Yves Bonnefoy – A Murta – Poesia

Por vezes te sabia a terra, eu bebia


A Murta
Yves BonnefoyMurta,Blog do Mesquita

Por vezes te sabia a terra, eu bebia
Em teus lábios a angústia das nascentes
Quando brota das pedras quentes, e o verão
Dominava alto a pedra airosa e quem bebia.

Por vezes te dizia de murta e queimávamos
árvore de teus gestos todos todo um dia.
Eram fogaréus breves de uma luz vestal,
Assim eu te inventava em teus cabelos claros.

Todo um nulo verão secara-nos os sonhos,
Tolhera a voz, inchara os corpos, quebrara os ferros.
Por vezes ia rodando o leito, barca livre
Que ganha lentamente o mais alto cio mar.


Você leu?: Você tem quatro lobos dentro de si


Postado na categoria: Literatura, Poesia - Palavras chave: ,

Leia também:

Tolstói x Dostoiévski: quem domina o barraco?
Tolstói x Dostoiévski: quem domina o barraco?

Quais obras você exibiria com orgulho na mesa?

October 20, 2019, 12:00 pm
Otacílio Colares - Unicamente - Poesia
Otacílio Colares - Unicamente - Poesia

Amor, desperta... Há um luar, lá fora

October 2, 2019, 6:30 pm
O Deus de Schopenhauer
O Deus de Schopenhauer

Quando, elevando-se pela força da inteligência, se renuncia a considerar

October 7, 2019, 11:00 am
Maria J. Carvalho - Saudades - Poesia
Maria J. Carvalho - Saudades - Poesia

Saudades dessas mãos atrevidas

October 21, 2019, 7:30 pm
Gabriel Nascente - O Grande Banquete - Poesia
Gabriel Nascente - O Grande Banquete - Poesia

Depois estrangularemos o pescoço da miséria

October 11, 2019, 7:00 pm
Abgar Renault - A vida tem uma faca na mão - Poesia
Abgar Renault - A vida tem uma faca na mão - Poesia

...vai sob as unhas, vai direto ao coração,

October 14, 2019, 7:15 pm