Arte – Fotografias

Foto do dia – Fotografia de Louis Stettner Penn Station


Amith-Nag


Celso Oliveira


Cores da Índia


Eva Besnyö


Santosh Korthiwada


Stephane Couturier


Gordon Parks


Foto Flickr


Ras Marley


Alexander Sliussarev


Vivian Maier


Marcelo Montecino


Andre Kertesz

Arte – Fotografias

Beth Moon


Hans Pollner


Gjon Mili


Antonio Palmerini


Marc Ferrez – Bahia,1885


Hari Sulistiawan


Robert Rauschenberg,1949


Alfred Stieglitz


Ferrucio Francesco Leiss


Florence Henri


Erich Hartmann


Vladimir Clajivo Telepnev


Gilbert Garcin
La condition humaine,2010


Hengki Koentjoro


Sergei Smirnov


Silent World – Michael Kenna


Chris Killip


Davi Peixoto


Carol Beckwith – Angela Fisher Lovely
Dinka of South Sudan


Ernest Sebastlen


Florence Henri – Self Portrait,1938


Ilse Bing,1939


Louis Draper


Maarcelo Montecino


Adrian Limani


Pepi Merisio – Italy,1950


Raffaele Montepaone

Fotógrafo passa 6 meses viajando sozinho para fotografar povos indígenas da Sibéria

Os frutos da jornada de um homem usando a fotografia para imortalezar culturas remotas pelo mundo.

Recentemente, concluí uma aventura de 6 meses cruzando a Sibéria, acumulando 15.000 milhas ao volante de um SUV. Sua bela coleção de fotografias – completa com legendas – captura a notável diversidade dos “povos indígenas que vivem na Sibéria”. Caleb, Megan e Jim

A Rússia reconhece 40 diferentes povos indígenas que vivem na Sibéria, que vão desde Evenki, cuja população está espalhada em diferentes locais com milhares de milhares de distância, até o quase extinto Tazy, que Khimushin acredita ter fotografado pela primeira vez.

A maioria das estimativas oficiais da população estão erradas, tendendo a ficar mais altas do que a realidade. Enfrentando temperaturas extremas e populações cada vez menores, o fotógrafo australiano captura o orgulho que essas pessoas têm de suas culturas únicas.

Os incríveis dançarinos da Costa do Marfim

A seguir está a história da minha visita para ver os famosos dançarinos de palafitas da Côte d’Ivoire (Costa do Marfim).

Foi facilmente uma das melhores experiências que tive em todo o meu tempo na África Ocidental até agora.

Sento-me desconfortavelmente com minhas pernas de alguma forma espremidas entre meu peito e o assento à minha frente. Meus pés estão em cima de um grande saco de pimenta que tento ao máximo não esmagar. Uma senhora idosa está sentada ao meu lado à minha esquerda, sem medo de olhar para a visão estranha de ver um homem branco em um ônibus público no noroeste da Côte d’Ivoire; seus olhos raramente se desviam do meu rosto. Pela janela à minha direita, uma cena de aldeias ocasionalmente avistam a paisagem de terra vermelha. Cabanas de lama e telhados de palha pontilham as planícies ocasionalmente derrubadas por montanhas verdes.

O mini-ônibus para depois de algumas horas de viagem e sou conduzida para fora do veículo. Meu guia me disse que temos cerca de 6 quilômetros para caminhar até chegarmos à aldeia onde os famosos dançarinos de palafitas da Costa do Marfim irão se apresentar. Eu me sinto muito longe do normal, uma sensação que sempre pareço gostar.

Conforme nos aproximamos da aldeia, minhas pernas ainda doem da caminhada de 32 km de ontem em um dos picos mais altos da África Ocidental, a presença de crianças é a primeira coisa que noto; e eles me notam. Em cada um dos edifícios por onde passamos, os olhos perscrutadores das crianças olham para nós. Eles jogam um jogo de “se eu não posso te ver, você não pode me ver” enquanto se escondem atrás das paredes de edifícios redondos e cerâmicas gigantes. Eles são curiosos e tímidos; mas sua timidez não dura muito. Logo estou cercado por crianças segurando minha mão e tentando subir nas minhas costas.

