• mqt_for@hotmail.com
  • Brasil

Agnelo Queiroz, o neomilionário e a burla à Receita Federal

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Está instalado o mistério!

O governador Agnelo Queiroz depois de jurar – por todos os juros? – durante depoimento na CPI do Cachoeira que era “pobre, pobre, pobre, dê-marré-dê,ci”, disputando a “pole position” da inocência com o também depoente governador Marconi Perillo, uma juíza do Distrito Federal diz que o governador não conseguiu comprovar com que dinheiro comprou uma casa em Brasília, segundo reportagem na Folha de S.Paulo.

Ficamos aqui, os Tupiniquins, com uma única certeza nesse embate de “honestidade”: o que todo mundo sabe é a eficiência dos políticos brasileiros em multiplicar o patrimônio após a chegada ao poder.
O mais primário levantamento acerca de qualquer político que entrou na vida pública praticamente sem patrimônio e hoje é rico, mostrará como é fácil perceber como o poder enriquece.

José Mesquita – Editor


Agnelo Queiroz, o governador neomilionário do PT, tenta burlar a Receita e escapar da Justiça

Há anos Helio Fernandes denunciou aqui o enriquecimento ilícito de Agnelo Queiroz, que começou quando era do PCdoB e foi nomeado diretor da Anvisa (Vigilância Sanitária), prosseguiu quando se tornou ministro do Esporte e se consolidou ao se eleger governador do Distrito Federal, já estando no PT.

Agora surge a confirmação das denúncias de Helio Fernandes de que Agnelo Queiroz seria uma espécie de Sérgio Cabral em estilo brasiliense, mas sem o exagero hollywoodiano do enriquecimento ilícito do governador do Rio.

A Receita Federal mostra que Agnelo Queiroz, para esconder o acúmulo de bens sem justificativa, declarou cerca de 80% de seu patrimônio à Receita Federal por meio de sua mulher, segundo documentos já entregues à CPI do Cachoeira.

Detalhe: em 2008, Queiroz declarou a Receita que não possuía nenhum bem…

Agora, sua declaração de bens à Receita difere totalmente da declaração obrigatória entregue à Justiça Eleitoral para ser candidato nas eleições de 2010, quando ele declarou a totalidade do patrimônio em seu nome.

A diferença da declaração ao TSE em relação aos dados informados ao fisco é de mais de R$ 900 mil.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

Quatro imóveis e dois carros declarados ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) constam apenas nas declarações de renda da médica Ilza Maria Queiroz, com quem o governador petista é casado em comunhão parcial de bens.

Para cobrir o instigante enriquecimento de Queiroz, a Folha escalou quatro repórteres: Andreza Matais, Rubens Valente, Breno Costa e Filipe Coutinho.

Eles revelam que o relatório entregue à CPI do Cachoeira com as declarações de renda e movimentações financeiras de Agnelo Queiroz entre 2003 e 2011 destaca a existência de variação patrimonial “a descoberto” – ou seja, sem rendimentos que a justifiquem – de R$ 107 mil entre os anos de 2009 e 2010.

Caso os bens não declarados por Agnelo constassem da realação, essa variação seria muito maior, é claro.

Mansão no lago

O principal bem de Agnelo, registrado apenas pela mulher, é a casa onde vivem desde 2006, numa área de alto padrão em Brasília.

Ela foi adquirida, conforme escritura em cartório, por R$ 400 mil. Hoje, seu valor de mercado é superior a R$ 2 milhões.

Em depoimento à CPI, no último dia 13 de junho, Agnelo assegurou que o imóvel havia sido declarado à Receita. “A aquisição está declarada no Imposto de Renda. Há mais de cinco anos (…). Não há um único reparo em meu Imposto de Renda. Não tenho um centavo de patrimônio a descoberto”, afirmou Agnelo à comissão de inquérito.

O único bem que consta em sua declaração pessoal é um carro Kia Sportage, no valor de R$ 73 mil.

O sigilo fiscal de Agnelo revela, ainda, que ele declarou à Receita não possuir nenhum bem até 2008.

Caramba! Nenhum bem? É muita desfaçatez.

E não vai acontecer nada, podem apostar.
Carlos Newton/Tribuna da Imprensa

José Mesquita

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e "designer". Bacharel em administração e bacharel em Direito. Pós-graduado em Direito Constitucional. Participou de mais de 150 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior. Criador e primeiro curador do Prêmio CDL de Artes Plásticas da Câmara de Dirigentes Lojista de Fortaleza e do Parque das Esculturas em Fortaleza. Foi membro da comissão de seleção e premiação do Salão Norman Rockwell de Desenho e Gravura do Ibeu Art Gallery em Fortaleza, membro da comissão de seleção e premiação do Salão Zé Pinto de Esculturas da Fundação Cultural de Fortaleza, membro da comissão e seleção do Salão de Abril em Fortaleza. É verbete no Dicionário Brasileiro de Artes Plásticas e no Dicionário Oboé de Artes Plásticas do Ceará. Possui obras em coleções particulares e espaços públicos no Brasil e no exterior. É diretor de criação da Creativemida, empresa cearense desenvolvedora de portais para a internet e computação gráfica multimídia. Foi piloto comercial, diretor técnico e instrutor de vôo do Aero Clube do Ceará. É membro da National American Photoshop Professional Association, Usa. É membro honorário da Academia Fortalezense de Letras.

Gostou? Deixe um comentário

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e “designer”.

Bacharel em administração e bacharelando em Direito.

Participou de mais de 150 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior.

Mais artigos

Siga-me