Yves Bonnefoy – Poesia – 01/05/24

Boa noite.
A Murta
Yves Bonnefoy

Por vezes te sabia a terra, eu bebia
Em teus lábios a angústia das nascentes
Quando brota das pedras quentes, e o verão
Dominava alto a pedra airosa e quem bebia.

Por vezes te dizia de murta e queimávamos
árvore de teus gestos todos todo um dia.
Eram fogaréus breves de uma luz vestal,
Assim eu te inventava em teus cabelos claros.

Todo um nulo verão secara-nos os sonhos,
Tolhera a voz, inchara os corpos, quebrara os ferros.
Por vezes ia rodando o leito, barca livre
Que ganha lentamente o mais alto cio mar.

Share the Post:

Artigos relacionados

Os bolsonarista na prisão

LEMBREM-SE DOS ENCARCERADOS “Cela apertada com 3 pessoas” “Banhos frios” “Banheiro comunitário” “Banhos de sol entediantes.” Lindo ver gadonaristas se

Ler mais