Infelizmente, na primeira aldeia que chegamos, houve uma morte na noite anterior. A dança com pernas de pau foi cancelada no rastro e nos disseram para descer mais 5km pela estrada, onde eles estarão esperando por nós.Quando chegamos à segunda aldeia, sou invadida por crianças. Eles aprenderam a magia da câmera e a diversão que é a foto do grupo. Eles aprenderam que cada vez que a câmera clicar, eles verão uma nova imagem na tela posterior. Logo se desenvolve uma cena de dezenas de crianças empurrando e abrindo caminho para ver o LCD da minha câmera rindo histericamente enquanto fazem isso. Eu tiro algumas centenas de fotos, nem mesmo aquelas que eu mesma usaria, só para divertir as crianças. Sua risada não tem preço.

Logo, um grupo de anciãos sai e, com um simples grito de uma ou duas palavras, as crianças se dispersam, deixando-me a sós com minha câmera. O ritmo da batida dos tambores logo começa a preencher o ar e um clima de empolgação se espalha pelo rosto das crianças. Alguns bateristas aparecem e param, deixando um rastro de poeira no ar. Homens idosos começam a caminhar para a área aberta enquanto as crianças correm para colocar uma cadeira de madeira atrás deles. Acendem um cigarro, sinal de riqueza nas aldeias rurais, e cruzam as pernas de paciência.

Jovens mulheres vestidas de branco começam a se afunilar na cena de diferentes direções e começam a envolver os bateristas em uma dança de transe lento. Suas belas vozes carregam uma canção de felicidade no ar como uma pomba matinal na primavera após uma chuva suave. A festa demora para se desenvolver, mas o que falta em velocidade ganha em dramático.

O que começou lentamente agora se transformou em um festival de teatro completo. Homens com borlas feitas de palha e pele de animal enrolada em seus braços e resíduos assumem o meio da pista de dança girando e andando no ritmo. Eles passam por cada um dos mais velhos, dançando especialmente para eles. Eles são seguidos por mulheres pintadas com tinta branca. Eles também parecem sentir o transe. Seus olhos permanecem semicerrados enquanto eles vão de um pé para o outro carregando as notas da música com eles. Eles ocasionalmente erguem os olhos, uma pausa de seu estado de captura, e sorriem.

A dança culmina de uma forma espetacular com os famosos dançarinos de palafitas da Côte d’Ivoire se divertindo ao sol. Esperando seu caminho para a cena, a dança das pernas de pau parece arrogante e ousada. Ele para no meio, levanta os braços para o lado e solta um grito animalesco aos deuses. A dançarina de pernas de pau gira em uma perna antes de se abaixar e soltar outro grito. É realmente como ver algo de outro mundo. Os dançarinos de pernas de pau são ensinados a assumir uma forma não humana em sua dança, e isso é evidente. Não posso deixar de ficar pasmo enquanto vejo a cena. A dançarina de pernas de pau é tão misteriosa, poderosa e intimidadora.

No final do show, o dançarino de pernas de pau agarra minha mão e me puxa para o centro da cena, levando-me como um pai a seu filho. Cercada pelos olhos e risos de uma centena de aldeões marfinenses, eu danço. É uma experiência que você pode acumular em casa. Como o amor, é um sentimento que você não pode explicar para aqueles que nunca o sentiram. É uma sensação que simplesmente não tem significado para ninguém além de você. No final do dia, assistir aos famosos dançarinos de palafitas na Costa do Marfim foi um dos melhores dias não apenas em minhas viagens, mas em toda a minha vida. É uma memória que guardarei comigo para sempre e uma experiência que ninguém pode tirar de mim. Sinto-me abençoado por ter experimentado isso e me sinto ainda mais privilegiado em compartilhar essa experiência com você.

