamento. Com muita insistência do chefe, aceitavam 1% pro ônibus.



Artes Plásticas,Pinturas,Edward Hopper


Com o fim do Simples Nacional a ‘equipe SS’ chega agora à pequena-burguesia empresária, que se vestia de verde e amarelo para fazer arminha.
Não reclamaram quando tiravam dos pobres, agora os cortes chegaram a eles.
E o governo nem começou ainda.


A tática do SS é jogar na mídia informações toscas. Aí nós, os não catequizados, nos desesperamos, e nos empenhamos para mostrar o absurdo. Aí ele vai ao TWITTER e desmente.
Tudo para desqualificar a resistência.


Temos o maior Aquifero do Mundo!
Pois é, temos… Ainda, mas será vendido!
“Nunca, meus amigos, fiquem viciados em água. Vocês sentirão muito a sua falta”!
Brasil – escolheu, nas eleições, Mad Max para viver.


A venda – Hahahahahahahahahaha – da Embraer é provavelmente o maior símbolo da subserviência da elite brasileira, e dos políticos que a representam, aos interesses externos. Triste fim para uma das poucas indústrias que era orgulho nacional.Embraer,Boeing