Alckmin confia a ‘condenado’ cofre de R$ 2,5 bilhões

Vocês sabem né?
Todos são inocentes até sentença transitada em julgado.
Acontece que para um servidor público continua valendo a brocado de Catilina: “à mulher de César…”
O Editor


Chama-se José Bernardo Ortiz o novo presidente da FDE (Fundação para o Desenvolvimento da Educação), órgão do governo de São Paulo.

Tucano, José Ortiz deve a nomeação ao governador Geraldo Alckmin.

Na nova função, vai comandar uma arca anual de R$ 2,5 bilhões.

Dinheiro destinado à construção e reforma de escolas e ao custeio de projetos pedagógicos.

Pois bem.

O repórter Fausto Macedo informa que o escolhido de Alckmin frequenta dez ações judiciais na condição de réu.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

Desse total, oito ações foram alicerçadas na Lei da Improbidade.

Absolvido em três, José Ortiz aguarda o julgamento de recursos da Promotoria ao TJ-SP.

Outros quatro processos esperam pela sentença de juízes de primeira instância.

E há um caso em que o réu foi condenado.

Refere-se à contratação de servidores sem a realização de concurso público, em Taubaté.

A despeito de negar a intenção de dolo, José Ortiz foi condenado em primeiro grau.

Recorreu ao TJ, que confirmou a sentença.

Foi, então, a Brasília. Tenta reverter o infortúnio no STJ.

Em nota oficial, a assessoria de Alckmin escreveu: José Ortiz “é um homem público reconhecidamente honesto”.

Acrescentou: “Sobre os processos em questão, todos eles ainda passíveis de recursos…”

“…É preciso ressaltar que foi explicitada, em mais de uma decisão, a inexistência de prejuízo ao erário e de enriquecimento ilícito”.

Tome-se por verdadeira a nota do Palácio dos Bandeirantes.

Nesse caso, os responsáveis pela condenação de José Ortiz decerto acreditam no seguinte:

Nada pode ser mais suspeito do que “um homem público reconhecidamente honesto”.

blog Josias de Souza

José Mesquita

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e designer gráfico e digital.

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e “designer”.

Bacharel em administração e bacharelando em Direito.

Participou de mais de 150 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior.

Mais artigos

Siga-me