 

 

Fatos & Fotos – 10/012/2020

Da série 15 razões para preferir jogar golfe


As ilustrações luminosas de
Tang Yau Hoong


O que desabou sobre os infelicitados habitantes de Southern Banânia, faz um estrago que nem o meteoro conseguiria. O brasileiro está impedido de entrar em vários países devido ao Covid. O  dólar explodiu encarecendo as viagens internacionais. E Alexandre Gracinha, ops!,Garcia, sustenta que a mudança do turismo, do mercado externo para o interno, foi fruto do trabalho do presidente da Embratur. O da sanfona.

O bolsonarismo redescobriu que, no Brasil, de nada adianta o racionalismo na política. Sua base está fincada nos instintos arcaicos encontrados nas sociedades de sapiens primitivos. Suas palavras chave são medo & ódio.


Pintura de Marc Chagall
L’écuyère en blanc,1941


O caso de Bolsonaro não é caso de impeachment, mas de insuficiência mental. Já houve precedência na história da Repúclica


A arte e a arte de Artur Bispo do Rosário


Design – Estantes


O plano de Bolsonaro para a vacinação contra a Covid nunca existiu. O Governo(?) primeiro mentiu e depois admitiu que não tem plano contra efeitos econômicos e sanitários do coronavírus.

O plano de Bolsonaro para a vacinação nunca existiu


Seul Coreia – Residência
Apartamento – Lab Architects



Foto do dia – Ballet – Tumblr
Agripina Yakovlevna Vaganova


Esse senhor que nos (des)governa, não é apenas asqueroso, porque asquerosas também são as hienas, mas elas não são antropófagas e cumprem seu papel no meio ambiente. Este senhor é repulsivo e repugnante, representa o que há de mais ojerizante na humanidade. Nem Hitler riu de suas vítimas publicamente.


Pintura de Isaac Levitan
Work through 1892 – Óleo s/cartão,12 x17cm


“O pior canalha que este país já produziu.”

João Ximenes Braga

Como juiz federal, Sérgio Fernando Moro, o mais célebre cidadão maringaense, destruiu a indústria da construção civil no Brasil, além da cadeia de óleo e gás. Levou à falência, numa tacada, as principais multinacionais brasileiras, entre elas a Odebrecht, que atuava em diversos países da América Latina e da África. Nisso, ele destruiu a economia do Rio de Janeiro. Muito se fala de Cabral. Nada, Cabral roubou. Quem destruiu os pilares da Economia do Rio de Janeiro foi Moro.

Os moradores de rua que transformaram o Centro da cidade num grande campo de concentração de desvalidos? Na conta do Moro.
E o que faz o Sérgio Fernando agora? Vai se alimentar da carniça do animal abatido. Foi contratado por uma empresa americana de consultoria, Alvarez & Marsal, que cuida, vejam bem vocês, que administra a falência… da Odebrecht!

Não é lindo isso? Não dá vontade de fazer cuti cuti na bochecha do Merval?
Depois de dar de bandeja a presidência ao sacolé de pus e virar seu ministro, agora ele vai ganhar um troco sugando as tripas da multinacional que ele mesmo destruiu, enquanto sua patroa promove um livro que destaca na capa “Moro X Lula”.

Não tem pra Lacerda. Não tem pra Toninho Malvadeza. Não tem pra Temer. Não tem pra Collor. Não tem nem pra Bolsonaro.
Sérgio Fernando Moro é o pior canalha que este país já produziu.


A pintura de Edvard Munch

Young Woman on the Beach,1896

Edvard Munch
Mother and Daughter,1897

Paesaggio marino,1918


Fatos & Fotos – 07/12/2020

Onde o Corvo do Mal nos enfiou.

O Bolsonarismo nos quer na mesma fossa onde se lambuzam. Para se ter uma noção do tamanho da fossa:
Enquanto outros países se organizam e até começam a vacinação em massa, o Brasil Bolsonarista discute se o vírus é comunista, continua defendendo a Cloroquina, não usa máscara, apóia aglomeração e nega tudo! Chutamos a Cruz. Só pode.


