• mqt_for@hotmail.com
  • Brasil

Banco do Brics investirá US$ 300 milhões na Rússia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

BRICS,Brasil,Índia,China,Rússia,África do Sul,Economia,Blog do mesquita
No final de 2019, o Novo Banco de Desenvolvimento (NBD) do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) emitirá as primeiras obrigações em rublos, em um valor em torno de 15 a 20 bilhões de rublos (US$ 230 a US$ 300 milhões), segundo uma fonte do jornal russo Izvêstia no banco.
Valor será destinado ao desenvolvimento de novos projetos de infraestrutura e proteção do meio ambiente.

O Banco Central da Rússia confirmou a informação, e poderá investir os recursos recebidos na construção de novos portos e estradas, bem como em projetos de proteção do meio ambiente e energia verde no território russo.

No entanto, segundo os economistas, o NBD não conseguirá atrair o dinheiro facilmente, já que as taxas de seus títulos estarão abaixo do mercado.

Brics contra o dólar

O NBD decidiu emitir títulos em rublos e começou a preparar o registro do programa de títulos cambiais na Rússia no âmbito da estratégia aprovada pelo Conselho de Administração do Banco, segundo o jornal Izvêstia.

“A taxa dos títulos dependerá dos parâmetros específicos de produção e demanda dos investidores. O projeto de emissão de títulos em rublos será o segundo do gênero do NBD, que anteriormente já havia emitido títulos em yuans na China”, disse o representante do regulador russo ao Izvêtia.

Além disso, uma vez que o NBD é um banco de desenvolvimento internacional com uma classificação de crédito AA+, a obtenção de uma licença do Banco Central da Rússia para emitir títulos no país não é necessária.

Segundo uma fonte do Izvêstia no NBD, o banco decidiu dar mais atenção ao financiamento de projetos em moedas nacionais devido ao aumento dos riscos de bloqueio de contas em moeda estadunidense que pertença a países sob sanções financeiras.

Na cúpula do Brics de julho de 2018, já havia sido anunciado que o NBD alocaria um empréstimo no valor de US$ 1 bilhão para projetos de infraestrutura russos em 2019 – referente a construção de novos portos, estradas e empresas de energia.

Além disso, parte dos recursos será transferida para as necessidades de proteção ambiental – restauração do meio ambiente urbano e reciclagem de lixo doméstico.

Dificuldades

O NBD terá que enfrentar diversos problemas ao ingressar no mercado financeiro russo, disse o analista do Centro Financeiro Internacional, Vladímir Rojankovski, ao Izvêstia.

O NBD ainda não tem histórico de crédito especificamente na Rússia, assim, é pouco provável que o banco possa tomar empréstimos a taxas favoráveis. Formalmente, as classificações do NBD são muito melhores que as da Rússia, mas, na prática, os investidores do mercado local não comprarão os títulos do banco a preços superiores aos dos títulos soberanos russos, segundo Rojankovski.

Além disso, o banco não tem experiência suficiente no mercado local, não pode avaliar os riscos associados às peculiaridades dos negócios russos. Esse problema pode ser parcialmente resolvido com a abertura de uma filial do banco na Rússia, que foi anunciada em abril de 2019, na reunião geral dos participantes do NBD na Cidade do Cabo.

José Mesquita

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e "designer". Bacharel em administração e bacharel em Direito. Pós-graduado em Direito Constitucional. Participou de mais de 150 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior. Criador e primeiro curador do Prêmio CDL de Artes Plásticas da Câmara de Dirigentes Lojista de Fortaleza e do Parque das Esculturas em Fortaleza. Foi membro da comissão de seleção e premiação do Salão Norman Rockwell de Desenho e Gravura do Ibeu Art Gallery em Fortaleza, membro da comissão de seleção e premiação do Salão Zé Pinto de Esculturas da Fundação Cultural de Fortaleza, membro da comissão e seleção do Salão de Abril em Fortaleza. É verbete no Dicionário Brasileiro de Artes Plásticas e no Dicionário Oboé de Artes Plásticas do Ceará. Possui obras em coleções particulares e espaços públicos no Brasil e no exterior. É diretor de criação da Creativemida, empresa cearense desenvolvedora de portais para a internet e computação gráfica multimídia. Foi piloto comercial, diretor técnico e instrutor de vôo do Aero Clube do Ceará. É membro da National American Photoshop Professional Association, Usa. É membro honorário da Academia Fortalezense de Letras.

Gostou? Deixe um comentário