Edouard-Vuillard
The Flowered Dress,1891


Doria diz que vacinação começará dia 25 de janeiro em São Paulo; Anvisa ainda não liberou vacina.

O governador de São Paulo anunciou em coletiva de imprensa nesta tarde que a primeira fase de vacinação no estado está programada para começar no dia 25 de janeiro. Segundo ele, a primeira etapa contará com 10 milhões de doses e serão imunizados profissionais de saúde, indígenas e quilombolas. Idosos acima de 75 anos serão imunizados a partir de 8 de fevereiro. Doria anunciou ainda que 4 milhões de doses serão enviadas a outros estado. A CoronaVac já está sendo produzida pelo Instituto Butantan, mas ainda não foi autorizada pela Anvisa.

Design – Chuveiro


VolksWagen – Hotrods


Esculturas de Mikhail Gubin


Que “especialista” é este que não consegue resolver a questão das seringas?
covid.



Artes Plásticas – Grafiti


A Argentina tem 5 prêmios Nobel, 2 Oscars, 6 vacinas contra covid, 1 Maradona, 1 Papa e agora imposto sobre grandes fortunas.


O escolhido/protetor de Jair Bolsonaro no STF, Kassio Nunes, votou contra a reeleição de Rodrigo Maia, mas votou a favor da reeleição de Davi Alcolumbre? Qual lógica justifica isso? Ordens do patrão?

Ps.E nenhum beócio me venha com o trololó que o caso de Alcolumbre é por conta de outra legislatura devido o mandato de senador ser de oito anos. Tomem-me por imbecil, mas não tanto!
Estamos em pleno Armagedom jurídico; cinco dos seis ministros do STF julgaram que a Constituição é Inconstitucional. Que estupidez inacreditável!
“Violar um princípio é muito mais grave que transgredir uma norma qualquer. A desatenção ao princípio implica ofensa não apenas a um específico mandamento obrigatório mas a todo o sistema de comandos. É a mais grave forma de ilegalidade ou inconstitucionalidade, conforme o escalão do princípio atingido, porque representa insurgência contra todo o sistema, subversão de seus valores fundamentais, contumélia irremissível a seu arcabouço lógico e corrosão de sua estrutura mestra.”
Bandeira de Mello – Jurista Brasileiro



Foto do dia – Marc Riboud
India, 1956


Acompanhemos o psicopata da violência, façamos dancinhas, façamos arminhas com as mãos, e depois hipocritamente choremos pelas crianças que vão morrer a tiros de fuzil como Emily e Rebeca.

É como se tudo estivesse previsto em um roteiro que todos temos que seguir. Primeiro a tragédia: as primas Emily, de 4 anos, e Rebeca, de 7 anos, são assassinadas em uma comunidade de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, a tiros de fuzil. A partir desse flagelo, já sabemos tudo o que vai acontecer – e tudo o que não vai acontecer. O crime ocorreu na noite de sexta-feira. Lídia Santos, avó de Rebeca, conta que voltava do trabalho e iria ao encontro das meninas, que a esperavam na calçada para cumprir a promessa de comprar um lanche.


Negar a realidade deliberadamente, insistentemente, teimosamente, parece indicar duas possibilidades: alguma patologia de ordem mental ou desonestidade em alto grau.

De uma forma ou de outra, o negacionismo atropela princípios. Ou banimos essa chaga ou a sociedade se esfarela.


Desenho de Nutsivan Shishkin


VolksWagen – Hotrods Kombi


Pintura de Fedor Kazharov
“In May” 1965

Fatos & Fotos – 06/12/2020

Carlos Reutemann, Ferrari 312 T3
GP da Bélgica, 1967


Design – Intrumentos Musicais – Piano

Steinway ebonised Model B grand


Pintura de Konstantin Yegurovich Makovski


Arquitetura & Engenharia – Escadas


Pintura de Wook-kyung Choi


Da série:
“15 razões para preferir jogar golfe”


Foto do dia – Robert Doisneau


William BonnerRenata Vasconcelos estão pagando o preço de terem conspirado, mentido, distorcerem fatos e sonegado verdades – sabujos sarnentos que são da Globo – para o golpe de 2016, colocando suas credibilidades (as tinham?) a serviço da implantação de um regime de exceção que desaguou em um intervenção militar no Brasil. Foram eles, que por puro ódio ao PT – não entro no mérito das bandalheiras de Lula e asseclas, pois esse não é o fato que ora trato – transformaram a mídia profissional em esgoto. Esse jornalismo erigiu a era da grosseria, desconstruiu o senso de civilidade da população e adubou o vicejar da estupidez e das agressões verbais e fisicas dos negacionistas aos que não se curvam à uma praga como Bolsonaro e respectiva quadrilha. Espero que paguem com juros a desgraça que ajudaram a colocar no poder. Que se fodam! Do primeiro ao quinto. Milhar e centena.
Não tenho um enésimo de pena de quem glorifica a estupidez.


Pintura de Alberto Burri – Sacco,1952

Golpe em andamento no STF. A Constituição Federal proíbe, mas os ministros permitem. Depois quando são ameaçados por outros idiotas com um cabo e um soldado “sobem nas tamancas”. Tenham vergonha nessas togas porcalhonas, seus cabrões.


 

Fatos & Fotos do dia 09/11/2020

Ministro Barroso, membro do STF e Presidente do Tribunal Superior Eleitoral, contrata bolsonarista Caio Coppola, disseminador de fake news, como garoto-propaganda do TSE.

Quando se acredita que o Brasil chegou ao fundo do poço da desfaçatez e do descaramento, descobrimos que aqui na Taba dos Tapuias, o fundo do poço é somente um estágio.

Senhor, fomos nós os Tapuias que Vos crucificamos?


The Day After


Escultura de Naun Gabo


Pintura de Taguchi Yuka
Peonies Brilliance, 2019


Pintura de Michael Carson


Foto dia
Fotografia de Edmondo Senatore


Sérgio Moro; esse elemento é do mau! É um perigo para qualquer sociedade. Moro é a pessoa mais perigosa para a democracia brasileira

Quem tinha dúvidas de que esse juizeco é um fascista psicopata, agora não tem mais. O safardana gravou vídeo de apoio ao candidato bolsonarista que foi líder da revolta dos PMs no Ceará, mas diz que não é apoio.


Lá vou eu. Não se enganem com esse “arzinho” de bom velhinho do Joe Biden. Biden de diferente do Trump tem somente a cabeleira.

Como escrevi na semana passada, ninguém chega à presidência do império sem estar alinhado com a cartilha do imperialismo e do complexo industrial-militar. Joe Biden, norte-americano que parece tão bonzinho? Isso mesmo. O “gente fina” apoiou a guerra – aquela na qual o maluco do Saddam Hussein foi acusado de possuir armas de destruição em massa – “mintchura”. Saddam, o maluquete genocida #sunita mal tinha uma baladeira e uma espingarda socadeira – do Iraque, perseguiu Snowden, foi à Ucrânia para tentar derrubar um promotor. Pooooooohhhhhha Mesquita, tu já tá descendo o cacete e o cara nem tomou posse! Pois é. Meu ofício é incomodar. Nem que seja eu mesmo. Teve poder, eu desço o porrete. Miro “mêrmo na mulêra” do “incréu”. Seja quem for!


Pintura de Anne Magil


Não há esperanças. Aplaudir fogos de artifício supera qualquer nível de babaquice.


Arquitetura – Marrocos


Tem tweet do Luciano Huck contra a reforma da previdência?; contra a reforma trabalhista?; contra alguma privatização?

Claro que não. Porque Huck assim como o verme representa os interesses dos mais ricos, só não é tão grosseiro como o miliciano.